fbpx
Revista Attalea Agronegócios
Image default
GRÃOS Outros Grãos

Corteva Agriscience obtém aprovação do cultivo comercial do algodão WideStrike® 3 no Brasil

A Corteva Agriscience, Divisão Agrícola da DowDuPont, anuncia que o Comitê Técnico Nacional de Biossegurança (CTNBio) emitiu um parecer técnico positivo autorizando o cultivo e a comercialização do algodão WideStrike® 3 no Brasil. Esta tecnologia estará disponível para comercialização a partir da safra de 2019 no Brasil.

“Os produtores brasileiros precisam ter acesso às tecnologias avançadas com desempenho aprimorado para aumentar os rendimentos e estender a longevidade da tecnologia”, disse Larry Robertson, Líder Global de Portfólio da Corteva Agriscience?. “Widestrike® 3 é uma nova ferramenta para atender às expectativas dos produtores”.

WideStrike® 3 é uma tecnologia avançada de proteção contra insetos, que contém três eventos – as proteínas Cry1Ac e Cry1F e uma proteína inseticida vegetativa (Vip3A) do Bacillus thuringiensis (Bt). WideStrike® oferece proteção superior durante todo o ciclo da cultura do algodão, protegendo a plantação de uma grande variedade de pragas importantes, como a lagarta-das-maçãs (Heliothis virescens), lagarta-do-cartucho do milho (Spodoptera frugiperda) e a lagarta helicoverpa (Helicoverpa armigera), contribuindo para a redução do número de aplicações de defensivos agrícolas. Múltiplos modos de ação propiciam uma proteção mais eficaz, auxiliando no manejo da resistência das pragas alvo e na sustentabilidade da tecnologia.

O produto WideStrike® 3 recebeu aprovação comercial em muitos países e, agora, no Brasil, pela CTNBio (Comissão Técnica Nacional de Biossegurança), órgão do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, responsável pela avaliação dos requisitos de biossegurança para organismos geneticamente modificados (OGMs). A CTNBio concluiu sua avaliação do pedido de liberação comercial dos eventos de proteção contra insetos WideStrike® 3 com parecer técnico positivo autorizando o mesmo para cultivo e comercialização no Brasil. “Estamos entusiasmados por poder oferecer essa nova tecnologia para uso em algodão”, afirma Robertson.

Como parte do desenvolvimento e implantação responsáveis das tecnologias líderes Bt, a Corteva Agriscience está comprometida em trabalhar com clientes brasileiros para incluir produtos de algodão contendo o WideStrike® 3, como parte de um programa de manejo da resistência a insetos (IRM). As práticas de IRM incluem  plantio de refúgio, monitoramento de pragas e insetos, uso de sementes certificadas, dessecação antecipada, tratamento de sementes e aplicação  de inseticidas foliares  para o controle de pragas. O manejo adequado da tecnologia do algodão Bt é essencial para preservá-la como uma ferramenta útil de proteção de culturas nos próximos anos.

Sobre a Corteva Agriscience?, Divisão Agrícola da DowDuPont 

A Divisão Agrícola da DowDuPont, uma área de negócios da DowDuPont (NYSE: DWDP), combina os pontos fortes da DuPont Pioneer, DuPont Crop Protection e Dow AgroSciences. Em conjunto, a Divisão Agrícola fornece aos produtores em todo o mundo o portfólio mais completo da indústria, desenvolvido ao longo de um pipeline de pesquisa robusto em germoplasma, traits, biotecnologia e proteção de culturas. A divisão está empenhada em oferecer inovação, ajudando os agricultores a aumentar a produtividade e garantir a segurança alimentar para uma população global crescente. A DowDuPont pretende separar a Divisão Agrícola em uma empresa independente de capital aberto. Para mais informações, acesse www.dow-dupont.com

Todos os produtos, salvo indicação em contrário, denotados com ?, ? ou ® são marcas comerciais ou marcas registradas da DowDuPont.

 

Fonte: PR Newswire

Related posts

Rally da Safra retorna ao Médio-Norte do Mato Grosso para avaliar condições das lavouras de soja

Produção de grãos sinaliza recorde final de 253,7 milhões de toneladas

Revista Attalea Agronegócios

Há retorno da demanda por algodão, porém potencial de crescimento da oferta ainda é maior.

Revista Attalea Agronegócios

Deixe um comentário