fbpx
Revista Attalea Agronegócios
Associações Cafés Especiais ENTIDADES DE CLASSE NOTÍCIAS

Região da Alta Mogiana: Edgard Bressani é eleito presidente da Associação de Cafés Especiais da Alta Mogiana

Em assembleia realizada na tarde de 16 de março, a AMSC – Associação dos Produtores de Cafés Especiais da Região da Alta Mogiana elegeu a nova Diretoria Executiva para o biênio 2022-2024, com possibilidade de reeleição. Edgard Bressani foi eleito Diretor Presidente, tendo André Luis Cunha como Diretor Vice-Presidente. Guilherme Dias de Souza Alves assume como Diretor Tesoureiro, enquanto Julio Aparecido da Silva Ferreira assume como Diretor Secretário.

A AMSC foi fundada em 2005 e é uma entidade sem fins lucrativos que tem por premissa representar, com legitimidade, os produtores de Cafés Especiais da Região da Alta Mogiana que buscam melhores possibilidades de venda seus cafés de alta qualidade fora do sistema de commodities.

Ao longo dos anos, tem orientado e conduzido os produtores associados a obter a excelência na produção e na qualidade. Anualmente realiza e participa de eventos, feiras e congressos no Brasil e no mundo, fortalecendo a exposição dos produtores e estreitando os laços entre compradores e consumidores finais.

Edgard Bressani, Júlio Ferreira, André Luis Cunha e Guilherme Dias de Souza Alves, a nova diretoria da AMSC

Edgard Bressani é empresário, cafeólogo, com grande experiência no setor cafeeiro, autor do livro Guia do Barista e fundador da exportadora Latitudes Grand Cru Coffees.

Em entrevista exclusiva ao portal CaféPoint, do qual transcrevemos um pequeno trecho, Edgard Bressani explicou os motivos pelo qual o motivaram a assumir a direção da entidade. “Estou no Conselho da AMSC há vários anos, desde a época que estava trabalhando em Pedregulho (SP). Sempre apoiei e tive muito carinho pela região, sendo daqui. E mesmo quando fui para Piraju (SP), coloquei no projeto os cafés da Alta Mogiana. Com a Latitudes Grand Cru Coffees permaneço com o mesmo foco. Embora trabalhe as 33 diferentes regiões, a filial, no estado de São Paulo, tem o objetivo de trabalhar os cafés da Alta Mogiana. Recebi o convite e aceitei. Um grupo com diferentes experiências que se complementam. Nesse primeiro semestre temos a sétima edição do Fórum de Qualidade, que já está sendo organizada pela nova diretoria. Era um evento de meio período e estendemos a programação. Será mais longo e com uma grade de palestras com temas abrangentes e atuais, com grandes nomes. Queremos realizar um dia de campo antes da safra. E para o segundo semestre temos o Concurso de Qualidade que será uma ação de comemoração extremamente importante. A região sempre foi reconhecida pela alta qualidade de seus cafés naturais. Grandes empresas estrangeiras compram os grãos, não só pela qualidade, mas também pela consistência. Quando cheguei de volta, em 2010, brincava dizendo que é muito difícil errar aqui com qualidade. É um terroir “abençoado”. Em 2010, eu construí terreiro suspenso, estufa, plantio da variedade geisha, fazia despolpado e fermentação com leite. E muitas pessoas seguiram o exemplo e começaram a pensar diferente. Hoje temos um resultado incrível com estes preparos especiais. Sempre que provo uma mesa de café da Alta Mogiana, me surpreendo com a explosão de sabores que encontro. Isso é muito gratificante. Não temos mais só um café encorpado, você, com corpo intenso e baixa acidez. Há uma diversidade enorme de perfis de sabores”, afirmou Edgard Bressani. (Extraído e modificado de CaféPoint)

Saiba mais em: amsc.com.br.

Related posts

Incubapack: Conheça a plataforma de serviços de embalagens flexíveis baseada no conceito de co-packing

Revista Attalea Agronegócios

Cafés Especiais: São Lourenço (MG) recepciona campeonatos de barismo.

Revista Attalea Agronegócios

Vietnã em ritmo chinês

Revista Attalea Agronegócios

Deixe um comentário