fbpx
Revista Attalea Agronegócios
Café Café e Mercado

[Marcelo Fraga Moreira] – Mercado do Café – “A solução pode estar no seu vizinho” (comentário semanal 18 a 22/10 de 2021)

MARCELO FRAGA MOREIRA
É um profissional há mais de 30 anos atuando no mercado de commodities agrícolas,

escreve este relatório sobre café semanalmente como colaborador da Archer Consulting –
Assessoria em Mercados de Futuros, Opções e Derivativos Ltda.
www.archerconsulting.com.br

Mais uma semana volátil com o Dez-21 oscilando +1.835 pontos entre a mínima/máxima/mínima @ 200,55 / 208,65 / 198,40 centavos de dólar por libra-peso. O risco do governo brasileiro voltar a estourar o teto da meta fiscal levou o R$ a atingir 5,7550 R$/US$ e o Ibovespa chegou a negociar a 102.853 pontos na sexta-feira (na semana o R$ chegou a desvalorizar -4,45% mesmo com o Banco Central realizando 4 leilões de câmbio e ofertando 4 bilhões de dólares para tentar segurar a moeda e o Ibovespa chegou a desvalorizar -10,29%). Novamente operar no Brasil não é para amadores!

Nos primeiros 4 pregões da semana o Dez-21 tentou romper a forte resistência do indicador “Bandas de Bollinger” dos 50 dias @ 208 centavos de dólar por libra-peso (chegou a negociar no “high” da semana, na quinta-feira, @ 208,50 centavos de dólar por libra-peso). Porém, no final do pregão, quando o risco Brasil voltou a piorar e o Real voltou a superar os 5,65 R$/US$ o mercado já começou a realizar.

Nos 2 últimos pregões da semana o Dez-21 chegou a cair -715 pontos, rompendo o suporte da média móvel dos 9 dias e chegando a furar o suporte da média móvel dos 17 dias @ 199,80 centavos de dólar por libra-peso! O Dez-21 encerrou a semana praticamente “em cima” dessa média móvel, @ 199,85 centavos de dólar por libra-peso!

Com toda essa volatilidade o contrato Dez-21 terminou a semana caindo apenas -355 pontos com uma desvalorização em US$ de apenas -1,74%. Porém, em R$/saca equivalente o produtor voltou a ter oportunidades para travar suas vendas para a safra 22/23 contra a tela do Set-22 acima dos 1.450 R$/saca (considerando o desconto de venda em -25 pontos e o dólar futuro com vencimento set/out/nov-22 chegando a negociar acima dos 6,10 R$/US$).

Fazendo o uso do mercado de opções, na sexta-feira o mercado deu oportunidade para o produtor brasileiro analisar/realizar operações de hedge interessantes para a safra 22/23. Por exemplo, no vencimento Set-22 foi possível a compra da estrutura “Put-Spread” strike +200/-160 com venda de uma opção de compra “Call” strike -230 com “custo zero”. Essa estrutura garante uma remuneração para o produtor entre 1.425 R$/saca até 1.660 R$/saca se o Set-22 fechar acima dos 160,00 e acima dos 230,00 centavos de dólar por libra-peso no dia do vencimento das opções no próximo dia 18 de agosto de 2022!

Semana que vem promete grandes emoções! Próximos suportes no Dez-21 agora estão na média móvel dos 17/50/72 dias, respectivamente @ 199,80 / 193,40 / 187,70 centavos de dólar por libra-peso. Na sequência temos o suporte inferior da “Banda de Bollinger” dos 50 dias @ 176,90 centavos de dólar por libra-peso e finalmente a média móvel dos 100 dias @ 171,90 centavos de dólar por libra-peso!

Será que os fundos vão virar a mão e derrubar o mercado -2.300 pontos nas próximas semanas? Acreditamos que não pois os fundamentos continuam positivos.

No mercado spot os preços para o café robusta voltaram a negociar abaixo dos 800 R$/saca. Segundo rumores que circularam no mercado os “compradores” se uniram e decidiram “sair” do mercado pelos próximos 10-15 dias. Da mesma forma os “vendedores” também tentaram se unir “decidindo” sair do mercado e só voltar a vender daqui há 15 dias. Ora, como sabemos esses “rumores/tentativas de manipular o mercado” não funcionam.

O comprador do mercado interno (indústria) e as tradings vão comprar quando tiverem necessidade para suprirem suas demandas e/ou quando acreditarem que os preços seguirão subindo. Para “forçar” a queda nos preços vão comprar “da mão para a boca”.

O comprador precisa acompanhar o mercado para “estar sempre competitivo” senão a concorrência irá ganhar market share “nas suas costas”. Nessa safra 21/22 a saca do café robusta já subiu mais de 230% (saindo de 250 R$/saca para 825 R$/saca)! A saca do café arábica já subiu mais de 145% (saindo de 550 R$/saca para 1.350 R$/saca)!

Será que as vendas na ponta, para o consumidor final (tanto no mercado interno quanto para a exportação) continuarão nos mesmos volumes do mês passado, do ano passado? No Brasil alguns supermercados já subiram os preços para o café em mais de +30/+40%! Dificilmente a demanda interna brasileira no consumo do café vai ser igual/maior que em 20/21!

Em todo mercado, quando o preço de um produto fica muito mais caro que o orçamento original, que as previsões originais, o comprador vai procurar alternativas para atingir suas metas orçamentarias. E as operações de “arbitragem” poderão acontecer para voltar a dar liquidez e normalizar as leis de “oferta e demanda”.

Aparentemente essas operações de arbitragem já começaram! Alguns participantes do mercado fizeram sua lição de casa e a solução está mais perto do que o mercado imagina! Em breve o primeiro container de café importado estará chegando no Brasil! Temos informações confiáveis e confirmadas onde amostras de café arábica já foram aprovadas e liberadas e os primeiros containers estarão chegando no Brasil nos próximos 45 dias!

Qual volume será importado? 1-10-50-100-500 mil sacas? Por enquanto difícil prever. Mas com certeza a importação continuará ocorrendo enquanto a arbitragem funcionar e enquanto o(s) país(es) fornecedor(es) tiver produto disponível para vender e logística para embarcar!

Na última sexta-feira o Dr. Ferrão divulgou seus últimos números referente a safra brasileira 21/22 do café tipo robusta (José Carlos Ferrão, engenheiro agrônomo, consultor e produtor, com mais de 35 anos de experiência no setor e principalmente na produção/análise do café robusta). Para nossa surpresa foi a menor estimativa já publicada até agora e com uma estimativa entre 12-14 milhões de sacas para o café tipo robusta!Com base nos números do Dr. Ferrão e simulando a produção do café tipo arábica no quadro abaixo com a produção média entre IBGE/CONAB/Hedgepoint para 31.3 milhões de sacas (descontando os 2 extremos -Archer e Rabobank) e reduzindo o consumo interno brasileiro para essa safra 21/22 de 22 milhões de sacas para 21 milhões de sacas, a oferta brasileira disponível para exportação continuará muito apertada.

Considerando o consumo brasileiro em 21 milhões de sacas (e novamente desconsiderando os extremos da produção brasileira da Archer e do Rabobank) então o Brasil poderá exportar entre 23,7 a 28,7 milhões de sacas entre Julho-21/Junho-22!

Segundo o site da Cecafé atualizado até o dia 22 de outubro o Brasil já embarcou nesse mês 1.809.753 sacas e já solicitou emissão de embarques para 2.143.718 sacas! Com base nesses números o Brasil deverá exportar em outubro entre 2.450.000 – 2.950.000 sacas (uma redução entre -45/-35% comparado ao mês de outubro-20 quando exportou 4,5 milhões de sacas).

Considerando que o Brasil exportará em outubro-21 +2,7 milhões de sacas então o Brasil já terá exportado +11.516.000 milhões de sacas nos primeiros 4 meses da safra 21/22! o Brasil ainda poderá exportar entre +12,2 / +17,2 milhões de sacas! Desta forma, as exportações brasileiras entre Nov-21 até Junho-22 deverão ficar entre +1.5 /  +2,15 milhões de sacas por mês durante os próximos 8 meses!

Mais uma semana terminou, mais um mês terminando, e a Conab ainda não informou o estoque de passagem da safra 20/21 para a safra 21/22!

As chuvas nas principais zonas produtoras brasileiras voltaram com boa intensidade e cobertura e existe previsão para mais chuvas até o final do mês de outubro e durante o mês de novembro. As floradas ocorreram porém algumas já estão abortando, e as chuvas não serão suficientes para reverter e recuperar as lavouras já tão prejudicadas. A próxima safra brasileira 22/23 deverá trazer novas surpresas para o mercado global!

As chuvas no Vietnam, Indonésia, Índia e América Central continuam favorecendo as lavouras atuais. As colheitas nesses países estão prestes a começar e em breve já estarão sendo embarcadas para os seus destinos. Dessa forma deveremos ter alguma realização no curto prazo com os preços em NY podendo testar os 190/180 centavos de dólar por libra-peso.      

Os “fundos+especuladores” terminaram o período comprados em +49.929 lotes  (reduzindo a posição em -2.737 lotes) segundo o último relatório do CFTC*. Com a desvalorização do R$ frente ao US$ estamos reduzindo nossa projeção para mercado trabalhar entre 230-280 centavos de dólar por libra-peso até o vencimento do contrato Maio-22! Será que vamos ter mesmo o rallie até o final desse ano 2021?  Fiquem atentos!

“Sugestões para próxima semana”:

Mercado Spot: Seguir vendendo apenas o necessário para pagar as contas do dia/semana, com preço mínimo @ 1.350-1.500 R$/saca para o café tipo arábica e 1.650/1.700 R$/saca para “cereja descascado” e @ 800/850 R$/saca para o café tipo robusta.

Para a safra 22/23:

No Set-22: quem já tiver comprado proteção, através das compras de opções de venda “Put”, sugerimos manter a posição e aguardar para “rolar pra cima”.

Para quem tiver vendido opções de compra “Call”, caso o mercado realize na próxima semana considerar comprar uma nova opção de compra “Call” (acima do strike da opção de compra “Call” vendida) para montar uma estrutura “Call-Spread” e se proteger contra uma eventual explosão nos preços!

– Para quem ainda tem posição em aberto, aguardem para vender, mas protejam-se contra eventuais baixas! Analisem a compra de opções de venda “Put” strike +200/+190 centavos de dólar por libra-peso ou comprando estruturas “Put-Spread” strike +200/-160 centavos de dólar por libra-peso vendendo a opção de compra “Call” strike -230!

Sugerimos realizar as operações para a safra 22/23 e 23/24 em diante em dólares por saca! Vejam como o R$ está volátil! Ano que vem teremos eleições! Para onde vai o R$? Ninguém sabe! No mês de outubro-21, até agora, o R$ já desvalorizou -6,87%! Será que em 2022 o R$ vai ultrapassar os 7-8 R$/US$??

– Para aqueles que estão realizando “travas” para a safra 22/23 e 23/24 em diante não se esqueçam em fazer o seguro contra eventual quebra na safra e seguros contra novas altas no mercado (comprando opções de compra “Call” ou “Call-Spreads” fora do dinheiro.

Ótima semana a todos!

Related posts

29º Prêmio Ernesto Illy de Qualidade do Café premia pelo YouTube os melhores cafeicultores

Revista Attalea Agronegócios

6.000 fazendas de café de pequena escala melhoraram sua sustentabilidade na América Central e na República Dominicana

Revista Attalea Agronegócios

[Rodrigo Corrêa da Costa] – Mercado do Café – 11 a 15 de Fevereiro de 2019

Deixe um comentário