Powered by Rock Convert
Revista Attalea Agronegócios
Café

“Os cafeicultores em dificuldades”

EDITORIAL DO JORNAL – EL COLOMBIANO
www.elcolombiano.com

Data: 01/03/2019

É um paradoxo doloroso, enquanto o consumo de café no mundo aumenta de forma sustentada, os produtores do grão estão tendo um tempo difícil. Na verdade, seja em cápsulas, solo ou solúvel, arábica ou robusta, a demanda por café está crescendo de forma pronunciada. Em 2018/19, a Organização Internacional do Café (OIC) estima que o consumo atingirá 165.180.000 de sacas, um valor equivalente a um consumo diário de 2.200.000.000 de xícaras. A renovação do mercado está sendo dada graças à presença de apresentações Premium de cafés arábicas e do formato em porções (cápsulas, saquetas).

A produção também está crescendo e muito. Em 2018/19, haveria uma oferta maior do que a demanda neste mercado, como no ano anterior. Na verdade, a mesma fonte relata que em 2018/19 a produção mundial estimada será 167.470.000 de sacas, com um excesso de café no mercado de 2,2 milhões de sacas, 1 milhão menos do que em 2017/18. estas circunstâncias a pressão descendente no preço internacional do café continua; A referência para os cafés macios (contrato C) termina 27 meses que caem, de 160 centavos por a libra em novembro 2016 a menos do que um dólar na última semana. A tendência continuaria a ser o tamanho esperado da próxima safra nos principais países produtores.

A queda de preços sustentada é asfixia produtores de café. É um fato que, nas atuais condições de um mercado “oferecido”, as negociações entre produtores e industriais estão a ser sistematicamente feitas em detrimento do primeiro, situação agravada pela especulação que está a ser apresentada. A produção de café, por sinal, faz 25 milhões de cultivadores em todo o mundo, 70% destes são proprietários de parcelas de menos de 5 hectares. Esse desequilíbrio é claramente refletido na distribuição de valor dentro dessa cadeia.

A Federação do café e o governo projetaram uma estratégia para abordar a situação difícil e aumentar a rentabilidade do café. Os instrumentos são os convencionais, como resultado, o apoio direto ao preço será reativado, as dívidas do café serão aliviados e um programa de apoio em fertilizantes será oferecido para as renovações por semeadura e muda em 2019 com recursos do fundo nacional Café e governo por 14.000.000.000 pesos.

As medidas não passam de um alívio temporário que não resolve o problema fundamental que o café tem hoje: a necessidade de tornar o comércio de café mais equitativo, para que certos produtores tenham maior poder de negociação e possam ter um P Mais forte que os custos. A necessidade, em outras palavras, de alcançar a corresponsabilidade da indústria global para uma cadeia sustentável.

A Federação levantou a possibilidade de deixar a bolsa de valores de Nova York perseguindo esse propósito. No entanto, não há realmente uma instância hoje que garanta uma alternativa à forma como o café é comercializado. Nestas condições, a proposta não parece viável a médio prazo. Seria mais conveniente insistir na regulação do mercado do café para lidar com especulações e más práticas.

Powered by Rock Convert

Related posts

Luckin Coffee, a empresa chinesa que mexeu com o mercado internacional de café

Revista Attalea Agronegócios

Pelos dados da CONAB, no dia 18 de junho zeram os estoques de café brasileiro

Revista Attalea Agronegócios

[Rodrigo Corrêa da Costa] – Mercado do Café – 01 a 05 de abril de 2019

Deixe um comentário