fbpx
Revista Attalea Agronegócios
NOTÍCIAS Política Agrícola

Imagem do agronegócio dentro e fora do país pautam encontro com Itamaraty

Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) será o braço político da comunicação com adidos agrícolas e embaixadores na construção de uma nova imagem.

 

A imagem brasileira frente aos países mundo afora foi tema de debate entre os membros da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) e o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, durante reunião remota ocorrida nesta terça-feira (2)

A preocupação em desconstruir as inverdades propagadas sobre o agronegócio nacional pelo planeta, e também dentro do país, foi compartilhada entre os deputados, senadores e o ministro Ernesto Araújo.

Para o representante do Itamaraty, o estereótipo de que o Brasil destrói a Amazônia é ruim ao país em diversas vertentes e não apenas na venda de produtos agrícolas. Segundo Ernesto Araújo, “infelizmente os problemas de imagem que enfrentamos existem também aqui dentro, com a propagação de ideias inverídicas. E isso complica a nossa relação com as outras nações.”

Ernesto completa ao dizer que “nosso desafio de imagem é mais complicado do que uma transmissão de informação. Não estamos trabalhando com a falta de informação e sim com a desinformação, com informações falsas.”

Por sua vez, o presidente da FPA, deputado Sérgio Souza (MDB-PR), citou a responsabilidade da Frente em “cuidar daquilo que suporta este país”, diante dos resultados obtidos pelo agronegócio nos últimos anos, com superávits recorrentes do setor – mesmo durante a pandemia, o Brasil registrou crescimento de quase 20% no PIB em 2020 (CNA). “Sabemos da importância que é a produção de alimentos hoje e no futuro. Para conseguir avançar na produtividade e produção precisamos de segurança jurídica e de melhorar a imagem do Brasil no exterior”, pontua o deputado.

O ministro Ernesto Araújo tratou ainda de questões referentes à produção brasileira de energia renovável, com ênfase ao biocombustível – inclusive com a ampliação do uso de etanol junto à gasolina como forma de diminuição do uso de combustíveis fósseis e decorrente prejuízo ao meio ambiente. E encerrou parabenizando a atuação da FPA em ações importantes para o setor com implicação dentro e fora do país.

“A ratificação do Protocolo de Nagoia para a valorização do nosso recurso genético e também do Protocolo de Nairóbi, que trata da eliminação dos subsídios no comércio internacional de produtos agrícolas, são muito importantes para o Brasil. A atuação da FPA no Congresso Nacional foi muito importante para conseguirmos regulamentar o acesso a esse processo.”

Protocolo de Nairóbi

O protocolo de Nairóbi aumenta a competitividade do agro brasileiro frente aos demais países produtores e tem previsão de análise do Senado Federal nesta terça-feira (2) para ratificação do documento e subsequente promulgação do decreto, que oficializa a participação brasileira no acordo estabelecido pelos membros da Organização Mundial do Comércio (OMC), em 2015.

Related posts

Parecer da EMBRAPA subsidia autorização do plantio do algodão GM em Rondônia

15ª BAHIA FARM SHOW: Maior feira de tecnologia e negócios do Norte e Nordeste está chegando

Revista Attalea Agronegócios

[José Donizeti Alves] – Você está preparado para a bienalidade da produção de café?

Revista Attalea Agronegócios

Deixe um comentário