fbpx
Revista Attalea Agronegócios
ARTIGOS Café

Fragilidade, Mercado Internacional, Especulação, mas onde fica o Café?

FERNANDO BARBOSA
Cafeicultor São Pedro da União (MG)

 

Nos últimos dias a notícia mais falada em todas as mídias têm sido o Coronavírus. Com sua capacidade de infectar pessoas, este provou seu poder ao contagiar pessoas em mais de 109 países e causar a morte centenas de pessoas em questão dias.

Contextos como este trazem consigo não apenas medo, mas série de outros sintomas sociais, muitas vezes indesejados. Desde humor negro que pode não ser adequado, como por exemplo falar que é um ótimo momento de se viajar para a Itália por conta dos preços das passagens aéreas para um italiano que mora do Brasil e que angustiado assiste de longe a morte de seus compatriotas. Até a especulação comercial de empresas que aumentaram o preço de produtos como álcool em gel, máscaras, entre outros itens de saúde por conta da alta da procura.

Na busca por proteção, países tem tomado decisões consideradas muitas vezes duras e/ou excessivas, mas que buscam proteger seus cidadãos. Entre estão fechar, ou cancelar, proibir que pessoas de outros países venham para o seu. Escolas estão cancelando aulas buscando a redução do contato de seus alunos na esperança de diminuir assim a velocidade de transmissão.

Mas quais são estas consequências para o café?

Quaisquer tipos de predições sobre o futuro são imprecisos, é como se diz o ditado “o futuro a Deus pertence”. Mas a questão é que mesmo no caos existe pode observar a existência de oportunidades. E oportunidades naturais geradas pela oferta e demanda causada pelo cenário – não gerada de maneira forçada pela especulação de produtos – que é o caso do cenário.

Dentro deste cenário é possível imaginar que possa acontecer atrasos na logística e outros pontos de não conformidade na cadeia produtiva do café, enquanto bebida, que pode funcionar como um agente do aumento de preço para a saca comercializada pelos cafeicultores.

Apesar do cenário nebuloso e complicado, pode haver oportunidades para os cafeicultores, mas ainda resta uma outra pergunta: Como andam os estoques de café?

Como pode ser observado não é tão simples assim fazer predições sobre o futuro, principalmente em contextos atípicos como o gerado pelo coronavírus. O fato é que oportunidades existem e sempre existirão para os que estejam mais preparados.

Related posts

Sindicato dos Produtores Rurais de Itabela (BA) lança a 12ª Festa do Café

Revista Attalea Agronegócios

“Cafeicultor tem que se profissionalizar” garante Wilson Goto, da Yara Internacional.

PALINIALVES celebra 40 anos como referência em inovação e tecnologia no Brasil e no Mundo

Revista Attalea Agronegócios

Deixe um comentário