Bancos e Crédito RuralNOTÍCIASPolítica Agrícola

FEBRABAN: novo FIAgro é importante fonte de recursos para o Agronegócio

A Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN) considera que a criação do FIAgro (Fundos de Investimento nas Cadeias Produtivas Agroindustriais) é uma nova e fundamental fonte de financiamento para o setor agrícola brasileiro e será um importante instrumento para o crescimento e desenvolvimento do Agronegócio brasileiro nos próximos anos.

A entidade, que congrega 117 instituições financeiras, apoiou a tramitação do Projeto de Lei 5191 de 2020, que instituiu o novo Fundo, já aprovado na Câmara e no Senado e aguardando a sanção do presidente da República. O FIAgro cria instrumentos que darão ao mercado de capitais brasileiro a possibilidade de participar mais intensamente e financiar os produtores rurais e demais atores do agronegócio brasileiro. Essas ações darão maior liquidez e até mesmo redução de custos para este segmento.

“O PL aprovado é um avanço histórico, sendo um dos vetores mais relevantes para o crescimento e desenvolvimento do agronegócio nos próximos anos, um dos mais relevantes segmentos da economia para o nosso País”, diz Isaac Sidney, presidente da FEBRABAN, que completa: “A nova Lei contribuirá, decisivamente, para elevar o patamar das fontes de recursos destinadas a produtores rurais e demais atores do setor agrícola, o que trará crescimento, emprego, desenvolvimento para o País e ainda mais competitividade global para o setor do agronegócio brasileiro”.

O FIAgro segue algumas características dos Fundos Imobiliários, que hoje são fundamentais ao financiamento do setor imobiliário e incrementaram, de maneira material, os recursos para tal setor. Entre as inovações, está a possibilidade de criação de fundos de investimentos que poderão canalizar recursos a ativos como imóveis rurais, participações em empresas da cadeia produtiva agroindustrial, direitos creditórios do agronegócio ou imobiliários relativos a imóveis rurais, títulos de crédito do setor, títulos de securitização, como os Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRAs), cotas de fundos que apliquem mais de 50% de seu patrimônio nos ativos acima, dentre outros.

O projeto de lei é fruto de um extenso trabalho realizado por agentes do Mercado de Capitais junto com especialistas do agronegócio e relevantes autoridades do nosso País.

Related posts

Celulose: Bracell escoará por sistema rodo-ferroviário da MRS, até o Porto de Santos (SP)

Mario

Dos 239 Agroquímicos registrados recentemente, apenas uma molécula é nova.

Mario

FENICAFÉ 2022: Painel “Mulheres na Cafeicultura Brasileira” será destaque

Mario

Deixe um Comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais