Powered by Rock Convert
Revista Attalea Agronegócios
Image default
Café NOTÍCIAS

Cool seed desenvolve tecnologia revolucionária na secagem de café

Entre os dias 01 a 03 de julho, a empresa Cool seed, especializada em desenvolvimento de novas tecnologias na área de armazenamento de grãos e sementes, realizou na cidade de Franca (SP), a Primeira Convenção de Vendas para a Divisão de Negócios Café e aproveitou o evento para o lançamento de seu novo equipamento para a secagem de grãos, que utiliza um revolucionário conceito denominado Múltipla Intermitência.

Esta é a segunda onda no que se refere a inovação de secagem da cafeicultura brasileira realizada pela empresa, que após anos de pesquisa e desenvolvimento, consolidou este novo conceito de Secagem e desenvolveu o secador SMI – Secador de Múltipla Intermitência, que em conjunto com o equipamento UTA ou FOR, torna-se um importante aliado para aqueles que desejam secar com qualidade e eficiência.

A secagem de produtos agrícolas tem apresentado importantes ganhos de eficiência nas últimas décadas, mas ao mesmo tempo, o setor de pós-colheita clama por novos conceitos que sejam viáveis, técnica e economicamente.

Esta segunda onda representada pelo desenvolvimento dos Secadores de Múltipla Intermitência (desenvolvido pela Cool seed), trata-se de um secador que permite uma secagem segura e eficiente, por meio da disposição de diversas câmaras de secagem e repouso em um mesmo equipamento, respeitando assim os preceitos fundamentais do tempo necessário para a difusão de água de constituição de qualquer grão, em especial na fase final de secagem.

De operação simples, permite regular o tempo de exposição dos grãos ao ar de secagem e são apresentadas com capacidades entre 50.000 e 110.000 litros, podendo secar cargas parciais em frações de 25 – 50 – 75 e 100%. Se apresenta como alternativa inovadora para os secadores convencionais do século passado e resolver conhecidos problemas do cafeicultor.

Estes novos secadores têm como finalidade receber o café dos secadores de bandeja e concluir a secagem até a umidade necessária para sua armazenagem.

A rapidez em que o mercado cafeeiro brasileiro está se desenvolvendo e a necessidade de novas tecnologias para se manter competitivo frente a um mercado mundial em constante atualização, fez com que a Cool seed desse um passo a frente quanto ao desenvolvimento tecnológico na secagem de café.

A primeira onda iniciou com o Secador de Bandejas – SBJ, que se apresenta como alternativa viável, técnica e economicamente aos terreiros, para a secagem de produtos de baixa fluidez, como café e produtos nobres como castanhas, devido a flexibilidade operativa, robustez, economia de espaço, qualidade de secagem e custo. No caso do café, pode ser aplicado na pré-secagem para apoio aos secadores convencionais ou para finalizar a secagem até a unidade final de armazenagem.

O secador de bandejas é um sistema de leito fixo, onde o ar de secagem é distribuído uniformemente por meio de plenos e com dispositivos piramidais retráteis equipados com servomotores, para a abertura e descarga do produto sobre a fita inferior.

Sendo um dos grandes atributos a este sistema a grande flexibilidade de modulação, permitindo interligar até 5 unidades, atendendo assim o pequeno, o médio e o grande produtor.

Os equipamentos Cool seed podem utilizar duas fontes de ar de secagem.

UTA – UNIDADE DE TRATAMENTO DE AR – Trata-se de um equipamento desidratador de ar que utiliza sistemas de refrigeração para remover a água do ar ambiente, sendo que o calor é fornecido por meio de compressão mecânica de gás refrigerante, reduzindo a umidade do ar de secagem. Utiliza como fonte de alimentação a energia elétrica, podendo o ar chegar a 60 graus.

Apresenta muitas vantagens em relação aos sistemas convencionais, entre eles:-

  • Secagem não agressiva, pois a temperatura das sementes se mantém abaixo de 38 ºC durante a secagem;
  • Baixo custo de secagem, excelente desempenho energético;
  • Fácil limpeza;
  • Não há risco de incêndios;
  • Segurança aos operadores;
  • Operação desassistida.

FOR – FOGO INDIRETO – É um equipamento projetado inicialmente para utilizar lenha como fonte de energia, devido a carência de fontes elétricas de energia em determinados pontos ou fazendas, (mas podendo ser adaptado a outras fontes) e seu desenho permite alta eficiência na troca de energia entre os gases de combustão e o ar aquecido. Permite saltos térmicos de mais de 80 graus, com bom nível de automação, o que evita que erros operacionais coloquem em risco a qualidade ou integridade do grão.

Proporciona ar de secagem limpo, livre de fumaças ou faíscas e assim como as UTA’s são produzidos em diversas capacidades calorificas.

Ao centro, Francisco Ayala Barreto (diretor executivo da Cool Seed) comandou o evento, ao lado de Sami El Jurdi (diretor do Grupo Sami e representante na Alta Mogiana da Cool seed) e Ismael Nogueira Rodrigues Alves, cafeicultor que ajudou no desenvolvimento do primeiro SBJ.

Esta primeira edição do encontro, sediado na Fazenda Aleluia, em Franca (SP), teve como anfitrião seu proprietário Ismael Nogueira Rodrigues Alves, onde foi instalada alguns anos atrás uma vitrine tecnológica com 05 equipamentos modelo SBJ 15.000 litros e 01 UTA 120, totalizando 75.000 litros.

O evento reuniu todos os representantes Comerciais da divisão de café da empresa, além de Engenheiros, Supervisores de Montagem, Gerentes e Diretores da Cool seed para discutir, apresentar opiniões e conhecer as novas tecnologias desenvolvidas na área, possibilitando assim repassar a seus clientes novos conceitos e cenários sobre o café brasileiro.

Outro ponto preponderante para o encontro, o fato de repassar aos representantes além das questões de cunho comercial, as demais questões e treinamentos necessários as boas práticas de aplicação, dimensionamento de equipamentos e tendências de mercado no quesito café.

Em primeiro plano, o Engº Agrº Tomás Matuo, Representante Comercial na empresa Cool Seed

O produtor terá a oportunidade, com esta nova tecnologia, de adquirir uma maior qualidade de secagem, com ganho de velocidade e controle, podendo aumentar em várias vezes sua velocidade de secagem.

Primeiramente estes secadores estão sendo direcionados aos médios e grandes produtores, mas dentro de
pouco tempo esta tecnologia será disponibilizada a produtores com um menor fluxo de produção.

O primeiro equipamento da classe SMI (Secador de Múltipla Intermitência), modelo 40, será instalado na Fazenda Aleluia, em Franca (SP), minimizando o uso de terreiros na secagem do café, complementando assim junto com a UTA (Unidade de Tratamento de Ar), FOR (Fornalha de Fogo Indireto) e SBJ (Secador de Bandeja).

Segundo Mário Domingos, Supervisor da divisão Café, os equipamentos que existem na propriedade da Fazenda conseguem receber café cereja com 60% de umidade e secá-lo com total qualidade.

O Brasil é o maior produtor e exportador mundial de café e está passando por importantes mudanças tecnológicas, principalmente com a mecanização da colheita, acelerando em muito o tempo que era desprendido ao mesmo. Para manter a qualidade do grão, a mecanização e a aceleração no processo de secagem nunca se fez tão presente e necessária como nos dias de hoje.

Ao centro, Francisco Ayala Barreto (diretor executivo da Cool Seed) e Roberto Bortolotto (diretor de negócios da Cool Seed), com toda a equipe Cool seed.

A convenção foi também a oportunidade para a equipe da Cool Seed avaliar os erros e os acertos do passado e discutir o futuro da secagem do café. “Esse é o momento em que debatemos toda a estrutura do mercado, dos novos produtos que estão sendo lançados e estamos cogitando o futuro da parte de secagem e as inovações que o mercado está exigindo. Cada vez mais o produto e o mercado prezam por qualidade”, revela Roberto Bortolotto, Diretor de Negócios da Cool Seed.

O Diretor Executivo, Engº Francisco Ayala Barreto finaliza afirmando: “A base do sucesso da Cool seed está,
além da efervescência de inovação da sua equipe de engenharia, excelente corpo de gerentes e colaboradores, está também, nas parcerias com Universidades do Brasil e exterior assim como pela prática dos preceitos éticos empresariais sólidos que se refletem no respeito aos clientes, meio ambiente e inserção na comunidade por meio de importantes trabalhos de cunho social.

Temos visão de longo prazo e todas nossas ações estão norteadas por meio de um cuidadoso planejamento estratégico. Acreditamos no que é certo, na verdade, acreditamos nas pessoas, nas empresas e no Brasil”, disse Francisco Ayala.

Powered by Rock Convert

Related posts

Café solúvel cria marca setorial para o mercado nacional e internacional

Agricultura de SP libera o primeiro registro de comércio de agroquímicos para e-commerce

Revista Attalea Agronegócios

Área utilizada com cultivo do café robusta no Brasil ocupa apenas 375 mil hectares em 2018

Revista Attalea Agronegócios

Deixe um comentário