fbpx
Revista Attalea Agronegócios
Agroindústrias Bovinos de Corte Bovinos de Leite

Búfalos: Carne saudável e produtos lácteos certificados

A Associação Brasileira de Criadores de Búfalos (ABCB), por delegação do DIPOA – Divisão de Inspeção de Produtos de Origem Animal, estabeleceu no ano de 2000 o programa denominado “Selo de Pureza 100% Búfalo”, através do qual, concede aos Laticínios participantes autorização para aposição nos rótulos de produtos elaborados exclusivamente com leite bubalino de um “selo” representativo da certificação de origem do produto.

O objetivo do programa é garantir uma concorrência honesta entre produtos colocados no mercado, agregando valor àqueles elaborados exclusivamente com o leite da espécie, de qualidade reconhecidamente superior, além de garantir a segurança alimentar aos consumidores de tais produtos, submetendo-os a aferição periódica de sua composição através de exames laboratoriais de teste para identificação de espécies em produtos lácteos derivados de búfala com análises qualitativa e quantitativa para a presença de leite de búfala e leite de vaca, além de eventual fiscalização nos estabelecimentos produtores, realizados por seu Grupo Técnico de Controle (GTC).

O programa, de âmbito nacional, através da atuação dos participantes representados por sua Comissão Executiva busca ainda além de promover o selo em si junto aos formadores de opinião, compradores e mercado consumidor, difundir boas técnicas de fabricação entre seus membros, promover a difusão da exploração bubalina leiteira, assegurando uma maior e mais regular oferta de matéria prima, bem como estimular o maior consumo dos produtos derivados de leite de búfalas.

As condições para adesão ao programa é o compromisso de respeitar o regulamento, de submeter seus rótulos à apreciação da direção do programa a fim de que os mesmos não encerrem confusões quanto à origem da matéria prima.

Pesquisas efetuadas junto aos consumidores de derivados de leite de búfalo em São Paulo deram conta que, na percepção do consumidor, o selo vem agregando uma imagem altamente positiva e a intensificação das ações promocionais do programa certamente representam uma vantagem competitiva adicional aos produtos certificados e portanto, o fortalecimento do “selo”, que se dará com uma maior adesão dos fabricantes, permitirá uma potencialização do mercado como um todo, diferenciando e valorizando os produtos que o portem. Prova inequívoca disto é a evolução do volume de leite bubalino processado pelos participantes do programa. “A nossa responsabilidade junto ao Selo de Pureza é garantir aos consumidores a qualidade do produto sendo este 100% leite de Búfala A2A2”, completa João Batista de Souza, coordenador do programa.

João Batista de Souza, coordenador do programa “Selo de Pureza 100% Búfalo”.

LATICÍNIOS ASSOCIADOS COM SELO DE PUREZA DE ORIGEM CERTIFICADA:

Conheça os laticínio associados à ABCB, que possuem sua produção certificada com o “Selo de Pureza 100% Búfalo”. Clique e conheça o trabalho e os produtos diferenciados de cada uma das empresas.

. Bom Destino

. Família Rossato

. Búfalo Dourado

. Montezuma

. Laguna

. Karanã

. Natal

. Oro Bianco

. Estância Jaborandi

. Tapuio Agropecuária

Burrata, prato a base de mozzarella de Búfala.

O LEITE

O leite de búfalas possui características especiais e é a matéria prima ideal para a elaboração de diversos tipos de queijo, em particular, a tradicional mozzarella de búfala, um tipo de queijo fresco, de massa filada, originário da Itália, no século XVI, produzida exclusivamente com leite de búfalas, o que lhe confere sabor, aroma e textura inigualáveis. É moldado em diversos formatos tais como: bolas, nozinhos, tranças ou barras, sendo embaladas em soro ou não, e consumidas como entrada, aperitivo ou componentes na elaboração de diversos pratos.

A mussarela ou muçarela (como o dicionário recomenda a grafia) de leite de vaca é amarela, muito popular e utilizada para fazer pratos que precisam de bastante queijo derretido – e resulta em receitas bem gordurosas. Mas você sabia que a verdadeira mozzarella não pode levar um pingo de leite de vaca? A mozzarella italiana, que emprestou o nome – só o nome – para a nossa muçarela de vaca, só pode ser feita com leite de búfala e há um controle rigoroso do governo da Itália para que nenhum laticínio acrescente leite de vaca ao produto naquele país.

Queijo de Corte de Búfala

No Brasil, a Associação Brasileira de Criadores de Búfalo – ABCB criou o Selo de Pureza 100% Búfalo para identificar a mozzarella de búfala verdadeira e proteger o consumidor, pois o produto é alvo constante de falsificadores. A mozzarella de búfala, além de ter menos colesterol que a muçarela de vaca, já vem com Vitamina A pronta para o organismo consumir. A Mozzarella de Búfala é branquinha, pois o leite da búfala não possui betacaroteno, um precursor da vitamina A, que dá coloração amarelada ao queijo de vaca. O leite da búfala é branquinho porque possui a Vitamina A pura, ou seja, já disponível para o organismo absorvê-la mais rápido. Além disso, o queijo apresenta melhores índices nutritivos de proteínas, vitamina A, D e B2 e minerais quando comparado aos queijos de vaca.

Além disso, há outras curiosidades sobre a muçarela de vaca e a mozzarella de búfala:

. Proteínas        Búfalo:  4,00%       Bovino:   3,50%
. Lipídios          Búfalo:  8,00%      Bovino:   3,50%
. Lactose          Búfalo:  4,90%     Bovino:   4,70%
. Água               Búfalo: 82,00%     Bovino:  87,80%
. Colesterol Total    Búfalo: 214mg    Bovino: 319mg

Corte fraldinha de Búfalo

A CARNE

A carne de búfalo possui características nutritivas e particularidades que a tornam superior à carne bovina. Ela apresenta 40% menos de colesterol, 12 vezes menos de gordura, 55% menos calorias, 11% a mais de proteínas e 10% a mais de minerais.

Além disso, há outras curiosidades sobre a carne:

• A carne de búfalo tem aparência similar à carne bovina, porém a gordura é totalmente branca.

• O índice de gordura intramuscular é muito menor que o da carne bovina, permitindo que, retirando-se a gordura intermuscular, obtenha-se uma carne mais magra e saudável.

• O sabor e a forma de preparo são similares ao da carne bovina

• Nos Estados Unidos a carne de búfalo é muito consumida na forma de hambúrgueres com baixos teores de colesterol.

• Na Argentina, a carcaça do novilho é qualificada da mesma forma que o gado bovino e sua carne também usada em embutidos dietéticos.

• No Brasil os cortes são os mesmo da carne bovina, servindo tanto para churrasco como para panela ou forno.

• No uso doméstico, a melhor forma de descongelar a carne é colocar na geladeira normal no dia anterior ao uso. Após o descongelamento não volte a congelar.

FONTE: ABCB e ASCRIBU // Modificado de: Patrícia Prado – ANICE AUN ASSESSORIA DE IMPRENSA
WhatsApp: (11) 99523. 5823 – redacao@aniceaun.com.br

Related posts

DSM recebe a primeira autorização de mercado completa para o aditivo para rações redutor de metano Bovaer® para carne bovina e laticínios no Brasil e no Chile

Revista Attalea Agronegócios

São Paulo mantém índices superiores a 90% de vacinação contra a brucelose

11ª INTERCONF reúne mais de 1.200 pessoas em Goiânia (GO)

Revista Attalea Agronegócios

Deixe um comentário