Powered by Rock Convert
Revista Attalea Agronegócios
Image default
Bancos e Crédito Rural Política Agrícola

BNDES prorroga validade da linha para recomposição de dívidas agropecuárias

Deputado Jerônimo Goergen já havia solicitado prorrogação da vigência e a criação de um fundo garantidor para o acesso ao crédito.

O coordenador da Comissão de Endividamento Rural da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), deputado Jerônimo Goergen (Progressistas-RS), reafirmou nesta quarta-feira (30) a importância da manutenção da linha de recomposição de dívidas agrícolas do BNDES, criada em 2018 a partir da Circular 46. O parlamentar destaca que a linha tem um papel estratégico no apoio aos produtores rurais que enfrentam sérios problemas de renda. “A linha segue ativa e os pedidos de financiamento podem ser encaminhados. Solicitei a prorrogação do prazo de vigência e o comitê técnico do BNDES decidiu favoravelmente, faltando apenas o aval da diretoria do banco que isso seja efetivado”, destacou.

Outra sugestão apresentada pelo deputado é a criação de um fundo garantidor com recursos do BNDES para que os produtores que não tenham garantias também possam acessar os recursos previstos na Circular 46. “Ainda temos que reduzir os custos das operações, tanto para quem toma quanto para quem empresta. O governo poderia usar recursos do Tesouro para inclusive baratear os juros”, explicou o parlamentar.

Jerônimo explica que a crise de renda no campo é grave e os produtores precisam saldar seus débitos bancários e não bancários, condição número um para poderem acessar as demais linhas de crédito oferecidas pelos bancos. “O formato da securitização pode ser o mais adequado para os segmentos altamente endividados, como o arroz, e os que sofreram com frustrações climáticas”, finalizou.

Powered by Rock Convert

Related posts

Governo de SP amplia funções da CATI, que passa a se chamar CDRS.

Revista Attalea Agronegócios

[Roberta Züge] – As novas legislações para produção de leite: estamos prontos?

Contratação de crédito agropecuário soma R$ 119 bi em oito meses, em alta de 12%

Deixe um comentário