fbpx
Revista Attalea Agronegócios
Image default
Café NOTÍCIAS

Bahia ganha notoriedade na produção de café

Para comemorar o Dia Nacional do Café, celebrado em 24 de maio, a ABIC – Associação Brasileira da Indústria do Café lançará uma campanha para estimular o aumento da qualidade do café produzido no Brasil. Com o mote “Café certificado sempre vai bem”, a campanha pretende aumentar a oferta e procura por cafés certificados e garantidos quanto à qualidade, seja entre os do tipo Extra Fortes e Tradicionais, como entre os Superiores e os Gourmets, que são as diferentes categorias de qualidade do produto no Brasil.

Na Bahia, quarto maior produtor brasileiro, a Chapada Diamantina tem ganho notoriedade com a produção de cafés especiais. É daquela região o vencedor do 14º Concurso Nacional ABIC de Qualidade do Café. Com nota final de 8,62 pontos (em uma escala de 0 a 10), o microlote da cafeicultora Letícia Alcântara, produzido na Fazenda Divino Espírito Santo, no município de Piatã, venceu a disputa.

O segundo lugar também ficou com a Bahia. Foi para o café cereja descascado de Antônio Rigno de Oliveira, também de Piatã, com a nota de 8,57 pontos. Segundo o presidente do SINCAFÉ – Sindicato da Indústria de Café do Estado da Bahia, Antonio Roberto de Almeida, a campanha é oportuna.

Ele explica que a colheita do café arábica, já iniciada na Bahia e em outros estados produtores, mostra que o Brasil terá uma safra de excelente qualidade. De acordo com o dirigente, a tendência é que os brasileiros possam degustar diariamente cafés com qualidade ainda melhor, em todas as categorias.

Na avaliação do presidente do SINCAFÉ, a especialização no segmento gourmet é uma tendência de mercado. “O assunto foi discutido no recente Encontro Nacional do Café e pode ser uma alternativa para as indústrias de menor porte, que têm enfrentado dificuldade no mercado do varejo”, comenta.

Apesar do cenário de crise econômica, o consumo de café no Brasil apresentou alta de 3,6% em 2017, superando a expectativa da ABIC de crescimento de 1% a 1,5%. Para 2018, a associação nacional estima que o consumo chegue a 22,8 milhões de sacas.

Related posts

[Rodrigo Corrêa da Costa] – Mercado do Café – 11 a 15 de março de 2019

Manuseio e técnicas corretas aumentam lucro dos produtores de café no Espírito Santo

Pesquisa da APTA que avalia o cultivo em conjunto de camarão e lambari é premiada em congresso

Revista Attalea Agronegócios

Deixe um comentário