Powered by Rock Convert
Revista Attalea Agronegócios
AgroQuímicos NOTÍCIAS

Wisium parabeniza os 60 anos da imigração japonesa na colônia de Várzea Alegre

Importante data teve evento especial, com música e dança típicas.

1959 – Este ano foi marcante para muitas famílias japonesas que vieram para o município de Terenos, localizado em uma região que pertencia ao antigo Mato Grosso, e, atualmente, integra o Mato Grosso do Sul.

Recrutadas pelo governo japonês, estas famílias tinham como objetivos morar no Brasil e desempenhar atividades agrícolas. Entre os imigrantes, estavam os avós de Reinaldo Issao Kurokawa, atual presidente da Camva, Cooperativa Agrícola Mista de Várzea Alegre.

Naquela época, os imigrantes se organizaram no sistema de mutirão. Eles chamavam os vizinhos e se juntavam para, por exemplo, construir aviários e organizar uma campanha de vacinação para as aves. “As dificuldades fizeram com que eles se unissem”, diz Issao.

Desta união, nasceu, em 1962, a Camva. “A imigração japonesa e a cooperativa estão em total sinergia. A relação é muito estreita”, observa o presidente.

No início, a cooperativa comercializava diversos produtos. “Os cooperados chegaram a plantar verduras e cultivar diversas frutas, como abacaxi, tangerina e laranja”, recorda Paulo Okishima, diretor operacional da Camva e filho de um dos fundadores da cooperativa.

No entanto, entre todas as atividades desenvolvidas ao longo da história da Camva, a que teve mais êxito foi a Avicultura. “Todos os ovos consumidos vinham de fora da cidade e os pioneiros identificaram que a produção de ovos poderia ser uma ótima oportunidade”, destaca Issao.

Em 2003, a Camva inaugurou uma unidade de classificação de ovos, e, em 2012, a atual fábrica de ração, em comemoração aos 50 anos da cooperativa.

Atualmente, a Camva tem 26 produtores e oferece diversos serviços aos cooperados, como transporte dos ovos, venda e entrega dos produtos. “A cooperativa passa uma tranquilidade para o agricultor, que tem vários benefícios e não precisa, por exemplo, ter caminhões para o transporte dos ovos”, pontua Issao.

Comemoração

Os colonizadores realizaram, no dia 25 de maio, evento especial, no clube da colônia Várzea Alegre, para celebrar os 60 anos da imigração japonesa. De acordo com Okishima, a comemoração teve culinária, dança e música típicas. “Os filhos dos cooperados participaram, com diversas apresentações. Foi uma verdadeira festa”, observa o diretor operacional da Camva.

A Wisium parabeniza a Camva e a colônia de Várzea Alegre pelos 60 anos da imigração japonesa. “A CAMVA é um dos grandes exemplos em que, por meio do cooperativismo, a união entre a tradição e a evolução da tecnologia deram lugar a uma atividade eficiente, rentável para os associados e com valores que extrapolam os convencionais para um negócio. Além de qualidade e produtividade, a CAMVA e seus produtos trazem uma história de pioneirismo, muito trabalho e respeito ao próximo e ao meio. A cultura é celebrada juntamente com os 60 anos da imigração japonesa para a região”, destaca Rodrigo Miguel, vice-presidente de Negócios Wisium.

Sobre a Wisium

A Wisium é uma das 4 maiores marcas de premix do mundo, com presença em mais de 50 países e 11 centros de nutrição e desenvolvimento tecnológico próprios. A marca adota o “Espírito Wisium”, que propõe a construção de soluções em produtos e serviços de forma colaborativa, sugerindo, ouvindo e acompanhando os clientes.

Sobre a Neovia

Uma das empresas líderes globais de nutrição animal, a Neovia tem faturamento anual global da ordem de 1,7 bilhão de euros. No mundo, a empresa conta com 8.300 colabores, 75 sites de produção e 11 centros de nutrição. No Brasil, a empresa tem faturamento de R$ 1,7 bilhão por ano, 13 sites de produção, 2.600 funcionários e 3 centros de nutrição.

FONTE: Rodrigo Capella – Ação Estratégica
capella@acaoestrategica.com.br

Related posts

Centro de Genômica da UNICAMP oferece curso em Biotecnologia Agrícola

Palini & Alves realiza Dia de Campo na Fazenda Pinheiros, em Campos Gerais (MG)

Revista Attalea Agronegócios

Priscilla Rocha Silva Fagundes foi nomeada como diretora-geral do IEA

Deixe um comentário