fbpx
Revista Attalea Agronegócios
NOTÍCIAS

O caminho do calcário: da extração à mesa

Uma mesa posta, além de sinal de fartura, saúde e qualidade de vida, também representa o final de um longo processo de produção que envolve logística e tecnologia. Para alimentos como soja, milho e até mesmo o leite, a produção começa a partir do cuidado com o solo com um insumo básico: o calcário. Você sabe o que é o calcário e como é produzido? E como ocorre o processo de calagem?

O calcário é um mineral extraído de pedreiras, em sua maioria a céu aberto, em pequenas áreas de terra. A primeira etapa do processo de produção do insumo é a análise dos recursos naturais e econômicos. Há um estudo da presença do mineral, a quantidade, a qualidade e a viabilidade financeira e ambiental para a extração.

Pedreira de extração de calcário

Localizadas as rochas, inicia-se o processo de descobertura do solo, com a retirada de uma camada de terra e barro. Assim que as rochas estão expostas, são feitos furos onde detonadores são instalados para que ocorra a explosão e o mineral possa ser extraído. Assim, posteriormente, as rochas são carregadas até a indústria, onde passarão pelo processo de britagem, serão peneiradas e moídas, sendo assim transformadas em pó.

Todo esse passo a passo da extração do mineral é intenso nesta época do ano em regiões como Mato Grosso, forte demandante do insumo dados os recordes de produção do Agro. No Estado, o ritmo de trabalho nas mais de 30 fábricas instaladas é forte. Máquinas e pessoas mobilizadas, caminhões carregados para levar até as lavouras um grande aliado da produtividade.    

Aplicação de calcário em campo de produção de soja

O processo de calagem é amplamente utilizado nos solos brasileiros, ácidos na maior porção de sua extensão, incluindo Mato Grosso e outros grandes polos agrícolas. De acordo com a Associação Brasileira dos Produtores de Calcário Agrícola (Abracal), cerca de dois terços da área cultivável do país necessitam desse processo de correção da acidez, que consiste na neutralização do alumínio do solo, proporcionando mais cálcio, magnésio, equilibrando o ph do solo e aumentando a disponibilidade de nutriente para as plantas.

A partir de estudos do solo da área que será preparada para o cultivo ou semeadura (a depender da cultura), o calcário será incorporado. Importante salientar que, devido ao baixo índice de solubilidade em água e a baixa mobilidade do solo, é necessário que o insumo seja aplicado com antecedência.

Além de benefícios às plantas, a calagem influencia diretamente na alta da produtividade do solo, pois uma terra bem corrigida propicia o ambiente ideal para o desenvolvimento, tamanho das plantas e na qualidade do produto, de grãos mais encorpados, espigas mais cheias a pastos mais viçosos.

FONTE: Fabíola Karen – Íntegra Comunicação Estratégica
contato@comunicacaointegra.com.br

Related posts

Queijo artesanal de Salvaterra, Ilha do Marajó conquista mercado nacional

Revista Attalea Agronegócios

Imagem do agronegócio dentro e fora do país pautam encontro com Itamaraty

Revista Attalea Agronegócios

Operação Expresso mira esquema de sonegação bilionário na comercialização de café

Revista Attalea Agronegócios

Deixe um comentário