fbpx
Revista Attalea Agronegócios
Image default
Bancos e Crédito Rural NOTÍCIAS Tecnologia

Internet das coisas: BNDES dobra orçamento de chamada pública e apoiará 15 projetos-piloto

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) divulgou o resultado da chamada para seleção de projetos-piloto de internet das coisas (IoT) lançada em junho do ano passado. A seleção teve como foco apoiar soluções executadas por instituições tecnológicas públicas ou privadas sem fins lucrativos dentro do foco de cada um dos seguintes ambientes: cidades inteligentes, ambiente rural e saúde.

Embora a perspectiva inicial de orçamento fosse de R$ 15 milhões, a elevada quantidade e o bom nível dos projetos fez com que a diretoria do banco de fomento aprovasse uma ampliação do orçamento para R$ 30 milhões. Com isso, foi possível selecionar 15 planos de projetos-piloto de 11 instituições, contemplando todos os focos de atuação da chamada. Os investimentos somam R$ 88 milhões e o aporte do BNDES em cada um será limitado a 50% do valor total de cada plano.

Os planos selecionados contemplam todas as regiões do país e propõem soluções baseadas em IoT ligadas a temas como eficiência de redes de iluminação e uso de imagens e dados em tempo real na segurança pública; otimização de semáforos; aumento da produtividade rural por meio da gestão de pragas e previsão do microclima; otimização da gestão de maquinário no campo; monitoramento da saúde e bem estar animal por meio de sensores; automação da gestão hospitalar e monitoramento remoto de pacientes com hipertensão, obesidade, câncer e distúrbios do sono, além do diagnóstico à distância de retinopatia diabética.

Segundo Eduardo Kaplan, engenheiro do Departamento de Telecom, TI e Economia Criativa do BNDES, o ambiente de Cidades recebeu 23 propostas para os projetos-piloto, muitas relacionadas à iluminação pública inteligente. “Outros (projetos) identificaram oportunidades no tema de mobilidade urbana, tanto para a melhoria da eficiência dos semáforos, quanto para o georreferenciamento de veículos de transporte público coletivo, e outros foram relacionados ao tema de segurança pública, como o uso de câmeras eletrônicas para o monitoramento de veículos, quanto para a identificação de situações atípicas envolvendo pedestres”, revelou.

A gerente do Departamento do Complexo Industrial e de Serviços de Saúde, Carla Reis, revelou que foram selecionados projetos nas regiões Sul, Sudeste e Nordeste com objetivos variados. “Há projetos para monitoramento de pacientes hipertensos, com obesidade infantil e câncer, e também para monitoramento de ativos, como cilindros de oxigênio”. Segundo ela, a expectativa é que seja gerado um grande número de dados e, demonstrada a efetividade dessas tecnologias, elas sejam introduzidas, inclusive, no sistema público de saúde.

O engenheiro do Departamento do Complexo Agroalimentar e de Biocombustíveis do BNDES, Rafael Vizeu, destacou que as iniciativas do ambiente Rural envolvem as principais cadeias do agronegócio brasileiro: grãos, cana de açúcar, proteína animal e hortifrutigranjeiros. “Esses projetos vão atuar no tripé de IoT que consiste em sensores, transmissão de dados, via wireless, e sistemas de processamento de dados que analisar as informações e retroalimentar o processo decisório”, afirmou.

INTERNET DAS COISAS

O BNDES, em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), apoiou o estudo para o diagnóstico e a proposição de plano de ação estratégico para o país em IoT, coordenado pelo consórcio McKinsey/ Fundação CPqD/ Pereira Neto Macedo. O plano indicou quatro verticais que apresentaram maior impacto: cidades, saúde, rural e indústria.

Em novembro, o BNDES lançou, em parceria com Senai e Embrapii, outra seleção, com foco em planos de projetos-piloto de IoT para o ambiente industrial.

Estudo do McKinsey Global Institute indicam que os impactos do desenvolvimento de aplicações de IoT no Brasil, considerando os quatro ambientes podem chegar a US$ 132 bilhões (US$ 27 bi para Cidades; US$ 39 bi para Saúde; US$ 21 bi para Rural e US$ 45 bi para Indústria).

A SELEÇÃO

Realizada em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Comunicações (MCTIC), a chamada recebeu 53 planos de projetos-piloto, que totalizavam demanda de R$ 371 milhões em investimentos.

PROJETOS SELECIONADOS:

Rural

Centro de Pesquisas e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD) – Otimização no uso de máquinas agrícolas, monitoramento pluviométrico , gestão de pragas  e técnicas de pecuária de precisão para o bem-estar de bovinos. Municípios: Diamantino, MT; Correntina, BA; Pradópolis, SP; e Lucas do Rio Verde, MT

Embrapa Informática – Gestão de pragas e maquinário, monitoramento de bem estar animal na bovinocultura de leite e utilização de sistemas de IoT para integração lavoura-pecuária-floresta.  Municípios: Carazinho, RS; Santa Maria do Pará, PA; Castanhal, PA; Barbalha, CE; Valença, RJ; São Carlos, SP; São João da Boa Vista, SP; Itatinga, SP; Sinop, MT; Recanto das Emas, DF; Paraí, RS; Bom Despacho, MG; Boa Esperança, MG; Passos, MG; e Coronel Pacheco, MG

Fundação para Inovações Tecnológicas (Fitec) – Plataforma integrada de dados (clima, solo, manejo, máquinas, eficiência energética e eficiência hídrica) para monitoramento e recomendações sobre o uso de recursos naturais, insumos e maquinário. Município: Uberlandia, MG

Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) – Otimização de recursos energéticos, recursos naturais, insumos agrícolas, maquinário agrícola, além de soluções voltadas ao pequeno produtor agrícola. Municípios: Holambra, SP; e Santiago do Norte, MT

Related posts

Estudo da ESALQ mapeia o controle do greening

Revista Attalea Agronegócios

Consórcio Massey Ferguson completa 40 anos com 66 mil máquinas comercializadas

Revista Attalea Agronegócios

Sicredi destaca crescimento do segmento no Dia Internacional das Cooperativas de Crédito

Revista Attalea Agronegócios

Deixe um comentário