fbpx
Revista Attalea Agronegócios
ARTIGOS Máquinas e Implementos

[Cíntia Fázio] – Gestão de Máquinas Agrícolas: A frota não pode parar!

CÍNTIA FÁZIO
Engenheira Agrônoma. Pós-graduada em

Agronegócio, Gestão Empresarial e Inteligência Competitiva
cintiafazio@gmail.com

Para Ferraz e Vieira (2009), a manutenção corretiva representa a forma mais simples e primária de manutenção, ou seja, a recuperação dos equipamentos é realizada depois de ocorrer a quebra, e representa também a forma mais cara de manutenção sob a perspectiva total do sistema.

Segundo Monchy (1989), apud Guedin (2005, p.32) “a manutenção preventiva é uma intervenção de manutenção prevista, preparada e programada antes da data provável do aparecimento de uma falha”.

A manutenção é o conjunto de procedimentos realizados com o propósito de prolongar a vida útil dos equipamentos, procurando manter sempre disponível para o trabalho e em perfeitas condições de funcionamento.

O maquinário agrícola favorece a produção nas propriedades rurais, com eles alcançamos maiores resultados, por isso é de extrema importância a forma como são utilizados. Não diferente de todas as etapas de produção, o planejamento da sua frota é muito importante, pois máquinas paradas podem trazer prejuízos financeiros, sendo assim o ideal é que elas trabalhem na maior parte do tempo, parando apenas para abastecimentos e manutenções.

MÃO DE OBRA NÃO QUALIFICADA

Situação que vem mudando ao longo dos anos, mas ainda comum em algumas propriedades rurais, estamos falando dos colaboradores que não são treinados para desempenharem suas funções com as máquinas agrícolas, temos então o problema de quebras constantes, trabalhos executados de forma errada, acidentes de trabalho e consequentemente maiores custos. Avaliando tudo isso, se torna extremamente necessário que os colaboradores recebam treinamento adequado e que sejam orientados de forma a zelar pela segurança de todos e evitar danos ao maquinário.

IMPRUDÊNCIA

Monteiro (2010) afirma que em estudos realizados pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), mostraram que as atividades agrícolas, em especial a utilização de máquinas agrícolas, estão entre as três atividades mais perigosas para os trabalhadores, sendo que para cada três acidentes ocorrido no meio rural, um ocasionou a incapacidade permanente do trabalhador.

Existe sempre a possibilidade de acidentes, mas se torna maior quando o colaborador não trabalha atento ao que está fazendo ou quando age com imprudência.

Mesmo quando a equipe está com os treinamentos em dia, o gestor deve ficar atento a forma como as máquinas são operadas, chamando a atenção e demonstrando a forma correta de trabalhar, procurando minimizar erros que podem colocar em risco a integridade física de um ou mais colaboradores.

ATENÇÃO À MANUTENÇÃO

MACHADO et al. (1996) afirmam que manutenção adequada, aliada ao correto armazenamento das máquinas, aumenta a eficiência do trabalho, minimizando perdas de tempo com paradas para correção de eventuais problemas. Na gestão de máquinas agrícolas, é recomendado a manutenção preventiva que pode ser realizada periodicamente.

A realização de manutenção preventiva é sempre recomendada, pois evita maiores problemas e tem custo menor para o produtor. Ter suporte técnico adequado faz toda diferença. O produtor pode optar por mão de obra própria ou terceirizada, a escolha vai depender da real necessidade da propriedade rural, levando em consideração, sua atividade, tamanho de área e frota e tipos de máquinas utilizadas.

Uma das etapas da manutenção é a limpeza diária, semanal ou mensal, e cada máquina recebe um tipo de limpeza específico, pois desenvolve diferentes atividades. Maquinário sujo tem a eficiência comprometida, atrasando a produtividade e a entrega de resultados, gerando também maior custo com combustível e com trocas de peças. Sempre importante lembrar de treinar os colaboradores quanto a isso, explicando a importância de zelar pela frota. Na área administrativa podemos recorrer a diversas empresas que apresentam softwares de gestão, onde indicam entre várias outras situações, a troca de óleo de cada equipamento e sinaliza o momento de uma checagem geral.

MUITO IMPORTANTE!

• As manutenções da máquina devem ser feitas com o motor desligado.
• Não utilize elevadores hidráulicos quando for realizar o trabalho embaixo do trator, pois oferece maior risco. Use calços reforçados para suportar o peso da máquina.
• Os reparos nas mangueiras ou conexões do sistema hidráulico devem ser feitos com o motor do trator frio.
• Use sempre os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) específicos para cada atividade a ser realizada.
• Espere o motor esfriar para remover a tampa do radiador, evitando assim queimaduras.
• Nunca abasteça a máquina com combustível quando estiver fumando, utilizando celular ou sem máscara de proteção com filtro adequado.
• Os equipamentos não podem estar danificados, eles precisam oferecer segurança.

CUSTOS DE MANUTENÇÃO

Os custos de manutenção de uma máquina agrícola, corresponde a 100% do seu valor de compra, por isso é tão importante gerenciar os gastos bem de perto. Quando falamos de custos fixos e variáveis, é preciso que fique claro o que cada um significa.

Custos Fixos:- São os custos que precisam ser pagos mesmo com o maquinário parado. Exemplo: parcelas, seguros, juros e depreciação.

Custos Variáveis:- São os custos que contabilizam apenas quando o maquinário está em uso, ou seja, funcionando. Exemplo: Combustível, manutenção e etc.

DEPRECIAÇÃO

A maioria dos produtores já enfrentou a realidade de substituir equipamentos ao final de sua vida útil, mas para tanto é necessário considerar esse custo no planejamento financeiro. A tão assustadora depreciação é a diferença entre os valores de compra (quando nova) e de venda após a sua utilização, dividindo então pelo tempo de uso desse equipamento.

Com altos preços, as máquinas agrícolas apresentam a vantagem de ter alta durabilidade quando bem cuidadas, então como já foi visto é muito importante a manutenção preventiva em toda a frota.
No momento da troca, o ideal é o produtor procurar por empresas que possam oferecer maquinário adequado a sua atividade rural, que tenha excelente custo benefício e que disponha de bom corpo técnico, para eventuais serviços no período de garantia ou na eventual terceirização de mão de obra mecânica.

ABASTECIMENTO

Procurando evitar desgastes nos motores das máquinas agrícolas, o indicado é que os reabastecimentos sejam realizados ao final da jornada de trabalho, evitando assim que os vapores condensem dentro do tanque, então é recomendado que essa atividade seja incluída nas rotinas diárias, promovendo a correta manutenção preventiva das máquinas.

PORQUE PROMOVER A GESTÃO EFICIENTE DA FROTA

Com uma frota grande ou pequena, a aplicação de métodos eficientes de gestão, faz com que os equipamentos trabalhem mais e consumam menos, impactando diretamente nos custos de produção.

Conseguimos bons resultamos quando integramos, boa gestão com manutenção adequada e armazenamento correto, promovendo ações informativas aos funcionários, checagens periódicas e principalmente ao adquirir máquinas de empresas reconhecidamente honestas que ofe-reçam equipamentos de qualidade.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

FERRAZ, Fernando; VIEIRA, Antonio Aguiar. Gestão de manutenção do equipamento. Universidade do Porto – Faculdade de Engenharia-2009.

GUEDIN, Valmir Schneider. Manutenção preventiva em indústria de ração para nutrição animal: um estudo de caso. Universidade Estadual do Paraná Centro de Tecnologia Departamento de Informática. Maringá-PR, p. 29-31, 2005.

http://isaofrancisco.com.br/cartilhas/ep_manutencao_e_operacao_de_maquinas_agricolas_2014.pdf

MACHADO, A.L.T.; REIS, A.V.; MORAES, M.L.B.; ALONÇO, A.S. Máquinas para preparo do solo, semeadura, adubação e tratamentos culturais. Pelotas: UFPel, 1996. 229 p.

MONTEIRO, L. A. Acidentes com máquinas agrícolas – parte 1. 2010a. Disponível em: http://www.diadecampo.com.br/zpublisher/materias/Materia.asp?id=23419&secao=Colunas. Acesso em: 06/03/2021

Related posts

[Silas Brasileiro] – Balanço Semanal do CNC — 27 a 31/08/2018

Revista Attalea Agronegócios

[Alessandra Vacari, Gustavo Pincerato e Enes Barbosa] – Pesquisas desenvolvidas na Universidade de Franca para o Manejo Integrado de Pragas em cafeeiro

Revista Attalea Agronegócios

[Ensei Neto] – O que cada tipo de açúcar e adoçante traz para sua xícara de café

Revista Attalea Agronegócios

Deixe um comentário