Powered by Rock Convert
Revista Attalea Agronegócios
Café

Diferencial entre preços de Arábica e Robusta deve continuar maior do que em 17/18

A diferença entre os preços do arábica e do robusta aumentou no mercado brasileiro nos últimos meses. Em geral, as cotações de ambas as variedades caíram nesta temporada, mas as cotações da robusta estão diminuindo mais acentuadamente, ampliando a diferença para os preços do café arábica.

Nesta temporada (18/07 a 08/04 2019), o Índice CEPEA / ESALQ para café arábica tipo 6 (entregue em São Paulo) é 103,37 reais por saca maior que o índice CEPEA / ESALQ para o tipo 6 robusta, tela 13 Estado do Espírito Santo. No mesmo período da safra passada (2017/18), a diferença de preço entre essas variedades foi de 84,61 reais por saca.

O setor espera que esta diferença de preço se mantenha estável nos próximos meses, devido às baixas estimativas de preços para ambas as variedades. Em relação ao arábica, o grande volume produzido em 2018/19, a compensação dos estoques brasileiros e globais e a proximidade da safra 2019/20, cuja produção deve ser alta para um ano de ciclo bienal negativo, mantêm a pressão sobre as cotações.

Além disso, embora ainda seja cedo para especulações sobre a safra 2020/21, a produção de novas culturas renovadas nos últimos anos e o ciclo bienal positivo podem aumentar o potencial produtivo das lavouras, mantendo a pressão sobre as cotações arábicas no médio prazo .

Quanto à robusta, a produção também deverá ser maior, o que deve levar a novas quedas nos preços. Apesar dos problemas climáticos nos últimos meses, a produção em 2019/20 ainda deve ser alta e, com a recente renovação das lavouras, o potencial produtivo também deve crescer.

PREÇOS

Os preços de arábica caíram acentuadamente no Brasil na primeira quinzena de abril, pressionados pela retração dos agentes, devido à desvalorização internacional da variedade. Quedas de preço no exterior, por sua vez, foram ligadas a fatores técnicos e maior produção de arábica no Brasil – em relatório divulgado em 11 de abril, o IBGE revisou a produção de arábica em 1,3%, para 38,7 milhões de sacas.

Em 15 de abril, o Índice CEPEA / ESALQ para café arábica tipo 6 (entregue em São Paulo) fechou a 380,58 BRL (98,34 USD) por saca de 60 quilos, 3,2% abaixo do registrado em 29 de março.

Em relação ao robusta, as cotações também diminuíram, pressionadas pela desvalorização internacional do dólar norte-americano. O índice CEPEA / ESALQ para a tela tipo robusta 6, tela 13, Espírito Santo, fechou em 289,48 reais (74,80 dólares) por saca de 60 quilos em 15 de abril, 4,3% abaixo na mesma comparação.

EXPORTAÇÕES

Em março, as exportações brasileiras de café verde (arábica e robusta) caíram 18,8% em relação a fevereiro, mas aumentaram 14,2% em relação a março / 18, segundo o Cecafé (Conselho dos Exportadores de Café). Apesar das quedas, o volume embarcado no mês passado ainda é considerado positivo, devido ao período de entressafra e ao recorde de exportações em janeiro e fevereiro. Espera-se que a temporada 2018/19 termine com exportações recordes, perto de 40 milhões de sacas.

 

FONTE: Cepea-Brasil

Powered by Rock Convert

Related posts

Agrishow 2019: Público do estande da Secretaria de Agricultura aprova café robusta paulista

[Guy Carvalho] – Altas temperaturas e os prejuízos ao cafeeiro: retorno dos cafeicultores

Revista Attalea Agronegócios

CAPAL: Presente na 11ª FICAFÉ em Jacarezinho (PR)

Revista Attalea Agronegócios

Deixe um comentário