Powered by Rock Convert
Revista Attalea Agronegócios
Café EVENTOS - DESTAQUES Política Agrícola

Agrishow 2019: Público do estande da Secretaria de Agricultura aprova café robusta paulista

Mais de três mil doses de café foram servidas nos cinco dias de evento.

O cheirinho de café se espalhou pelo estande da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo na Agrishow 2019. A Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA) em conjunto com a Treviolo Cafeicultura Eldorado expuseram os trabalhos de pesquisa relacionados à produção de café robusta em terras paulista.

A ideia é incentivar principalmente os pequenos produtores a cultivarem esse tipo de café em regiões de baixas altitudes, como o Oeste Paulista. Na AGRISHOW, mais de três mil doses de café robusta foram servidas ao público.

A estudante de agronegócios da Faculdade de Tecnologia dos Estado de São Paulo (Fatec), Angélica Fernandes, foi uma das visitantes que aprovou o cafezinho. “Achei o sabor mais completo. Você sente na boca toda, diferente do café do dia a dia que você sente o gosto só na língua”, afirma.

De acordo com Edvaldo Frasson, da indústria Treviolo e vice-presidente da Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic), o café robusta de boa qualidade já é realidade em São Paulo. “A produção do robusta em terras paulistas é importante para a indústria, por diminuir os custos de logísticas oriundos do transporte desse tipo de café do Espirito Santo e Rondônia para torrefação em São Paulo. O estado é o maior consumidor de café expresso e solúvel do Brasil”, afirma.

Os trabalhos desenvolvidos pela APTA com café robusta são realizados em conjunto com cinco pequenos produtores do Oeste Paulista, região com temperaturas médias de 23ºC e altitude de 400 metros, consideradas ideais para o cultivo desse tipo de café.

“O arábica não vai bem nessa região, pois deve ser cultivado em altitudes mais elevadas, já que esta espécie se originou em altitudes entre 1.500 e 2.000 metros, além de temperaturas amenas. O robusta traz uma nova opção de renda para pequenos produtores da região de Adamantina. As pesquisas são feitas em parceria com a empresa Treviolo Café”, afirma Fernando Nakayama, pesquisador da APTA.

Além do suporte aos produtores, a APTA e a Treviolo se uniram para desmistificar a ideia de que o café robusta tem baixa qualidade. “Fizemos na Agrishow blends com café robusta e arábica em diversas porcentagens. O público gostou. Percebemos que muita gente experimentou e depois voltou para tomar mais um cafezinho”, conta João Paulo Soares de Figueiredo, da Treviolo.

Demanda aquecida

Segundo Nakayama, é inquestionável o crescimento comercial do café robusta. Sua participação na produção mundial saltou de 18% na década de 60 para 40% nos dias atuais. Este tipo de café é ideal para a produção de café solúvel, considerado a porta de entrada para o universo do café em países que tradicionalmente consomem chá. “O consumo de café solúvel cresce 10% ao ano em países emergentes como China e Indonésia, sem mencionar os produtores, como México, que são grandes consumidores de solúvel. Além disso, é maciçamente utilizado nos blends com o café arábica, em cafés populares, gourmets e expressos”, explica.

Sobre a APTA

A Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, tem a missão de coordenar e gerenciar as atividades de ciência e tecnologia voltadas para o agronegócio. Sua estrutura compreende o Instituto Agronômico (IAC), Instituto Biológico (IB), Instituto de Economia Agrícola (IEA), Instituto de Pesca (IP), Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL) e Instituto de Zootecnia (IZ), além dos 11 Polos Regionais distribuídos estrategicamente no Estado de São Paulo.

Balanço Social realizado pela Agência no biênio 2016/2017 mostrou que a cada real investido, a APTA retornou R$ 12,20 para a sociedade. As 48 tecnologias analisadas e adotas pelo setor produtivo tiveram R$ 10,9 bilhões de impacto econômico no período. Isso significa mais produtividade no campo, sustentabilidade da produção, renda para o produtor rural e alimentos de qualidade para a população.

 

FONTE: Fernanda Domiciano – ASSESSORIA IMPRENSA APTA

Powered by Rock Convert

Related posts

Vietnã em ritmo chinês

Revista Attalea Agronegócios

Produtora de Manhuaçu (MG) vence 4º Torneio de Melhor Café Fair Trade do Brasil

Revista Attalea Agronegócios

Bahia ganha notoriedade na produção de café

Revista Attalea Agronegócios

Deixe um comentário