fbpx
Revista Attalea Agronegócios
Aves e Suínos

Síndrome Metrite Mastite Agalaxia (M.M.A.) ataca até 15% das matrizes suínas do plantel

A síndrome metrite – mastite – agalaxia, também denominada de MMA, tradicionalmente caracteriza-se por uma supressão total da lactação (agalaxia) ou parcial (hipogalaxia), ocorrendo em fêmeas até 72 horas após o parto. “A MMA vem sendo descrita há pelo menos 50 anos, mas em 1998 foi proposto nomear a doença como Síndrome da Disgalaxia Pós-Parto (SDP), desde então esta terminologia é reconhecida e bem aceita na comunidade científica. Na prática, a incidência da SDP/MMA pode variar consideravelmente entre 1 a 60%, com uma incidência média de 15%”, ressalta André Buzato, coordenador técnico de suínos da Vetoquinol Saúde Animal.

A SDP é uma patologia que acomete a fêmea suína em granjas em todo o mundo, principalmente nas criações mais intensivas. “Sem dúvida, é o processo patológico mais importante que afeta as fêmeas suínas no puerpério, sendo que as leitoas são a categoria mais acometida”, destaca Buzato.

Pode-se considerar a MMA  como sendo  a forma mais severa e aguda da SDP, sendo que a produção de leite é praticamente nula (agalaxia).  Além disso, a fêmea apresenta uma inflamação da mama (mastite), acompanhada por uma inflamação do útero (metrite) e febre (39,5-41ºC). Embora este seja o “nome mais conhecido” desta síndrome, nem todos os casos atingem uma forma tão grave de manifestação, mas em determinadas situações o quadro pode evoluir para uma infecção generalizada (speticemia), podendo levar a fêmea à morte.

De acordo com Buzato, a SDP em matrizes suínas é definida como uma patologia caracterizada pela inadequada e insuficiente produção de leite e colostro durante os primeiros dias pós-parto. “Estes sintomas causam aumento na mortalidade pré-desmame e uma diminuição no desenvolvimento dos leitões durante a lactação. Na prática, a SDP tem sido considerada como uma das principais causas de problemas neonatais em criações intensivas de suínos”, diz o coordenador técnico de suínos da Vetoquinol Saúde Animal.

A SDP apresenta-se majoritariamente de forma subclínica, isso tem consequências que não são prontamente detectáveis. Estas são percebidas principalmente no aumento das diarreiais neonatais, na diminuição do crescimento e no aumento do número de leitões esmagados. Com isso, a integridade do complexo mamário e uma adequada produção de leite tem assumido uma importância cada vez maior para uma adequada criação e desenvolvimento dos leitões até o desmame.

“Diante deste cenário, percebe-se a necessidade de um maior entendimento da complexibilidade dos fatores que envolvem a SDP no sistema de produção intensiva de suínos, e a importância de avaliarmos o uso de novas abordagens profiláticas no pós-parto com princípios ativos que possam impactar positivamente na produtividade das leitegadas, como é caso do AINE (anti-inflamatória não esteroidal) a base de ácido tolfenâmico 4%”, explica Buzato.

Para o tratamento da Síndrome MMA/SDP, a Vetoquinol oferece Tolfedine CS, primeiro anti-inflamatório não esteroidal à base de ácido tolfenâmico, princípio ativo exclusivo da empresa no Brasil, que atua como adjuvante no tratamento da Síndrome M.M.A. “Tolfedine CS tem tripla ação – analgésica, anti-inflamatória e antipirética – e oferece potente tratamento para a Síndrome da MMA/SDP em uma única dose de ação rápida e prolongada”, conclui André Buzato. 

 

FONTE: Flávia Pisani – TEXTO COMUNICAÇÃO CORPORATIVA
imprensa.vetoquinol@stapress.com.br

Related posts

[Paulo Roberto Raffi] – Biosseguridade de granjas de aves matrizes de corte

Antimicrobianos devem ser utilizados de forma racional nas granjas

Revista Attalea Agronegócios

Setor de equipamentos participa em peso do SIAVS 2019

Revista Attalea Agronegócios

Deixe um comentário