Powered by Rock Convert
Revista Attalea Agronegócios
Peixes e Pescados

Produção de tilápia cresce 11,9% e Brasil se consolida como 4º maior produtor mundial

Ter uma vida saudável, regrada e com uma alimentação de qualidade, não é uma tarefa fácil. Mas aos poucos a adesão por qualidade de vida tem aumentado não só no Brasil como no mundo. E um dos alimentos que tem marcado presença cada vez mais nas mesas é o peixe, principalmente, a tilápia. Espécie que encabeça a lista dos peixes de água doce mais produzidos no Brasil, atingindo 400.280 t. em 2018, 11,9% a mais que em 2017, de acordo com dados divulgados em 2019 pelo anuário Peixe BR da Piscicultura.

Atualmente, de acordo com o Censo Agropecuário 2017, do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia -, há mais de 455 mil unidades de criação de organismos aquáticos em todo o país. O Sul segue na liderança com 273.015 estabelecimentos, responsável por 60%, Sudeste (57.074), Nordeste (48,881), Norte (48.286) e Centro-Oeste (28,285). Os cinco estados líderes em produção de tilápias são Paraná (123 mil toneladas), São Paulo (69.500 t.), Santa Catarina (33.800 t.), Minas Gerais (31.500 t.) e Bahia (24.600 t.), que juntos produzem cerca de 70% de toda tilápia nacional.

O país é o quarto maior produtor de tilápias do mundo, atrás da China (1,86 milhão de toneladas), Indonésia (1,25 milhão t.), Egito (860 mil t.) e à frente de Filipinas (330 mil t.) e Tailândia (250 mil t.). De acordo com a FAO – Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação – o mundo produziu 84 milhões de toneladas de peixes de cultivo em 2018 e o objetivo é superar 100 milhões de t. em 2025. A tilápia foi responsável por 6 milhões de toneladas em 2018 e o Brasil contribuiu com aproximadamente 400 mil t., representando 6,67% do total global.

As perspectivas para 2019 são otimistas. Conforme dados da FAO, a China deve produzir em torno de 1,93 milhão de toneladas este ano, Indonésia 1,35 milhão de t., Egito 900 mil t., Brasil 450 mil e Filipinas 350 mil e a demanda global por proteínas deve aumentar 16% até 2025.

No passado, de acordo com a Secretaria de Comércio Exterior e Serviços (SECEX), o Brasil exportou US$ 136 milhões em pescados congelados, frescos e refrigerados. Deste valor, em torno de US$ 5,5 milhões foram da exportação de tilápias, espécie responsável por 55,4% da produção total de peixes do país. Apesar da produção de peixes cultivados, o Brasil é um grande importador de pescados, sinalizando para toda a cadeia que é possível crescer bastante.

Nutrição Animal

Para manter a produtividade é importante que o criador fique atento a dieta do animal. A Guabi, que sempre está à frente desenvolvendo produtos com tecnologia, acaba de lançar as linhas GuabiTech e Evolution para peixes e camarões. A Guabi vem construindo o Projeto Aqua do Futuro, desde 2016.

A primeira ferramenta lançada foi o SIGAD – Sistema Guabi de Alto Desempenho, um método para avaliar e direcionar ações, treinamentos, investimentos nas propriedades que leva em consideração os seis pilares do aquanegócio: nutrição, genética, ambiente/manejo, gestão, infraestrutura e biossegurança. Em seguida foram inclusos os aplicativos para gerenciar, anotar, fazer gráficos, relatórios e tantas outras funções a partir de um smartphone, para acessar a qualquer hora ou lugar os dados da produção. E, finalmente, a terceira ferramenta que é o Programa de Alimentação Guabi Aqua Gen.

“Estas duas linhas de produtos atingiram o estado da arte da nutrição de organismos aquáticos, são cientificamente balanceadas e levam o pacote Gen, um blend de inovações que melhoram o desempenho e a saúde, usando apenas aditivos naturais. Neste blend estão os microminerais orgânicos, que substituíram totalmente os inorgânicos, um complexo de enzimas digestivas, mais proteção contra micotoxinas, e a Nutrigenômica, desenvolvida pela Alltech, em seu laboratório em Lexington, Kentucky, nos Estados Unidos, um dos maiores e mais modernos do mundo e o único especializado em Nutrigenômica Animal. Estamos propondo aos nossos parceiros que busquem o alto desempenho, pois essa é a Aquacultura do Futuro”, relata João Manoel Cordeiro Alves, gerente de Produtos para Aquacultura da Guabi.

Guabi Nutrição e Saúde Animal é uma empresa que há mais de 44 anos se dedica ao desenvolvimento e fabricação de produtos de alta qualidade, voltados para o bem-estar de todo o ciclo: animais, produtores, criadores e consumidor final. Investe na qualidade dos insumos e tecnologias de ponta que garantam o melhor resultado, e é hoje uma das maiores empresas de nutrição e saúde animal do país.

Tem forte atuação em todos os estados brasileiros e exportações frequentes para mais de 30 países. Atualmente, a Guabi possui cinco unidades fabris distribuídas pelo Brasil, além de dois Centros de Distribuição localizados na região Nordeste e de seu escritório nacional, em Campinas (SP).

FONTE: Jessica Alves – LN COMUNICAÇÃO
jessica.alves@lncomunicacao.com.br

Related posts

Pesquisa da APTA que avalia o cultivo em conjunto de camarão e lambari é premiada em congresso

Revista Attalea Agronegócios

Embrapa desenvolve metodologia inovadora para avaliar fatores de sucesso na piscicultura

Revista Attalea Agronegócios

Pesquisa retrata principais polos de criação de tilápia do Brasil

Revista Attalea Agronegócios

Deixe um comentário