fbpx
Revista Attalea Agronegócios
NOTÍCIAS

Jovem brasileira foi selecionada para participar do GapSummit, congresso de Biotecnologia em Harvard e no MIT

Letícia Marques, de 22 anos, foi selecionada para participar do principal evento de biotecnologia do mundo. O GapSummit ocorre entre 16 e 20 de junho em Harvard e no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos Estados Unidos.

A cúpula acontece todos os anos com o intuito de estimular temas como: cadeia de valor na agricultura; diagnósticos de patógenos vegetais; prevenção de doenças; entre outros. Experts no assunto e representantes de grandes empresas e instituições do setor darão palestras ao longo do congresso.

Para participar, a jovem passou por uma seleção que analisou sua trajetória profissional e os projetos de reaproveitamento de alimentos que desenvolve no Brasil. Agora selecionada, ela participará das atividades propostas que abrangem desde desenvolvimento de projetos com oportunidade de ganhar prêmios, até palestras com especialistas do setor.

O principal objetivo do evento é solucionar os principais desafios da biotecnologia hoje. O congresso vai subsidiar os melhores projetos, que já devem começar a ser desenvolvidos pelos grupos agora em fevereiro para que sejam apresentados em junho. Única representante do país no evento, Letícia espera contribuir para avanços no setor.

“É uma honra representar a biotecnologia brasileira, onde conseguimos fazer tanto com tão poucos recursos. Além disso, fico muito feliz pela equipe do GapSummit confiar em mim para auxiliar no redirecionamento desta tecnologia no mundo”.

O projeto que será apresentado pelo grupo que Letícia faz parte pretende unir a cadeia de valores agrícolas da África Subsaariana em vários pontos, como, por exemplo, suprimento de insumos, cultivo, armazenamento e distribuição. O plano é iniciar na Etiópia e usar a infraestrutura de empresas de distribuição já existentes e consolidadas na África para auxiliar nesse processo.

Anteriormente, enquanto ainda era estudante de Biotecnologia da Universidade de Brasília, Letícia estava em dúvida sobre que rumo seguir. O divisor de águas em sua vida foi ter participado do Youth Ag Summit (YAS), em 2017. Pensado pela Bayer, este projeto reúne a cada dois anos cem jovens de todo o mundo, com idades entre 18 a 25 anos, para desenvolverem soluções e buscarem respostas para uma das questões mais desafiadoras da sociedade: como alimentar um planeta faminto de maneira mais sustentável.

Em 2019 o Brasil recebe a 4ª edição deste encontro, que já aconteceu no Canadá, Austrália e Bélgica. Mais informações no portal do evento: http://www.youthagsummit.com

Atualmente Letícia colhe os frutos dessa participação: ser YAS Alumni lhe deu destaque para esta oportunidade no GapSummit. Além disso, a jovem encabeça projetos ligados à segurança alimentar no Sesi (Serviço Social da Indústria) e na EMBRAPA.

“Participar do YAS me ajudou muito a ampliar os horizontes e me deu um direcionamento sobre o que eu realmente gostaria de trabalhar, que acabou sendo alimentação saudável, tecnologia de alimentos e segurança alimentar”.

 

FONTE: Jaqueline Braz – Weber Shandwick 
 jbraz@webershandwick.com 

Related posts

Irrigação possibilita cultivo de cana de açúcar convencional e orgânica o ano todo

Revista Attalea Agronegócios

Klabin e Embrapa desenvolvem pesquisa que une produção de celulose e carne de baixo carbono

Revista Attalea Agronegócios

Agricultura de São Paulo dá voz ao usuário do sistema Gedave para melhorar a emissão da GTA

Deixe um comentário