fbpx
Revista Attalea Agronegócios
Café

Drª Thaís Ramalho Bean (FAZU) explica o trabalho de sequenciamento do genoma do vírus da Mancha-Anular

O Coffee ringspot vírus (CoRSV) conhecido popularmente como vírus da Mancha-Anular do Cafeeiro é uma virose originária do Brasil e foi descrita pela primeira vez em 1938 no Estado de São Paulo.

O vírus da Mancha-Anular é transmitido pelo ácaro Brevipalpus phoenicis (Geijskes) (Acari: Tenuipalpidae) e induz sintomas de manchas cloróticas circulares ou irregulares nos frutos, folhas e ramos de plantas de café. Esses sintomas são acompanhados de queda prematura das folhas, ocasionando assim uma diminuição na produtividade devido à redução da área fotossintética da planta.

Além do mais, os frutos infectados possuem pior qualidade de bebida, além de serem mais facilmente infectados por outros patógenos.

A Drª Thaís esclarece que as principais cultivares de café Arábica são suscetíveis ao vírus da Mancha-Anular do Cafeeiro, que está presente em todo território nacional. “Estima-se ainda que as mudanças climáticas terão um impacto negativo no suprimento global de café, não apenas em termos de impacto ambiental, mas também influenciando o surgimento de pragas e patógenos emergentes, como o CoRSV”, completa.

Créditos das Imagens: Stephaní Rodrigues (FAZU)
Assessoria de Imprensa: Daniela Miranda (FAZU)

www.fazu.br

Criação: Leon Produtora
felipe@leonprodutora.com.br

Related posts

Balanço final supera números parciais e comprova que 1ª ALTA CAFÉ veio para ser referência na cafeicultura na Alta Mogiana

28º Prêmio Ernesto Illy fecha inscrições em 14 de setembro

Altas incidências de ferrugem nesta época do ano pedem atenção dos produtores de café

Deixe um comentário