fbpx
Revista Attalea Agronegócios
AgroRevendas EVENTOS - DESTAQUES Milho e Soja

Agro Alta apresenta o 20A38 Vip3, o novo híbrido de milho da Sempre Agtech

Tour de Campo foi realizado na Fazenda Brejo Limpo e Fazenda Bela Época. Destaque também para a linha de fertilizantes e produtos da Compo Expert, PrimaSea e De Sangosse.

No dia 08 de julho último, a Agro Alta Comércio e Insumos Agrícolas realizou, em parceria com a Sempre Agtech, um Tour de Campo na Região da Alta Mogiana, com a proposta de apresentação do novo híbrido de milho 20A38 Vip3. O evento foi realizado em duas propriedades: Fazenda Brejo Limpo (Irmãos Cury), no município de São José da Bela Vista (SP) e na Fazenda Bela Época (André e Luis Cláudio Cunha), no município de Ribeirão Corrente (SP).

Com sede em Chapecó (SC) e com unidades de pesquisa e desenvolvimento em Goiás e no Paraná, a Sempre Agtech é uma empresa 100% nacional e referência no mercado em termos de genética e biotecnologia para híbridos de milho. “Desde a sua criação, o objetivo da empresa é oferecer híbridos de alta qualidade que atendam às demandas e anseios dos produtores e aumentem a produtividade no campo. Através do melhoramento genético, a Sempre Agtech conseguiu alcançar híbridos com excelente teto produtivo e grande tolerância às doenças, principalmente, ao complexo de enfezamento ocasionado pelo ataque da Cigarrinha”,explicou o consultor Cláucio Gaspareto.

O consultor da Sempre Agtech Cláucio Gaspareto na apresentação do novo híbrido 20A38 Vip3, na Fazenda Brejo Limpo.

Tradicional revenda agropecuária da Região da Alta Mogiana, a Agro Alta é especializada na cafeicultura, constando em sua equipe profissionais especializados, bem como com um portfólio diferenciado para a obtenção das melhores produtividades na cultura do café. “A Agro Alta nasceu do café. Mas temos por missão atender as necessidades do agricultor. Nos últimos anos, muitos produtores nos procuraram, para compra de sementes e recomendações para milho, soja e sorgo. Entendendo o potencial da produção de grãos na Região da Alta Mogiana, decidimos procurar uma empresa parceira. Dentre as indicações que recebemos, optamos pela Sempre Agtech e estamos muito felizes com a parceria efetivada, por ser uma empresa com uma tecnologia extremamente elevada em suas áreas de pesquisas”, explicou Márcio Gamba, gerente comercial da Agro Alta.

Márcio Gamba, gerente comercial da Agro Alta, explicando o trabalho desenvolvido com o híbrido 20A38 Vip3 na Fazenda Brejo Limpo.

Atualmente, a Sempre Agtech atua em todo o Brasil, nas áreas de pesquisa e desenvolvimento e também comercial. “Mas a caminhada para atingirmos essa abrangência foi longa, foram mais de 20 anos de pesquisa, desenvolvimento e investimento para criarmos o nosso próprio banco de germoplasma e ter os primeiros híbridos para serem comercializados”, explicou Cláucio Gaspareto.

Segundo o consultor, antigamente, para uma empresa entrar no mercado de milho, tinha que desenvolver o seu próprio banco de germoplasma, o que demanda muito tempo e investimento. Atualmente, grandes empresas do setor estão licenciando materiais para empresas terceiras produzirem, o que acelera o surgimento de novas empresas no mercado.

“Foi em 2016 que a Sempre Agtech chegou na fase comercial, começando a comercializar seus primeiros híbridos. Inicialmente no Estado de Goiás, onde fica a sua UBS, que está localizada em Santa Helena (GO), onde também fica um de nossos centros de pesquisas e também da maioria das empresas de sementes de milho do Brasil. Rapidamente expandimos as atividades comerciais para a Bahia, Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Região Sul do Brasil. Hoje atuamos de maneira efetiva em todo o território nacional”, orientou.

A partir de 2022, reforçada com a parceria com a Agro Alta, a Sempre Agtech passou a atuar também no Noroeste do Estado de São Paulo. “No Estado de São Paulo estamos trabalhando com quatro híbridos de milho. Dois deles tem aptidão para grão e silagem e dois deles somente para grão, sendo um superprecoce, voltado para áreas de pivô central, de alta tecnologia e alta fertilidade”, disse Cláucio.

“Apresentamos no evento o híbrido de milho 20A38 Vip3, do qual consideramos o carro-chefe da empresa. Hoje, nós temos certeza que a Cigarrinha é um problema muito sério para quem planta milho em todo Brasil. Tem produtor de milho fazendo quatro, cinco e até oito aplicações de inseticidas contra a Cigarrinha. Podemos dizer que o 20A38 é – até por sorte da Sempre por ter sua unidade de pesquisa e UBS em Santa Helena (GO), região considerada o berço da Cigarrinha –, é um híbrido obtido até mesmo por seleção natural. Desta forma, o 20A38 Vip3 é considerado hoje um dos melhores híbridos do mercado, com tolerância ao complexo de enfezamento causado pelo ataque da Cigarrinha”, explicou o consultor.

Ao centro, Lucas Soares mostra a Fernando Cury e André Cunha o potencial do 20A38 Vip3.

Na Fazenda Brejo Limpo, o experimento foi implantado no dia 1º de março, enquanto que na Fazenda Bela Época o plantio foi feito três dias após. Em ambas, com adubação de plantio (13-09-09) de 380kg/ha.

“O 20A38 Vip3 é um hibrido que apresenta um teto produtivo alto e quando manejado adequadamente, atinge altas produtividades. Quais seriam os pontos fortes dele? O alto potencial produtivo, a alta sanidade foliar e do colmo. É um híbrido que floresce em média de 60 dias (entre 57 a 62 dias). Tem uma rápida perda de umidade do florescimento até a entrega para a colheita (precocidade) e ele tem uma boa estabilidade produtiva. O porte da planta é de 2,20m a 2,30m de altura, com altura de inserção de espiga em torno de 1,10m”, explicou Cláucio.

Márcio Gamba destacou um outro ponto forte do novo híbrido da Sempre Agtech: o peso do grão. “É um milho que possui um grão pesado, com sabugo fino e grãos profundos. É um milho que pesa bastante. Eu e o Lucas Soares visitamos vários campos de demonstrativos da empresa aqui na região nesta safra. Sempre procurando comparar com o milho padrão-fazenda que, em alguns casos, a espiga era maior. Porém, quando comparados com o 20A38 Vip3 com o mesmo tamanho de espiga, o peso do grão foi muito diferente. É um híbrido com uma maior densidade do grão”, afirmou Gamba.

Engº Agrº Lucas Soares apresenta aos participantes o experimento com NovaTec e Primaz.

Outra análise comparativa foi feita em uma área de produção de milho em pivô central, ainda na Região da Alta Mogiana. “Em um experimento realizado em uma propriedade da região, comparando o híbrido 20A38 Vip3 com o milho padrão-fazenda, delimitamos sete ruas de milho por três metros de linha, o que dava em média nove metros quadrados. Ao comparar somente as espigas, o 20A38 Vip3 superou em quase 2kg, mesmo com o visual da espiga padrão ser melhor. Outro detalhe que observamos nesta área e também na lavoura do André Cunha (Fazenda Bela Época) são muitos pés com duas espigas. A segunda espiga bem menor, mas sadia, mas com grãos bem desenvolvidos”, apontou o Engº Agrº Lucas Soares, da Agro Alta.

Para Cláucio Gaspareto, esta é uma das principais características do 20A38 Vip3, novo híbrido da Sempre Agtech. “Espigas com sabugos finos, grãos profundos e com uma densidade de grão bastante alta”, disse.

À esquerda, espiga de milho híbrido 20A38 Vip3: maior densidade e maior número de grãos. Ao centro, Espiga de 20A38 Vip3 na Fazenda Brejo Limpo. À direita, Espiga ainda verde de 20A38 Vip3 na Fazenda Bela Época.

OUTROS HÍBRIDOS
Os participantes do Tour de Campo Agro Alta puderam também conferir algumas características importantes de outros híbridos de milho: 20A12 Vip3 e 20A44 Vip3.

“Aqui na região, em duas propriedades, também plantamos e estamos avaliando o 20A12 Vip3, em uma propriedade em Santo Antônio da Alegria (SP) e outra propriedade em Ribeirão Corrente (SP). É um outro material que temos na linha, com dupla aptidão, tanto para silagem quanto para grão. Também apresenta como característica segurança e estabilidade de produção, com excelente sanidade foliar, segurança e manejo de doenças e uma excelente qualidade de colmo. Por ter aptidão para a silagem, apresenta um diâmetro de colmo bem mais grosso que o 20A38 Vip3”, explicou o Engº Agrº Washington Santos, da Agro Alta.

“O 20A38 Vip3 é um híbrido para um investimento maior. Já o 20A12 Vip3 podemos chamar de um híbrido mais rústico, por demandar um pouco menos investimentos na questão nutricional. Também floresce na mesma faixa de 58 a 62 dias, mas com um ciclo um pouco mais curto”, orientou Cláucio.

Dando sequência na apresentação, o consultor da Sempre Agtech descreveu um outro material de dupla
aptidão: o híbrido 20A44 Vip3, indicado para grão e também para silagem. “Só que, diferente dos outros dois híbridos, nós o posicionamos para a safra de verão. É um material que dá muita massa, com uma excelente análise bromatológica para a silagem. Contudo, por ser menos tolerante à Cigarrinha do que os outros dois híbridos citados, ele exige um manejo melhor, uma atenção maior do produtor”, alertou Cláucio.

SILAGEM
Questionado sobre qual híbrido se sobressaía na produção de silagem, Cláucio Gaspareto foi enfático.
“Tanto o 20A12 Vip3 quanto o 20A44 Vip3 dão um bom volume de massa e uma boa análise bromatológica. A diferença está no teto produtivo do 20A44 Vip3, que é bem maior. Porém, ele demanda uma maior atenção no manejo; um maior investimento: mais pulverizações contra a Cigarrinha e contra doenças foliares, além de uma adubação mais pesada. Mesmo assim, apresenta um maior potencial produtivo”, concluiu.

Para Márcio Gamba, a Agro Alta trabalhará com maior empenho com os híbridos 20A38 Vip3 e com o 20A12 Vip3. “Levamos em consideração precocidade dos materiais, além do tipo de manejo regional (poucas lavouras com pivôs centrais). Então, optamos por trabalhar com estes híbridos. Com eles, a gente consegue agregar muito, principalmente com a linha de fertilizantes que a gente indica e trabalha”, afirmou Gamba.

Na Fazenda Bela Época, o Engº Agrº Luiz Fernando (Agro Alta) mostra o qualidade das espigas do híbrido 20A38 Vip3.
Cláucio Gaspareto (Sempre Agtech) na lavoura de 20A38 Vip3 da Fazenda Bela Época.

FERTILIZANTES
Os participantes do Tour de Campo Agro Alta tiveram ainda a oportunidade de conhecer o portfólio de nutrição indicado para a produção de grãos.

Assim como para a cultura do café, a Agro Alta trabalha e indica o portfólio da Compo Expert , da PrimaSea e da De Sangosse para a produção de grãos, de acordo com a finalidade principal: adubação de solo, nutrição, fisiologia, proteção, microbiológicos e tecnologia de aplicação.

O gerente comercial da Agro Alta, Márcio Gamba, detalhou da seguinte forma:

1) – TRATAMENTO DE SEMENTES
a) – Nutrissed® Zn = “Produto que disponibiliza Zinco, um micronutriente extremamente importante e que vem associado com
a alga marinha Eklonia máxima, que vai atuar principalmente na estabilização da planta do milho, estimulando o enraizamento primário, rompendo barreiras de solo. Estimula o crescimento da planta, tanto para baixo quanto no crescimento apical”, disse.

2) – ADUBAÇÃO FOLIAR
a) – Basfoliar® CoMol HC= fonte de Cobalto e Molibdênio (CoMol);
b) – Hakaphos® Azul = “Indicamos que este fertilizante deve ser aplicado sempre associado a um complexo de aminoácidos (Basfoliar® Black Evolution). Recomendado já para as primeiras pulverizações e pode ser aplicado com qualquer tipo de defensivo; não tem incompatibilidade. Pureza de material e solubilidade extraordinária. É um produto de fácil manejo”, orientou.
c) – Hakaphos® Base = “Entra nas últimas aplicações, pois é um fertilizante muito rico em Sulfato e Nitrato de Potássio. Então, esta pureza, unido aos ácidos húmicos e fúlvicos do Basfoliar® Black Evolution, a gente consegue melhorar a densidade de grão. O foco deste potássio é exa-tamente isto: enchimento e peso de grão”, explicou.
d) – Solubor® = é um octaborato altamente solúvel, com 20,5% de Boro, é um produto de fácil aplicação. Indicado para aplicação tanto foliar, quanto via solo.

3) – FISIOLOGIA
a) – Basfoliar® Black Evolution = “Produto muito rico em carbono orgânico e ácido fúlvico, extremamente importantes para a planta. Assim, nós aproveitamos para utilizá-los sempre associados as demais aplicações que forem feitas na lavoura”.
b) – Basfoliar® Citobor = “É um Boro associado à alga Aschophillum nodosum, que possui por característica diminuir estresses na planta, principalmente neste período de safrinha”.

4) – TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO
a) – Fighter® = adjuvante, antideriva e antiespumante da DeSangosse.
b) – Langer® = “Trata-se de um extrato de cidreira e óleo vegetal (extrato de citros). Contribui diretamente com inseticidas e fungicidas. Seu diferencial está no fato de possuir ação translaminar (penetra e se redistribui rapidamente no local tratado), mantendo-se na camada cerosa da planta. Com o orvalho da noite, ele volta a ativar, contribuindo com a ação dos inseticidas e fungicidas.
c) – Basfoliar® H Plus = “Trata-se de um espalhante siliconado, com a característica de ser redutor de pH. Recomendado para a aplicação de herbicidas”.

5) – MICROBIOLÓGICOS
a) – Basfoliar® NitroMax Milho = “Contribui diretamente para a melhoria do enraizamento (sistema radicular), o que garante maior sanidade e reduz a senescência da planta”.

6) – ADUBAÇÃO DE COBERTURA
a) – Primaz® = “Trata-se de um fertilizante originário da alga marinha Lithothamnium com a característica de ser um condicionador de solo. Apresenta 32% de Cálcio (extremamente eficiente) e 2% de Magnésio em sua composição e rico em aminoácidos. Promove um melhor equilíbrio químico e biológico do solo; promove uma rápida correção e estabilização do pH do solo; induz a um melhor desenvolvimento na região da rizosfera; promove uma rápida absorção e transporte de nutrientes pela planta, inclusive o fósforo; promove um melhor equilíbrio hormonal da planta, favorecendo uma maior resistência a fatores bióticos e abióticos; e, por fim, induz a uma melhor floração e viabilidade da flor e fruto. É um produto 100% orgânico, com respostas muito rápidas”, explicou Márcio Gamba.
A Agro Alta indica a aplicação do Primaz de duas formas: a lanço (na casa de 120 a 150kg/ha) ou para quem tiver disponibilidade de fazer na caixa de adubo, a empresa trabalha com um Primaz mais granulado, onde o mesmo vai cair juntamente com o adubo na linha de plantio, dispensando a necessidade de uma nova operação. Quanto à formulação, o produto dispõe: Primaz Pó (32% Cálcio e 2% Magnésio) e, para quem precisa de um pouco mais de magnésio no solo, dispomos do Primaz Balance (28% Cálcio e 7% Magnésio).

b) – Linha NovaTec® = “NovaTec é um fertilizante complexo NPK com inibidor da nitrificação DMPP (3,4-dimetilpirazolfosfato). O inibidor da nitrificação reduz a lixiviação do N e aumenta a eficiência do N. Durante a fase ativa do DMPP (6-10 semanas), a transformação do amônio em nitrato é retardada. Como resultado, a disponibilidade de N é ainda mais adaptada às necessidades das plantas e a eficiência de N é aumentada. Além de outros benefícios, como redução do número de aplicações necessárias, as culturas desenvolvem-se e amadurecem mais uniformemente devido a um fornecimento estabilizado de N e uma fonte de fosfato altamente disponível (> 80 % solúvel em água)”, explicou Gamba.

EXPERIMENTO
Márcio Gamba e Lucas Soares apresentaram no final da 1ª Estação, o trabalho desenvolvido pela Agro Alta para comprovar os benefícios nutrição na cultura do milho. O experimento foi realizado comparativamente com três áreas de dois hectares de milho cada, sob pivô central, plantadas no mesmo dia, na Fazenda Brejo Limpo, do produtor Fernando Cury.

“Desenvolvemos o experimento com outro híbrido de milho, voltado à produção de milho verde (espigas para bandeja). Mas apresentamos para comprovar os resultados que obtivemos na cultura do milho com o potencializador de solo Primaz e com a Linha NovaTec na adubação de cobertura”, explicou Lucas Soares.

“Foram feitos três testes de adubação de cobertura, cada um em uma das áreas do experimento, sendo que em todas seguimos o Padrão-Fazenda na adubação de plantio (350kg/ha de 13-09-09):
• Teste 1) – Padrão-Fazenda = Plantio com 350kg/ha de 13-09-09. Cobertura com 140kg/ha de 20-0-20 + 140 kg/ha sulfato de amônio;
• Teste 2) – Padrão-Fazenda + Primaz = Plantio com 350kg/ha de 13-09-09. Cobertura com 140kg/ha de 20-0-20 + 140 kg/ha sulfato de amônio + 150kg/ha de Primaz;
• Teste 3) – Linha NovaTec = Plantio com 350kg/ha de 13-09-09. Cobertura: 100kg/ha NovaTec Suprem 21-05-10 e 150Kg/ha de NovaTec Premium 15-03-20”, explicou Marcio Gamba.

“Posteriormente, avaliamos criteriosamente diversos aspectos das lavouras, em cada um dos tratamentos, desde as plântulas, número de folhas, diâmetro de colmos, comprimento de espigas, diâmetro de espigas e peso das espigas. Foram coletadas 50 espigas de cada tratamento. e chegamos à conclusão que a área com o tratamento NovaTec (Teste 3) superou todos os demais tratamentos:
a) – na produção, com 40t/ha contra 30t/ha (+Primaz) e 25t/ha (Padrão-Fazenda);
b) – no peso de 50 espigas (com palha), com 3kg a mais que os demais tratamentos; e
c) – no peso de 20m³ de silagem, com 80kg (37% a mais) contra 60kg (+Primaz) (17% a mais) e 50kg (Padrão-Fazenda)”, explicou o Engº Agrº Lucas Soares.

Segundo Lucas, outros aspectos também merecem ser destacados. “Na área onde aplicamos NovaTec, o produto uniformizou a lavoura, as folhas ficaram maiores, as espigas ficaram mais padronizadas, em sua maioria com 18 carreiras, diâmetro de colmos maiores e maior altura de plantas”, disse.

Ressaltando: foram 15t/ha a mais de silagem com a utilização somente do NovaTec e 5t/ha a mais com a utilização do Primaz. “Esta diferença de 15t/ha a mais em produção neste experimento, se levarmos em consideração os 46 hectares de pivô, daria a mais 690 toneladas de silagem”, afirmou o produtor Fernando Cury.

Related posts

Governador do DF ressalta a importância da AgroBrasília

Estudo observa a relação entre caracteres relacionados à seca e a estabilidade da produção de grãos de milho

Revista Attalea Agronegócios

USDA corta produção de soja do Brasil para 117 milhões de toneladas

Revista Attalea Agronegócios

Deixe um comentário