Powered by Rock Convert
Revista Attalea Agronegócios
Image default
Abelhas

Abelha-Gigante-de-Wallace: a maior abelha do mundo é reencontrada após 38 anos

A abelha gigante — que é tão grande quanto um polegar de uma pessoa adulta — foi encontrada em uma pequena ilha da Indonésia.

Encontrada por uma equipe de biólogos norte-americanos e australianos, a maior abelha do mundo estava vivendo dentro de um cupinzeiro em uma árvore a mais de dois metros do solo. A informação foi divulgada pela revista norte-americana Newsweek.

Conhecida como Abelha-Gigante-de-Wallace, de nome científico Megachile pluto, o inseto recebeu o nome do naturalista e explorador britânico Alfred Russel Wallace, que a descreveu em 1858.

Os cientistas encontraram vários espécimes em 1981, mas isso não foi visto desde então. Em janeiro, uma equipe seguiu os passos de Wallace em uma jornada pela Indonésia, na tentativa de encontrar e fotografar a abelha.

“Foi absolutamente deslumbrante ver este ‘bulldog voador’ que não tínhamos mais a certeza de existir”, afirmou Clay Bolt, o fotógrafo especializado que obteve as primeiras imagens da espécie viva. “Para realmente ver o quão bela e grande a espécie é e com vida, ouvir o som de suas asas gigantes batendo quando passou pela minha cabeça, foi simplesmente incrível.”

CARACTERÍSTICAS DA ABELHA-GIGANTE-DE-WALLACE

  • Com uma envergadura estimada de 6 centímetros, esta é a maior abelha do mundo;
  • A fêmea faz seu ninho em cupinzeiros, usando sua grande mandíbula para coletar resina de árvores para alinhar o ninho e protegê-lo de invasões de cupins;
  • A espécie depende da floresta primária de baixa altitude para conseguir a resina e também dos ninhos de cupins;
  • Wallace, que co-desenvolveu a teoria da evolução com Charles Darwin, descreveu a abelha como “um grande inseto parecido com uma vespa preta, com imensas mandíbulas como um besouro-veado”.
Comparação de tamanho da Abelha-Gigante-de-Wallace com uma Abelha-Europeia, no lado superior esquerdo. (Créditos: Götheborgske Clay Bolt)

A descoberta feita nas ilhas indonésias conhecidas como As Molucas do Norte levanta esperanças de que as florestas da região ainda abrigam um dos insetos mais raros e mais procurados do mundo.

O especialista em abelhas Eli Wyman, entomologista da Universidade de Princeton, disse que espera que a redescoberta estimule futuras pesquisas para uma compreensão mais profunda da história de vida da abelha e informe os esforços futuros para protegê-la da extinção. A entomologia é o ramo da zoologia que estuda os insetos.

O habitat da abelha está em risco devido ao desmatamento intensivo para a agricultura indonésia e o seu tamanho e raridade tornam-na um alvo para os colecionadores. Não há, no entanto, nenhuma proteção legal de defesa da espécie.

Robin Moore, um biólogo da Global Wildlife Conservation,  diretor do programa “Em busca das espécies perdidas” considerou que é um risco divulgar que a abelha foi encontrada, mas admitiu que os colecionadores já saberiam de qualquer forma. Moore disse que é vital consciencializar o governo indonésio sobre a adoção de medidas de proteção para a espécie.

Related posts

Colméia Viva® divulga resultado de iniciativa de pesquisa

Revista Attalea Agronegócios

2º Workshop em Produtividade Apícola e Polinização: temas importantes para apicultores e cafeicultores

Revista Attalea Agronegócios

Em 17 anos, produção de mel de Meliponídeos mais que dobra no Paraná

Revista Attalea Agronegócios

1 Comentário

Deixe um comentário