Powered by Rock Convert
Revista Attalea Agronegócios
Image default
Frutas

10 tendências de laranja e tangerina para os próximos anos

O mercado de citros, em especial os segmentos de laranja e de tangerina, está passando por profundas inovações. Mas, quais serão as tendências para os próximos anos?

Emilio Favero, sócio e diretor comercial da AlfaCitrus, uma das cinco maiores beneficiadoras de laranjas e tangerinas do Brasil, e César Graf, diretor da Citrograf, único viveiro comercial do Brasil com Certificação Internacional de Qualidade em conformidade com a NBR ISO 9001, que comercializa borbulhas, mudas, plantas, porta-enxertos e sementes,apresentam a seguir dez pontos que merecerão a atenção dos produtores e consumidores de laranjas e tangerinas. Confira:

  1. Mancha marrom de alternaria

Existem variedades de tangerinas de excelente qualidade que são suscetíveis a uma doença chamada mancha marrom de alternaria. A Murcott é um exemplo. Ela precisa de várias pulverizações de fungicidas durante o ano para se tornar uma fruta de qualidade, em termos de casca e apresentação. Isso tem um custo muito alto para o produtor. Uma fruta parecida com a Murcott, mas com alta resistência a mancha marrom de alternaria, terá grande aceitação no Brasil. Algumas variedades já estão sendo testadas.

  1. Colheita

Os produtores também irão buscar variedades com diferentes épocas de colheita, principalmente em relação à tangerina, que tem pico entre março e outubro. Nos meses seguintes, é difícil encontrar este produto.

  1. Variedades

Cada vez mais, os consumidores brasileiros terão acesso a variadas opções de laranjas. Muito comuns nos Estados Unidos, a laranja sanguínea (de cor vermelha e suco vermelho) e a laranja cara a cara (interior vermelho e suco laranja) deverão ter mais destaque no Brasil.

  1. Sem sementes

Embora a Ponkan e a Murcott tenham protagonismo no Brasil para consumo in natura, outras variedades de tangerina, principalmente as sem sementes, devem desembarcar no Brasil nos próximos anos.

  1. Orgânico

Práticas que contribuem para a produção orgânica deverão ser cada vez mais adotadas pelos produtores, uma vez que os consumidores estão mais exigentes em reação a este aspecto.

  1. Na mesma embalagem

Recentemente, no evento PMA Fresh Summit, nos Estados Unidos, foi apresentada uma embalagem com três tipos diferentes de limão: o rosa, o verde e o siciliano. Esta interessante novidade pode, em breve, ser utilizada no Brasil para a venda de laranja e tangerina.

  1. Ambiente infantil

Neste mesmo evento, várias empresas apresentaram propagandas de frutas, com apelos infantis. O Brasil deverá, ano a ano, incorporar mais esta prática, destacando os benefícios de laranjas e tangerinas.

  1. Rastreabilidade

Um dos grandes desafios dos produtores rurais será comunicar de forma assertiva a rastreabilidade de laranja e tangerina, compartilhando informações que realmente agreguem valor ao consumidor final.

  1. Rendimento industrial

A tendência é que as indústrias de suco de laranja optem por comprar frutas precoces com qualidade de fruta tardia. A boa coloração, a ótima qualidade e o alto teor de brix contribuirão para um elevado rendimento industrial.

  1. Sabor, variedade e valor  

A alta produtividade e as colheitas em diferentes épocas do ano poderão contribuir para o consumidor ter novas opções de sabor, de qualidade e de valor nutricional.

 

FONTE: Rodrigo Capella – AÇÃO ESTRATÉGICA
capella@acaoestrategica.com.br

Related posts

Pesquisa propõe controle regional de vetores de insetos para melhorar o combate ao HLB de citros

EXPOFRUIT 2018: Bauminas Agro apresenta novidades na feira

Revista Attalea Agronegócios

Registradas as primeiras variedades de banana-da-terra do Brasil

Deixe um comentário