fbpx
Revista Attalea Agronegócios
Cana de Açúcar

Mesopec: Canavieiros ganham mais uma arma no controle de ervas daninhas

Hoje o setor canavieiro vive um cenário em que precisa investir em tecnologia e novas ferramentas a fim de reduzir os custos de produção. Um deles é o controle das ervas daninhas, que de acordo com a Embrapa pode reduzir em até 85% o peso dos colmos das plantas, principalmente em fase de germinação de cana-planta ou cana soca. Ou seja, isso significa menor produção ao final da safra.

Por isso é preciso muita atenção do produtor, principalmente durante os períodos mais chuvosos do ano, que é exatamente quando elas se desenvolvem e proliferam com rapidez, em condições favoráveis de umidade e temperatura, infestando o canavial. Pensando em oferecer uma nova alternativa, a Ascenza, multinacional portuguesa, pertencente ao grupo Rovensa, colocou no mercado recentemente o Mesopec, um herbicida seletivo poderoso para aplicação em pós-emergência.

De ação sistêmica, o Mesopec é composto por mesotriona 480 SC (suspensão concentrada), com eficácia comprovada para o controle de gramíneas e dicotiledôneas na cana de açúcar. “A mesotriona inibe a biossíntese de carotenoides. Isto acontece porque esse herbicida interfere negativamente na atividade da enzima HPPD, hidroxifenil-piruvato-dioxigenase. Esta é uma reação-chave e uma das consequências são os sintomas de intoxicação da substância em plantas sensíveis consistem no branqueamento das folhas, com posterior necrose e morte dos tecidos vegetais”, explica o engenheiro agrônomo, mestre e doutor em fitotecnia, Acácio Gonçalves Netto.

VERSATILIDADE

Uma vantagem adicional de se utilizar o Mesopec é ser versátil na aplicação em misturas. “Isso faz com que o produtor tenha mais opções, ampliando o leque na composição das aplicações de pós-emergência. Indicamos para as modalidades de cana-planta e cana-soca, nos sistemas de colheita com queima do canavial e de mecanizada sem queima do canavial (conhecido também como colheita de cana-crua)”, aponta o profissional.

Outra opção de aplicação do Mesopec é para as áreas extensivas de cana de açúcar, o que pode ser realizado também através de pulverização aérea, com o uso de aeronaves.

PRINCIPAIS VILÃS

Quando o controle das ervas daninhas não é efetivo, a cultura acaba por competir com elas por nutrientes, luz e espaço. Isso tem um impacto grande e negativo no desenvolvimento da cana de açúcar e consequentemente na produtividade; além de aumentar e muito os custos da atividade.

O produto possui amplo espectro de ação no controle das plantas infestantes anuais de folhas largas e do capim-colchão (Digitaria horizontalis), caruru (Amaranthus retroflexus), também a corda-de-viola (Ipomoea spp).

Corda-de-Viola (Ipomoea spp)
Caruru (Amaranthus retroflexus)
Capim-Colchão (Digitaria horizontalis)

FONTE: Kassiana BonissoniRURAL PRESS
kassiana.ruralpress@gmail.com
(19) 98320-0286

Related posts

Censo nacional de variedades de cana realizado pelo IAC reforça redução da concentração varietal

Revista Attalea Agronegócios

Syngenta utiliza tecnologia MICROGEO® em sua estação experimental

Revista Attalea Agronegócios

Agrotechnica: Uso de nova tecnologia no manejo de boro proporciona ganhos no canavial

Deixe um comentário