Powered by Rock Convert
Revista Attalea Agronegócios
Image default
Bovinos de Leite

Vaca pare bezerros gêmeos de sexos diferentes em Pedregulho (SP)

Em um caso considerado raro na medicina veterinária, uma vaca deu à luz bezerros gêmeos de sexos diferentes, um macho e uma fêmea, de uma gestação natural em uma fazenda do município de Pedregulho (SP).

Com apenas poucos dias de vida, os filhotes surpreenderam o dono, o produtor rural Milton de Oliveira, que está cuidando dos animais com muito carinho. “Nós sabíamos que ela estava prenha, mas não aparentava que teria gêmeos. Foi uma surpresa, porque nunca vi nascimento de bezerros assim, um casal. Isso para mim é uma alegria, ter essa vitória. A gente agradece muito a Deus por ter essa benção. Estamos cuidando muito bem deles para que tenham uma boa saúde”, diz.

De acordo com o produtor rural, os bezerros nasceram no dia 11/01 e o parto da vaca de estimação Negrinha não foi nada fácil. Oliveira conta que quase perdeu os animais. “Na hora de parir, a vaca estava em pé e a fêmea estava afogando no líquido da bolsa. Quando a vaca virou, vi outro pezinho. Puxei devagar e o outro bezerro também saiu meio afogado. Limpei o nariz deles, soprei e levantei os pés para ver se eles reagiam. A vaca lambeu e eles levantaram e começaram a mamar”, lembra o produtor.

Mesmo recém-nascidos, os filhotes demonstram que estão bem de saúde, correndo pela fazenda e se alimentando normalmente. Carla Marin Celestino é a esposa do produtor rural e ficou incumbida de escolher o nome dos bezerros. “Gemadinha é a marronzinha, que é a fêmea e Negrinho é o macho. Escolhi Gemadinha, porque são gêmeos, e Negrinho foi por conta do nome da mãe que é Negrinha. Fico muito emocionada e contente por esse nascimento. Deixamos o leite da vaca só para eles”, conta Carla.

Milton de Oliveira e a esposa Carla Marin Celestino. (Créditos: Circuito Regional)

CASO RARO

Segundo o veterinário que cuida dos animais, Hildeu Nascimento, esse é um tipo de gestação natural considerada raridade. A chance de uma vaca ter uma cria de gêmeos de sexos diferentes é de apenas 0,5%, segundo relatos da literatura veterinária.

“Gemadinha” é a marronzinha, que é a fêmea e “Negrinho’ é o macho (Créditos: Circuito Regional)

Nesses casos, o veterinário explica que há a probabilidade de os bezerros apresentarem Freemartismo, uma anomalia congênita que causa problemas de reprodução. “No bovino normalmente, quando é um casal em uma mesma placenta, acontece um fenômeno que é a transferência de hormônios masculinos para a fêmea e hormônios femininos para o macho. Com isso, em 90% dos casos, os ovários da fêmea não se desenvolvem direito e ela fica estéril, e o macho tem baixa fertilidade”, explica Hildeu.

Apesar disso, o veterinário assegura que os filhotes estão saudáveis. “Eles terão o desenvolvimento normal. O único problema é a infertilidade, mas quanto a saúde, eles são perfeitos, estão saudáveis. É vida longa”, diz.

 

FONTE: Circuito Regional

Related posts

Especialista alerta sobre a importância da alimentação de vacas leiteiras durante o período de transição

Leigado: Inovação para propriedades leiteiras

Revista Attalea Agronegócios

Girolando abre inscrições de animais para estreia na ExpoZebu

Deixe um comentário