fbpx
Revista Attalea Agronegócios
Agroindústrias NOTÍCIAS

Produtos de Origem Animal irregulares procedente de Minas Gerais são apreendidos em Atibaia (SP)

Uma equipe de fiscalização da Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA), vinculada à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo (SAA-SP), foi acionada na manhã do último domingo (14 de março) para comparecer ao posto da Polícia Rodoviária Federal, na BR-381 em Atibaia (SP), em decorrência de apreensão de um caminhão frigorificado, com carga de queijos e outros Produtos de Origem Animal sem procedência e sem documentação pertinente.

A carga era composta por vários tipos de Produtos de Origem Animal (queijos Minas Frescal, queijo Minas Padrão, queijos curados, manteigas, doces de leite em barra e pasta, carnes in natura, frango, pescado, produtos de graxaria salgados (cascos de caprinos, tiras de couro, estômago bovino e caprino, leite in natura).

O veículo transportava ainda frutas, cachaça, farinhas, temperos, biscoito de polvilho, roupas, panelas, entre outros. “Do total de produtos apreendidos, 16.491 quilos eram somente de queijo Minas Frescal, excetuando-se os demais Produtos de Origem Animal em pequenas quantidades, todos sem rótulos de origem e sem aposição das datas de fabricação e validade. Apenas alguns poucos produtos contavam com registro de Serviço de Inspeção Municipal”, disse a médica veterinária Sílvia Tranquilli Orlandi.

De acordo com o transportador, os produtos eram procedentes de diversos produtores rurais dos municípios Porteirinha (MG), Monte Azul (MG) e Mato Verde (MG), com destino diverso na capital paulista e grande São Paulo.

Apreensão de diversos produtos sem procedência e documentação.

No atendimento à ocorrência, além da Defesa Agropecuária, foram acionados os fiscais municipais da Vigilância Sanitária (VISAM) de Atibaia (SP) e funcionários de apoio operacional da empresa de recolhimento de produtos que prestam serviço à Concessionária Arteris.

Toda a carga apreendida foi destinada ao Aterro Embralixo, em Bragança Paulista (SP). O transportador foi autuado em mil Ufesps (29,090 reais) por “distribuir produtos de origem animal procedentes de estabelecimentos não registrados” e foi orientado a encaminhar sua defesa à Coordenadoria de Defesa Agropecuária no prazo de 15 dias.

FONTE: Secretaria de Agricultura e Abastecimento de SP
saacomunica@sp.gov.br

Related posts

Cafeicultores de Cacoal (RO) recebem 200 mil mudas de Café do Governo de Rondônia

Revista Attalea Agronegócios

Global Halal Business: Fórum mostra que mercado halal vai muito além da proteína animal

Revista Attalea Agronegócios

Massey Ferguson lança nova série MF 3300 Compacto

Revista Attalea Agronegócios

Deixe um comentário