Image default
Ovinos e Caprinos

Trabalho de conservação preserva raça de ovinos Barriga Negra em Roraima

A EMBRAPA Roraima realizou em setembro inventário do Núcleo de Conservação de Ovinos Barriga Negra, localizado no Campo Experimental Água Boa, em Boa Vista (RR). O objetivo foi realizar o controle regular do plantel, buscando a preservação das características raciais e de diversidade genética dos ovinos para a realização de pesquisas futuras. Atualmente, o Núcleo conta com 117 animais, sendo 43 machos e 74 fêmeas, a maioria com bom padrão racial.

Para a manutenção do Núcleo, a Unidade realiza regularmente atividades técnicas que envolvem a reprodução controlada, as práticas de manejo (alimentação, suplementação e sanidade), a avaliação dos ovinos quanto às características raciais e de ganho de peso, além de procedimentos de conferência física, com a identificação e o controle dos animais por meio de microchip implantado sob a pele.

O Barriga Negra é um ovino de pequeno porte, indicado para criação em propriedade familiar e para o cruzamento com raças de maior porte. De acordo com o pesquisador Ramayana Braga, responsável técnico pelo Núcleo de Conservação, é possível obter machos com 28 quilos de peso vivo aos sete meses de idade, um excelente desempenho quando se trata de ovinos para produção de carne.

O controle do rebanho é realizado regularmente para a preservação das características raciais dos ovinos Barriga Negra (Arquivo: Embrapa Roraima)

O veterinário explica que a raça é originária das ilhas de Barbados, no Caribe, introduzida em Roraima pelas fronteiras com a Venezuela e Guiana. O plantel da EMBRAPA foi iniciado em 1980, por meio da seleção e compra de reprodutores de fazendeiros da região, com realização de testes das características produtivas e reprodutivas. Não há informações oficiais da presença da raça em outros estados brasileiros, apesar do relato de pequenos rebanhos no nordeste.

“Hoje mantemos o Núcleo, que é um importante espaço de manutenção e conservação dessa raça e do seu recurso genético, possibilitando o desenvolvimento de pesquisas para a identificação de características desejáveis, que podem ser utilizadas no aperfeiçoamento da raça Barriga Negra e na disseminação entre os criadores”, completa o pesquisador.

FONTE: Clarice Rocha – EMBRAPA Roraima
 

Related posts

Semana de ovinos IZ abordará temas da pesquisa ao campo

Mario

Carne de cordeiro, uma ancestralidade à moda brasileira, explica pesquisador do IZ

Mario

Artrite Encefalite Caprina (CAE): Caprinocultores conseguem manter produção

Mario

Deixe um Comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais