Powered by Rock Convert
Revista Attalea Agronegócios
Image default
Ovinos e Caprinos

Trabalho de conservação preserva raça de ovinos Barriga Negra em Roraima

A EMBRAPA Roraima realizou em setembro inventário do Núcleo de Conservação de Ovinos Barriga Negra, localizado no Campo Experimental Água Boa, em Boa Vista (RR). O objetivo foi realizar o controle regular do plantel, buscando a preservação das características raciais e de diversidade genética dos ovinos para a realização de pesquisas futuras. Atualmente, o Núcleo conta com 117 animais, sendo 43 machos e 74 fêmeas, a maioria com bom padrão racial.

Para a manutenção do Núcleo, a Unidade realiza regularmente atividades técnicas que envolvem a reprodução controlada, as práticas de manejo (alimentação, suplementação e sanidade), a avaliação dos ovinos quanto às características raciais e de ganho de peso, além de procedimentos de conferência física, com a identificação e o controle dos animais por meio de microchip implantado sob a pele.

O Barriga Negra é um ovino de pequeno porte, indicado para criação em propriedade familiar e para o cruzamento com raças de maior porte. De acordo com o pesquisador Ramayana Braga, responsável técnico pelo Núcleo de Conservação, é possível obter machos com 28 quilos de peso vivo aos sete meses de idade, um excelente desempenho quando se trata de ovinos para produção de carne.

O controle do rebanho é realizado regularmente para a preservação das características raciais dos ovinos Barriga Negra (Arquivo: Embrapa Roraima)

O veterinário explica que a raça é originária das ilhas de Barbados, no Caribe, introduzida em Roraima pelas fronteiras com a Venezuela e Guiana. O plantel da EMBRAPA foi iniciado em 1980, por meio da seleção e compra de reprodutores de fazendeiros da região, com realização de testes das características produtivas e reprodutivas. Não há informações oficiais da presença da raça em outros estados brasileiros, apesar do relato de pequenos rebanhos no nordeste.

“Hoje mantemos o Núcleo, que é um importante espaço de manutenção e conservação dessa raça e do seu recurso genético, possibilitando o desenvolvimento de pesquisas para a identificação de características desejáveis, que podem ser utilizadas no aperfeiçoamento da raça Barriga Negra e na disseminação entre os criadores”, completa o pesquisador.

FONTE: Clarice Rocha – EMBRAPA Roraima
 

Related posts

Ovinos: EMBRAPA seleciona empresas interessadas em elaborar produtos inéditos derivados

Revista Attalea Agronegócios

Novo Censo Agropecuário mostra crescimento de efetivo de caprinos e ovinos no Nordeste

Revista Attalea Agronegócios

Microrganismos que causam mastite em caprinos resistem à ação de antibióticos

Revista Attalea Agronegócios

Deixe um comentário