fbpx
Revista Attalea Agronegócios
Bovinos de Leite

Touros “presidentes” se destacam no mercado de inseminação artificial brasileiro

Grupo de 5 touros da raça Holandês apelidados com nomes de ex-presidentes dos Estados Unidos já alcançaram 10% das vendas de sêmen para inseminação artificial da empresa detentora dos animais, no acumulado do ano.

Apelidados de “presidentes”, grupo de 5 touros da raça Holandês têm se destacado no mercado nacional de inseminação artificial para a melhoria genética de rebanhos produtores de leite. Os animais pertencem à GENEX Brasil e estão dedicados exclusivamente ao mercado brasileiro, com o objetivo de trazer o melhor da genética americana para o território nacional.

“A inseminação artificial representa um diferencial de competitividade e de produtividade para os pecuaristas brasileiros, cada vez mais interessados em produzir bons animais, para abastecer os mercados do Brasil de produtos de alta qualidade”, afirma Sergio Saud, Diretor Executivo da GENEX Brasil. Segundo ele, em apenas três meses de produção de sêmen, os novos touros já representam 10% das vendas do acumulado do ano da unidade de leite da empresa.

Roosevelt, Lincoln, Obama, Carter e Clinton possuem características que atendem às demandas do produtor de leite brasileiro. Os animais, que carregam nomes de antigos presidentes dos Estados Unidos, têm alto potencial genético para a melhoria do rebanho leiteiro, aumentando a produtividade e a vida útil, reduzindo os custos e promovendo a sustentabilidade.

Para o gerente de Negócios Leite da GENEX, Saul Hatem Honorato, os touros são “animais jovens melhoradores” com a capacidade de difundir uma boa genética por meio da inseminação artificial. Segundo ele, os touros dispõem de diversas características que somam no aperfeiçoamento genético. Saúde acima da média, melhor eficiência alimentar (comem menos e produzem mais), longevidade e taxa de prenhez das filhas positiva são exemplos de vantagens e características que os “presidentes” imprimem nos rebanhos. “A taxa de prenhez é a porcentagem de vacas que ficam prenhas durante cada período de 21 dias após o tempo de espera voluntária e é derivada dos registros de período de serviço ou do intervalo do parto à concepção do filho”, explica Saul.

A qualidade dos touros é reconhecida, inclusive, pela Cooperativa Santa Clara do Rio Grande do Sul e pelas Cooperativas da Região do ABCW no Paraná. Ambas incluíram os animais em seus programas de melhoramento genético do rebanho de seus cooperados. Para Sergio Saud, o reconhecimento aos resultados consistentes da GENEX é fruto de planejamento e foco em ampliar a eficiência do rebanho. “A GENEX investe sempre na produção de animais equilibrados, que combinam avaliação genética, pedigree e fenótipo. É o que chamamos de ‘Cow Sense & Science’, nossa filosofia de seleção que preconiza que o ‘todo é melhor que as partes’, assim entregamos ao mercado animais que geram mais valor ao produtor”, afirma.

Leite tipo A2

Outro diferencial dos touros “presidentes” é que são animais A2/A2, ou seja, dispõem de uma genética que aumenta a probabilidade das suas filhas fornecerem leite composto por caseína A2, considerada de mais fácil digestão. Esta é a caseína mais comum em cabras e búfalas.

A busca por animais superiores geneticamente mostra a preocupação da GENEX em oferecer valor agregado aos produtos que disponibiliza no mercado. A empresa investe em pesquisa e tecnologia, entregando ao produtor por meio da genética, mais eficiência na produção leiteira, mais longevidade, além de tendências de consumo (caseína A2)”, afirma o Diretor Executivo da GENEX Brasil.

Desempenho – A GENEX registrou um crescimento de 17,2%, enquanto o mercado teve um aumento de 5,9%, segundo dados da ASBIA.
 

Características dos animais:

– Saúde acima da média – transmitirão às suas filhas uma capacidade de saúde acima da média.

– Melhor eficiência alimentar — Feed Saved (melhor conversão alimentar. Suas filhas comem menos e produzem mais) — essa característica mostra a preocupação da GENEX com o bem-estar animal (exigência de órgãos internacionais) e responsabilidade ambiental (ESG);

– Filhos de touros melhoradores (Filhos de touros renomados do portfólio da GENEX);

– DPR Positiva: é a taxa de prenhez das filhas (DPR, do Inglês Daugther Pregnancy Rate) – A DPR é a porcentagem de vacas que se tornam prenhas durante cada período de 21 dias após o período de espera voluntária e é derivada dos registros de período de serviço ou do intervalo do parto à concepção.

– Elevada PTA Milk (Predicted Trasmitting Ability, ou em sua tradução: Habilidade Prevista de Transmissão) de produção de leite — A Habilidade Prevista de Transmissão é a capacidade genética que o reprodutor possui de transmitir determinada característica aos seus descendentes.
 

Sobre a GENEX

A GENEX Brasil, empresa do grupo URUS, é referência mundial em melhoramento genético bovino, soluções tecnológicas e de cuidados para os rebanhos. Seu foco é gerar valor aos clientes, por meio da produtividade e lucratividade de seus negócios.

A GENEX tem matriz em Wisconsin (EUA) e é consagrada globalmente pelo seu caráter inovador no mercado de inseminação artificial e pelo pioneirismo na seleção genética da raça taurina Angus (corte) e na europeia Holandês (Leite), estendendo sua excelência genética também às demais raças, com destaque para as zebuínas, especialmente o Nelore.

A GENEX está no Brasil desde 2005, com sede em São Carlos (SP), e presença em todos os estados brasileiros, com uma extensa equipe técnico-comercial. Traz, em seu DNA, a essência cooperativista e o espírito pecuarista, por isso, está sempre pronta para atender as demandas do produtor, visando a prosperidade de seu rebanho, de seu futuro e das próximas gerações.

FONTE: Karla Monteiro – PROFISSIONAIS DO TEXTO
kmonteiro@ptexto.com.br

Related posts

[Roberta Züge] – As novas legislações para produção de leite: estamos prontos?

ASBIA contrata gestor executivo para ampliar projetos de fomento da inseminação artificial no Brasil

[Natália Grigol] – Por que mudar a metodologia de cálculo do preço do leite ao produtor?

Deixe um comentário