Powered by Rock Convert
Revista Attalea Agronegócios
ARTIGOS Cafés Especiais

[Tadeu de Oliveira] – A importância da gestão no campo

JOSÉ TADEU DE OLIVEIRA
Jornalista, Pós-Graduado em Marketing pela FGV, Barista,
dono de cafeteria e produtor de café na Região da Alta Mogiana
www.olintocafé.com.br

Seja com sistemas ou planilhas, controlar a produção como uma empresa é o único jeito de crescer.

Nas edições anteriores, falamos fartamente sobre a importância de trabalhar cada divisão da fazenda como um negócio: o café especial precisa de um tipo de cuidado; o café para commodities, outro; e a gestão de uma marca de torrado e moído, uma atenção extra, completamente diferente daquela aplicada na roça. Mas, qual a solução para organizar tudo isso? Ou mesmo, qual a melhor maneira de tocar o trabalho no campo?

Já vivenciei algumas confusões clássicas, como ver a equipe jogar adubo na área errada, pagar duas vezes a mesma nota ou até mesmo o mais clássico: não saber quanto custou exatamente seu café da produção até a colheita. Enfim, muitas vezes se leva os tratos na fazenda com amadorismo e falta de atenção.

Com os preços do café no patamar em que estão, uma boa gestão de gastos e de vendas é essencial para garantir a lucratividade. E quem não se organiza, corre o risco de trabalhar o ano inteiro e perceber que a produção não serviu nem para pagar as contas. Por isso diversas empresas começaram a oferecer sistemas de gestão personalizados para o campo, como uma maneira prática de profissionalizar o produtor e permitir um rendimento maior de cada propriedade.

Para quê serve um sistema de gestão?

Esse tipo de sistema integra todas as áreas da fazenda: produção, colheita, compra, vendas, gastos com combustível e com funcionários. Ou seja, lida com tudo que é necessário para tomar as decisões em sua propriedade.

A partir de pequenos processos de lançamento de informação, você, dono da fazenda, consegue ter relatórios completos que mostram, por exemplo, quanto custa um trator ligado e sem movimentação no meio da plantação, ou quanto vai ser derramado de café pelo tratorista caso ele passe do limite de velocidade. Em posse dessas informações, é possível prever com antecedência quanto vai custar sua próxima safra, facilitando decisões sobre vendas futuras ou outras negociações com o preço do café.

Associados a ferramentas como GPS para os tratores, os sistemas de gestão conseguem acompanhar todo o seu trabalho, mostrando exatamente onde seu dinheiro está sendo gasto e quais as melhores maneiras de economizar para aumentar a lucratividade da fazenda.

Se é tão bom, porque não é todo mundo que usa?

O sistema é ótimo, mas requer uma atenção especial: é necessário ter o compromisso de anotar e colocar nele todas as informações do trabalho do dia-a-dia, o que demanda tempo e comprometimento com mais uma tarefa. Como já falamos, para um funcionamento assertivo é preciso definir cargos e funções, além de colocar o sistema sob a responsabilidade de alguém para minimizar a chance de diferença nas informações.

Não custa lembrar que essa pessoa deve ser alguém de extrema confiança, pois a partir da integridade desses dados é que tudo será decidido e planejado na fazenda. Portanto, nada de economizar com essa contratação, ok?

COMO UM SISTEMA DE GESTÃO PODE AUXILIAR CADA ÁREA DE SEU SÍTIO OU FAZENDA

Comercial: auxiliar na administração das atividades de vendas;

Produção: organizar desde a chegada da muda até a colheita, em cada etapa do processo;

Estoque: melhorar o controle da quantidade de produtos e necessidade de novas compras, que são revertidas em economia e agilidade de reposição;

Financeira: melhorar a organização de finanças da empresa;

Custos: auxílio na precificação de seu produto;

Decisões: gerar gráficos e relatórios que ajudem na tomada de decisões importantes;

Autonomia: tornar mais fácil tarefas burocráticas e administrativas

Related posts

[Rodrigo Corrêa da Costa] – Mercado do Café – 08 a 12/10/2018

[Arnaldo Luiz Corrêa] – Mercado do Açúcar – 22 a 26 de Outubro 2018

Revista Attalea Agronegócios

[Arnaldo Luiz Corrêa] – Mercado do Açúcar – 26 a 30 de Novembro 2018

Revista Attalea Agronegócios

Deixe um comentário