fbpx
Revista Attalea Agronegócios
EVENTOS - DESTAQUES HortiFruti

Sustentabilidade chega aos viveiros com a Linha Eco da JKS

Substituir o plástico comum de bandejas e tubetes usados na produção de mudas por materiais ecológicos é uma solução inovadora que foi apresentada na Hortitec.

O descarte de bandejas plásticas e tubetes usados na produção de mudas em viveiros tem se tornado um grave problema ambiental, pois nem sempre são descartados de maneira correta. Uma alternativa para evitar o acúmulo desse lixo contaminante no campo é a sua substituição por materiais ecológicos – de reuso, duráveis e recicláveis – que chegam ao mercado pela linha Eco, da JKS Industrial.

A empresa, sediada em Guarulhos (SP), desenvolveu uma nova linha de bandejas e tubetes no mesmo modelo, tamanho e capacidades dos modelos de plástico comum, mas com a possibilidade de serem reusados com alta durabilidade. Esses novos materiais foram apresentados ao mercado durante a 27ª Hortitec (Exposição Técnica de Horticultura, Cultivo Protegido e Culturas Intensivas), feira realizada em Holambra (SP), entre 22 e 24 de junho de 2022.

As bandejas Eco, explica o Péricles Antonio de Carvalho, diretor superintendente da JKS Industrial, “são rígidas, feitas de plástico 100% reciclado, retornáveis e muito mais leves que as convencionais, proporcionando uma melhor ergonomia aos usuários”. E por terem as mesmas dimensões das bandejas descartáveis, elas podem substitui-las facilmente, sem necessidade de adaptação na produção ou logística. “O modelo rígido facilita o manuseio tanto no viveiro quanto no transporte e também no campo, onde se ajustam bem ao transplantio automatizado”, diz.

Vídeo de Lançamento da Linha Eco da JKS Industrial

Sem isopor, com reuso

As bandejas flutuantes de isopor, usadas no cultivo hidropônico de mudas, estão com os dias contatos. Além de ser um material que na natureza leva 150 anos para ser degradado, sua utilização como bandeja de mudas em modo flutuante tem apresentado problemas devido à porosidade (absorve a água) e por dificultar o controle fitossanitário. As novas bandejas da linha Eco da JKS são rígidas, reutilizáveis e de fácil limpeza, mas flutuam como as de isopor, facilitando a troca e diminuindo os problemas ambientais de descarte.

Tubetes para café e citrus

A ideia de reutilização e preservação ambiental se estende também aos tubetes cilíndricos com volume de 190 ml desenvolvidos para o plantio de mudas de café ou citrus. A substituição dos tradicionais saquinhos de polietileno usados pelos viveiristas atende à necessidade de diminuir o descarte plástico que contamina o solo, mas também por ocuparem um espaço menor no viveiro e no transporte, além de maior praticidade no manuseio e plantio. Outro fator interessante dos tubetes é eu eles favorecem o plantio mecanizado. Eles foram desenvolvidos para atender a demanda de viveiristas e são novidade na JKS.

Apresenta como principais características:

Guias radiculares, direcionam as raízes para o fundo do pote e evitam o enovelamento das raízes;
Janelas laterais e fundo vazado, melhoram a drenagem, a aeração e evita o encharcamento do torrão, estimulando o crescimento e um sadio sistema radicular;
Melhor controle fitossanitário, as mudas produzidas com substrato e suspensas, sem contato com o solo, evitam a contaminação por fungos, bactérias, nematoides e ervas daninhas;
Se necessário pode-se aumentar a permanência das mudas no viveiro, apenas ajustando-se o manejo;
Elimina-se a poda das raízes, evitando a entrada de doenças e minimizando o estresse pós plantio e a retirada das mudas do pote é simples e fácil;
Melhor uniformidade, padronização e desenvolvimento das mudas no campo, reduzindo tempo e custos ao produtor;
Não deixam resíduos no campo, como as indesejáveis sacolas plásticas;
Material – 100% reciclável.

Indicada para produção de mudas de café, florestais, nativas, frutíferas e ornamentais.
Indicada para produção de mudas de café Conilon, florestais, nativas, frutíferas e ornamentais.

Inovação com clipes nacionais

O processo de enxertia realizado nos viveiros – unindo o porta-enxerto a parte aérea de uma variedade comercial – precisa de um suporte que permita a cicatrização completa da planta. Para isso são usados “clipes de enxertia”, um pequeno acessório que até agora eram importados em silicone. A JKS desenvolveu um material próprio e está lançando a primeira linha de clipes de fabricação totalmente nacional. São dois tipos: o modelo borboleta, nas dimensões 1,4 a 3 mm e o modelo tubo nas dimensões de 1,2 a 2mm, em diferentes cores para facilitar a identificação.

Financiamento fácil

Muitos produtores querem se tornar mais sustentáveis, mas nem sempre conseguem mudar seus sistemas de produção pela falta de recursos para o investimento inicial, necessário à troca de materiais. Vivenciado essa dificuldade, a JKS lançou um sistema de financiamento de bandejas e tubetes – por meio do Banco Daycoval – que permite o parcelamento da compra em até 12 vezes com juros preferenciais, mesmo que o produtor não tenha garantias a oferecer.  “Quem dá a garantia pelo produtor é a JKS”, explica Péricles. Esta é uma novidade no mercado de bandejas, onde existe uma grande informalidade, principalmente no ramo das descartáveis.

Toda a tecnologia desenvolvida pela divisão JKS Agro

Quem é a JKS

A JKS Industrial tem 65 anos, e há 20 anos entrou no segmento de agronegócios com a fabricação de bandejas rígidas. É considerada a maior indústria de bandejas e potes plásticos do Brasil, atuando no mercado do cultivo protegido em vários países da América Latina. 

FONTE: Cibele Vieira – CLICK NOTÍCIA
Cel/Whats: (19) 99156 6014 cibele@clicknoticia.com.br

Related posts

Franca (SP) realiza 8º Seminário de Meliponicultura e 2º Fórum de Apicultura de Franca (SP)

Revista Attalea Agronegócios

Agrishow 2019: Público do estande da Secretaria de Agricultura aprova café robusta paulista

Evento reúne 150 mulheres para discutir formas de comunicação mais eficientes entre campo e cidade

Deixe um comentário