CaféCafés EspeciaisEVENTOS - DESTAQUES

Sítio Capoeira recepciona Dia de Campo: Agricultura Sustentável e Baixo Carbono

Organizado pela Folha de Louro, dia de campo proporcionou aos participantes orientações aprofundadas sobre Agricultura Sustentável e Baixo Carbono.

Durante todo a quarta-feira (09/05), o Sítio Capoeira (município de Jeriquara/SP) foi palco de um Dia de Campo que abordou os temas Agricultura Sustentável e Baixo Carbono. Idealizado e organizado pela Folha de Louro – Soluções em ESG & Crédito de Carbono, o dia de campo contou com o apoio do SEBRAE-SP, Sindicato Rural de Franca, Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR-SP), Trevo Peças Agrícolas, Bayer e Sicoob. Além dos patrocínios do Shopping do Agricultor, Clube Solar, ProtecFran, YAK e CHB Flexíveis.

Os participantes puderam conferir uma série de palestras, com direito a visitas às lavouras de café. Lucas Pimenta (Folha de Louro) abordou o tema: “Café e Mercado de Carbono”; Tâmara Isa (Folha de Louro), o tema “Certificações”; Henrique Galvani (Arara Seed), o tema: “Agronegócio, Sustentabilidade e Mercado de Capitais”; o Engº Agrº Thiago Noronha (Noronha Agro), a apresentação na lavoura abordando o tema “Transição para uma Agricultura de Baixo Carbono”; Cristiane Olegário (Travessia), o tema “ESG: Vantagens para o Produtor Rural”.

Lucas Pimenta (Folha de Louro)
Tâmara Isa (Folha de Louro)
Engº Agrº Thiago Noronha (Noronha Agro) na apresentação de campo. (Créditos: Revista Attalea Agronegócios).
A time Bayer: Taísa Oliveira, Emerson Carrijo, Larissa Arcolino e Raner Melo. (Créditos: Revista Attalea Agronegócios)

Para a empresária e cafeicultora Bruna Malta (Olinto Café e Sítio Capoeira), a proposta de realização do evento vem de encontro com uma necessidade mais que preeminente para a agricultura brasileira e mundial. “Quem trabalhou diretamente com a proposta e organização do evento foi a equipe da Folha de Louro. Nós estamos recepcionando o evento. A gente está caminhando para um mundo sustentável que não tem mais para onde correr. Eu não tenho mais como não ser sustentável. E também não quero. Quero estar adequada, quero contribuir com o meio ambiente”, explicou Bruna Malta.

A empresária e cafeicultora Bruna Malta (Olinto Café e Sítio Capoeira). (Créditos: Revista Attalea Agronegócios).

“Assim, a nossa proposta aqui hoje é a de abrir esta discussão que está cada vez mais iminente. Não dá para a gente falar de sustentabilidade, sem falar de carbono, de ou uma agricultura sustentável. Como a agricultura regenerativa, que nós estamos tentando implantar aqui no Sítio Capoeira já há 2 anos. O produtor que não tentar implantar, vai ficar para trás. E lá na frente vai ter dificuldade de se reinserir no mercado. Pois eu entendo que isto não será um diferencial, vai ser o básico que o produtor terá que cumprir. Então, neste dia, estamos abrindo as portas aqui do Sítio Capoeira para tratarmos destes assuntos. São muitas novidades, mas é em momento como este que nós aprendemos”, afirmou Bruna Malta.

Para o Daniel Costa Coelho de Souza, Analista de Negócios Sênior do Escritório SEBRAE-SP de Franca (SP), a proposta do evento é o de preparar e capacitar o empresário rural, em especial o da cafeicultura, para esta nova realidade de mercado. “O SEBRAE ele trabalha bastante no segmento do agro. É um dos principais pontos fortes do Escritório de Franca. Estamos participando com a Folha de Ouro e o Sítio Capoeira para tratarmos sobre Crédito de Carbono e Agricultura Regenerativa, que são temas tão importantes nos dias de hoje, com o aquecimento global e a realidade do manejo sustentável, ecológico e ambientalmente correto. As iniciativas do SEBRAE vêm sempre focando estes temas cada vez mais. A médio e longo prazo vão ser temas cada vez necessários e exigidos pela sociedade e o mercado”, explicou Daniel Costa.

Daniel Costa Coelho de Souza, Analista de Negócios Sênior do Escritório SEBRAE-SP de Franca (SP). (Créditos: Revista Attalea Agronegócios)

“Então é muito importante que o público rural esteja cada vez mais capacitado e preparado para se adequar a esta nova realidade e, assim, sendo capaz de atender a este novo mercado. Não somente na cadeia da cafeicultura, mas em todos os demais segmentos do agronegócio, como a hortifruticultura, produção animal e a agroindústria, cada vez mais a questão da sustentabilidade e da produção ambientalmente correta, assim como a sustentabilidade empresarial, com toda a sua relação com funcionários e com a sociedade em si, vai ser cada vez mais preconizada com o mercado do agronegócio brasileiro, principalmente quando forem acessados os mercados internacionais”, finalizou Daniel Costa.

Os participantes tiveram ainda a oportunidade de degustar excelentes cafés de qualidade da Região da Alta Mogiana.

Lucas Paes e Aline Marques, Café Santo Onofre.

Related posts

7º Prêmio Região do Cerrado Mineiro abre inscrições e revelará os melhores cafés da safra 2019

Mario

Área utilizada com cultivo do café robusta no Brasil ocupa apenas 375 mil hectares em 2018

Mario

Conhecida pelos queijos artesanais, Canastra agora lança marca território do café

Mario

Deixe um Comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais