fbpx
Revista Attalea Agronegócios
Image default
AgroRevendas NOTÍCIAS Política Agrícola

Sistema GEDAVE é adiado para 1º de janeiro de 2020

O GEDAVE – Gestão de Defesa Animal e Vegetal, que entraria em vigor a partir de janeiro de 2019 foi postergado para o início de 2020. A prorrogação do cadastro foi conquistada pelo Deputado Federal Arnaldo Jardim, forte aliado do setor da bioenergia e pelo Secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Francisco Sérgio Ferreira Jardim.

O Gedave é sistema criado para controle do comércio e uso de agrotóxicos e insumos veterinários. “Dentro desse sistema temos vários módulos. Um módulo que está gerando muita polêmica, que estamos discutindo e revendo é o modulo dos defensivos agrícolas, nossos agrotóxicos”, destaca o Francisco Jardim. “O objetivo específico é o uso correto, seguro e a proteção da saúde do aplicador, proteção ambiental”, enfatiza Mário Sérgio Tomazella, coordenador adjunto da Coordenadoria de Defesa Agropecuária de São Paulo.

Para o coordenador de relações institucionais da UDOP, Felippe Miranda a notícia da prorrogação tranquiliza o setor da bioenergia. “Esse é um assunto que estava preocupando muito o setor visto o curto prazo para adequação e sua complexidade em atende-lo, essa prorrogação obtida pela interferência do Deputado Federal Arnaldo Jardim em conjunto ao Secretário de Agricultura de SP, Francisco Sergio Ferreira Jardim vem tranquilizar o setor sucroenergético que poderá planejar adequadamente as exigências do governo paulista”.

No sistema, que foi adiado, serão cadastrados fabricantes/registrantes, comércios, engenheiros agrônomos, prestadores de serviços, produtores rurais e unidades de recebimento de embalagens vazias.

Assista o Secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Francisco Sérgio Ferreira Jardim e Mário Sérgio Tomazella, coordenador adjunto da Coordenadoria de Defesa Agropecuária de São Paulo, explicando a prorrogação do GEDAVE, clicando aqui.

Related posts

Área utilizada com cultivo do café robusta no Brasil ocupa apenas 375 mil hectares em 2018

Revista Attalea Agronegócios

Pesquisa internacional indica insetos para alimentar peixes e aves

Cargill anuncia investimento na Agriness

Deixe um comentário