Café

Sexta edição do Avança Café é lançada na Expocafé 2024

Avança Café é é executado pelos parques tecnológicos da UFLA, o Lavrastec, e da UFV, o tecnoPARQ

A sexta edição do programa de pré-aceleração de startups Avança Café foi lançada na manhã desta quarta-feira, dia 05 de junho, na Expocafé 2024, que acontece na cidade de Três Pontas (MG). O lançamento ocorreu em uma roda de conversa com a participação de representantes da Embrapa Café, da Universidade Federal de Lavras (UFLA) e do Lavrastec; e do tecnoPARQ, vinculado à Universidade Federal de Viçosa (UFV).

A roda de conversa foi comandada pela jornalista e líder do programa na Embrapa Café, Rose César, que abriu o evento explicando que a iniciativa já conta com 1.303 horas dispendidas em ações de sensibilização e de capacitação que impactaram 12.528 pessoas. Ela mostrou ainda que 60 projetos foram recepcionados e desenvolvidos e 15 equipes foram premiadas ao longo das cinco edições anteriores. “O mais significativo é que hoje temos 30 startups que passaram pelo Avança Café e hoje estão atuando no mercado entregando diferentes soluções para a cadeia produtiva”, comemorou.

O professor Tiago Teruel, coordenador do Avança Café na Universidade Federal de Lavras, explicou que o programa faz parte da carteira de projetos do Consórcio Pesquisa Café, com coordenação da Embrapa Café, e é executado pelos parques tecnológicos da UFLA, o Lavrastec, e da UFV, o tecnoPARQ. “Programas como esse são de grande importância para integrar o ensino, a pesquisa e o setor produtivo, fazendo com que as demandas sejam levadas para esse ambiente de inovação, que responde mais rapidamente com o desenvolvimento e entrega de soluções”, avaliou o professor, citando exemplos como o desenvolvimento de tecnologias para o controle de pragas e doenças do cafeeiro, a rastreabilidade e certificação do café, o desenvolvimento de soluções digitais para cafeicultura, dentre outros.

Vinícius Sales, agente de Aceleração do tecnoPARQ, apresentou a definição de startup – uma nova empresa que oferece soluções para desafios específicos. Ele alertou para a necessidade de se criar um modelo de negócio escalável e inovador, sendo o Avança Café uma oportunidade para fazer isso de forma adequada. Na sequência, Kreicy Teixeira, agente de aceleração no Lavrastec e Marcus Vinícius, líder de aceleração no tecnoPARQ, falaram sobre a metodologia utilizada pelo programa para transformar ideias em projetos promissores. Eles apresentaram a síntese da programação de cada uma das doze semanas em que as equipes inscritas e selecionadas devem cumprir para serem capacitadas em temas de grande relevância para o sucesso do novo negócio como gestão empresarial, gestão de equipes, marketing, comunicação e gestão financeira.

Kreicy e Marcus explanaram ainda sobre as fases em que as equipes aprendem a aplicar técnicas como o desenvolvimento de um produto mínimo viável que é validado por potenciais clientes, que também aprendem a prospectar. Eles afirmaram que as equipes são capacitadas não só a desenvolver seus projetos e a gerir seus futuros negócios, mas também a apresenta-los para clientes ou investidores.

Dalyse Castanheira, professora da UFLA, até recentemente responsável pelo Avança Café naquela instituição, falou que as equipes devem ter de três a seis integrantes e podem ser compostas por estudantes, técnicos, professores, pesquisadores, produtores, empresários ou autônomos. “Pode ser que um produtor tenha inventado uma ferramenta ou uma máquina simples em sua propriedade. O Avança Café pode ser a oportunidade de fazer com que essa invenção se transforme num novo negócio e ajude outros produtores a obter a mesma tecnologia, exemplificou. Teruel complementou dizendo que toda ideia é bem-vinda. “Não devemos achar que uma ideia não vale a pena, por resolver uma coisa simples. Não são só os grandes problemas que merecem atenção, qualquer ideia pode ter um grande impacto”.

Dalyse, falou também sobre a premiações oferecidas pela Organização das Cooperativas do Brasil (OCB) para as três equipes com melhor desempenho ao longo do programa. “Para o primeiro colocado é oferecido o valor de R$ 20 mil, R$ 12 mil para o segundo e R$ 7.480 para a equipe classificada em terceiro lugar, de forma que as equipes além de todo o conhecimento obtido tenham um recurso inicial para iniciar a operacionalização de seus projetos”

Rose César encerrou o lançamento lembrando que o Avança Café é totalmente online, assim pessoas de qualquer parte do Brasil podem inscrever suas equipes. “É uma capacitação de alto nível e ofertada gratuitamente e além da programação pré-definida ainda buscamos especialistas que podem sanar algum problema específico, oferecendo uma mentoria mais personalizada”.

Related posts

FMC destaca tecnologia para o manejo do solo e controle de doenças do café

Mario

[Rodrigo Corrêa da Costa] – Mercado do Café – 03 a 07/09/2018

Mario

[Grupo Vittia – Biosoja] – Magnésio: Nutriente esquecido no manejo nutricional do cafeeiro

Mario

Deixe um Comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais