CaféEVENTOS - DESTAQUES

São Mateus Agropecuária vence o 8º Prêmio Internacional de Café Ernesto Illy

Finca Danilandia, da Guatemala, leva o prêmio Coffee Lovers’ Choice, concedido pelos consumidores.

O Brasil, com a São Mateus Agropecuária, é o país vencedor do prêmio Best of the Best, que foi entregue a José Eduardo Dominicale durante a 8ª edição do Prêmio Internacional de Café Ernesto Illy.

O prêmio, que recebeu o nome do líder visionário da illycaffè e filho do fundador da empresa, celebra o trabalho que a empresa vem desenvolvendo diariamente nos últimos 30 anos, lado a lado com os produtores de café, para oferecer o melhor café sustentável do mundo. O prêmio foi entregue ao vencedor pelo presidente da illycaffè, Andrea Illy, durante um evento realizado na New York Public Library, em Nova York.

O prêmio foi atribuído por um painel independente de 9 especialistas que examinaram os melhores lotes da colheita de 2022-2023 através de uma degustação às cegas de 9 cafés dos 9 países finalistas: Brasil, Costa Rica, El Salvador, Etiópia, Guatemala, Honduras, Índia, Nicarágua e Ruanda. Antes de ser avaliado pelo júri, cada lote de café foi analisado pelos laboratórios de controle de qualidade da illycaffè e classificado em termos de riqueza e complexidade aromática, elegância e equilíbrio do seu sabor e intensidade do seu aroma.

Finca Danilandia de Luis Arimany Mondonico, da Guatemala, ganhou o prêmio Coffee Lovers’ Choice, atribuído por um painel de consumidores que, nas semanas anteriores ao evento, realizou provas às cegas das amostras de café nos cafés illy de Trieste, Milão, Paris, Londres, São Paulo e Nova York e classificou suas preferências.

Luis Arimany Mondonico, Finca Danilandia da Guatemala com o brasileiro José Eduardo Dominicale. (Photo by Bennett Raglin/Getty Images for illy)

“A vitória absoluta do café brasileiro proveniente da agricultura regenerativa – escolhido às cegas entre os nove melhores cafés do mundo – é motivo de muita alegria para mim. De fato, a história do Prêmio Ernesto Illy começou no Brasil em 1991 e isso confirma que as recompensas recebidas pela illycaffè por ter transformado o Brasil de um líder em quantidade para um líder em qualidade são bem merecidas”, diz Andrea Illy. “Depois de mais de 25 anos de trabalho incessante e incansável da nossa equipe de agrônomos e da Universidade do Café, o salto finalmente aconteceu graças à agricultura regenerativa, que decidimos desenvolver em 2018 pelos benefícios que traz ao meio ambiente e à saúde de todos.”

Localizada na cidade de Varjão de Minas, a propriedade São Mateus Agropecuária foi finalista em 2022 e em 2023 voltou com tudo para se consagrar como campeã regional do Cerrado Mineiro e conquistar o 1º lugar na premiação nacional e de que quebra levar o grande prêmio Best of the Best durante a 8ª edição do Prêmio Internacional de Café Ernesto Illy.

Há 40 anos, o fundador do grupo BMG e do Guima Café, Flávio Pentagna Guimarães investiu em suas primeiras lavouras de café na região do Cerrado Mineiro, após comprar as fazendas São Lourenço e Brasis. “De lá para cá, evoluímos por meio da implantação de melhorias contínuas nas lavouras e a expansão do pós-colheita. Profissionalizamos a nossa equipe e, juntos, seguimos fortalecendo a marca e buscando tecnologias para melhorarmos nosso sistema produtivo. Há 15 anos fizemos a transição para a produção de cafés especiais, sempre focados nos pilares da sustentabilidade. Atualmente, implantamos a cafeicultura regenerativa, que visa manter os solos vivos e a saudabilidade de todo o ecossistema”, revela Eduardo Dominicale, CEO do Grupo BMG.

A parceria com a illy iniciada em 2008 ocorreu no mesmo período em que a fazenda fazia a transição de sua produção para cafés especiais. “Fornecemos cafés especiais, produzidos de forma sustentável e alta qualidade para a illy, uma marca globalmente conhecida e presente no mundo todo. Isso nos enche de orgulho e também nos dá um sentimento de grande responsabilidade com nosso processo produtivo, já que nosso produto final será consumido por milhares de pessoas”, ressalta Eduardo.

“Para nós, já foi uma honra estar entre os 27 melhores cafés do mundo, ao lado de produtores tão relevantes no mercado internacional. O fato de vencer as duas premiações é motivo de muito orgulho e reconhecimento de que estamos no caminho certo, na busca por produzir cafés de qualidade aliada às práticas de sustentabilidade”.

Ainda durante o 8º Prêmio Internacional de Café Ernesto Illy, os três produtores mineiros, vencedores do 32º Prêmio Ernesto Illy de Qualidade Sustentável do Café para Espresso, finalmente ficaram sabendo sua ordem de classificação: São Mateus Agropecuária (Cerrado Mineiro) – 1ª colocada, Raimundo Dimas Santana Filho (Matas de Minas) – 2º colocado e Luis Manuel Ramos Fachada Martins da Silva (Chapada de Minas) – 3º colocado.

“O café vencedor do Prêmio Internacional de Café Ernesto Illy deste ano é uma xícara redonda, saudável e encorpada, com sabores ricos e suaves de um equilíbrio de chocolate, caramelo, açúcar mascavo e amêndoas torradas em uma cama de brilho refinado, com um final persistente de doçura suave, gentil e harmoniosa. Representa verdadeiramente as melhores características gustativas da sua origem”, foi a declaração explicativa do júri ao indicar o vencedor.

O júri que votou para o prêmio Best of the Best incluiu a provadora profissional Silvia Escobar, da Guatemala; o presidente da Federação dos Cafeicultores do Cerrado, o brasileiro Glaucio De Castro; a diretora do laboratório de qualidade CoffeeLab, a indiana Sunalini Narayan Menon; o chef Ricard Camarena, premiado com duas estrelas Michelin e uma estrela verde por sua dedicação à sustentabilidade em seu restaurante Ricard Camarena, em Valência; os chefs americanos Carrie e Rupert Blease, que dirigem o restaurante Lord Stanley, com uma estrela Michelin, em São Francisco; Andrea Aprea, um chef com uma estrela Michelin e um restaurante com o seu nome em Milão; a escritora e jornalista francesa Adelaide de Clermont-Tonnere, chefe de redação da revista Point de Vue; Inga Griese, fundadora e chefe de redação de ICON, o suplemento de estilo do jornal alemão Welt Am Sonntag; Angelina Villa Clarke, jornalista que colabora com prestigiadas publicações de língua inglesa, incluindo a Forbes.

O Prêmio Internacional de Café Ernesto Illy é também uma oportunidade imperdível de networking para todos os envolvidos na indústria do café, de produtores a exportadores, de comerciantes a representantes institucionais. Durante a manhã, todos se reuniram na sede das Nações Unidas para participar da mesa redonda “Como proteger o futuro do café”.

Além do Presidente da illycaffè, Andrea Illy, entre os participantes estavam: Vanusia Nogueira (Diretora Executiva da Organização Internacional do Café), Jeffrey Sachs (economista e copresidente da Regenerative Society Foundation), Oscar Schaps (Presidente da divisão da América Latina da Trading Stone X Financial Inc.) e Glaucio de Castro (Presidente da Federação dos Cafeicultores do Cerrado Mineiro).

Related posts

Mercado de Crédito de Carbono é tema de seminário internacional da Università Del Caffé

Mario

3˚ Congresso Nacional das Mulheres do Agronegócio revela alguns cases inéditos que serão apresentados

Mario

ENCA 2022: Empresários e especialistas analisam os desafios do cooperativismo na próxima década

Mario

Deixe um Comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais