HortiFruti

Produção de cebola na Espanha cai 40% em 2022

A Espanha está em plena estação de colheita de cebola, a mais representativa em volume e qualidade. Embora ainda haja setembro e parte de outubro para o final da safra, as previsões indicam que haverá menos volume disponível e escassez de grandes calibres. Devido ao severo contratempo sofrido pelos produtores espanhóis de cebola durante a temporada passada, com preços baixos, a área plantada de cebola foi ligeiramente reduzida para esta temporada, juntamente com os baixos rendimentos causados pelas ondas de calor.

“Tivemos dois meses de calor excessivo durante junho e julho, meses em que se desenvolvem os bulbos da cebola de conservação. Abundantes noites com temperaturas entre 25 e 30 graus aceleraram o ciclo das plantas, evitando que o bulbo se desenvolva no devido tempo. Por esta razão, se as coisas não mudarem durante este mês, há muitas cebolas médias e pequenas no momento”, explica Alfonso Tarazona, presidente da Associação Espanhola de Produtores e Exportadores de Cebolas.

Com isto, a menor área plantada de cebola e os baixos rendimentos por hectare na Espanha reduziram significativamente a produção do país em mais de 40% em comparação com a produção do bulbo em um ano normal.

A Espanha, importante produtora de cebola no continente, tem registrado boas vendas e preços satisfatórios desde o início da campanha. Neste ano, o quilo da cebola comercializada na Europa está entre 0,35 e 0,37 euro, enquanto, em 2021, o preço foi de 0,25 a 0,30 euro. Conforme o diretor da Procecam (Associação de Produtores de Cebola de Castilla-La Mancha), Luis Fernando Rubio, “os preços do ano passado não nos permitiram cobrir os custos de produção, mas este ano, é possível”.

Assim como no Brasil, os custos de produção na Espanha têm subido com força: “em apenas um ano, o custo de produção de um quilo de cebola disparou para 25 centavos de euro”, reforça Rubio, que ainda complementa que cebolas de maior calibre têm sido as mais demandadas, as quais estão bastante escassas na Espanha. Outra semelhança da Espanha com o Brasil se dá na diminuição de área, rendimento e calibre das cebolas, dificultando o atendimento de toda a demanda.

Dentre outros motivos para a redução da oferta na Europa, está a saída da Ucrânia do mercado por conta da guerra, país que estava incrementando sua oferta e suprindo bem a demanda da Ásia e Europa Oriental, superando até a produção espanhola. Em contrapartida, a Romênia passou a aumentar sua produção.

O envio de cebolas da União Europeia ao Brasil geralmente ocorre no segundo semestre, porém, em menor volume em relação aos primeiros meses do ano – uma vez que tradicionalmente a produção brasileira é maior no segundo semestre.

Em 2022, a oferta brasileira restrita diante da menor área plantada poderia garantir um maior volume de compras externas. Entretanto, o atual cenário do mercado na Europa (oferta restrita e preço elevado) tende a restringir as importações de lá neste ano, fazendo com que os preços permaneçam atrativos ao produtor nacional, sem a influência das importadas.

Fonte: hfbrasil.org.br e Fresh Plaza

Related posts

Fundecitrus reestima safra da laranja em 275,75 milhões de caixas

Mario

1º Simpósio de Horticultura de Mato Grosso

Mario

Linha de sementes de alface é desenvolvida para atender os diferentes climas brasileiros

Mario

Deixe um Comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais