Cafés EspeciaisNOTÍCIAS

Minamihara: Lote de café especial é exportado para o Japão com rastreabilidade blockchain pela primeira vez.

Hub Cocriagro fez a conexão entre o Café Minamihara e a startup Arabyka.

A startup Arabyka, especializada em rastreabilidade via blockchain, é a responsável por implementar essa tecnologia em um lote de café superespecial orgânico Minamihara, que está sendo exportado para o Japão. A intermediação entre o produtor e a startup faz parte do trabalho do Cocriagro de promoção da inovação aberta.

De acordo com o cafeicultor Anderson Minamihara, trata-se de um lote de café super especial, que pode chegar a 90 pontos na classificação. “Esse primeiro lote, de 9 sacas, está utilizando 100% de tecnologia blockchain da Arabyka que vai apresentar informações como época e tipo de colheita, secagem, lote, variedade, tempo de descanso, dia e padrão de exportação. Os outros membros da cadeia, como torrefadores e cafeterias também podem inserir suas informações durante o processo de venda, até chegar ao consumidor final”, explica.  A produção do café Minamihara conta com manejo orgânico próprio e ocorre em 100 hectares sombreados por abacateiros, no município de Franca (SP).

À esquerda, Lorena Caldeira (Trader da Cafebras), Eustáquio Miranda (Ceo da Cafebrás), Anderson Minamihara (Café Minamihara) e George Hiraiwa (Arabyka).

Para George Hiraiwa, CEO da Arabyka, com o avanço da digitalização, está havendo um empoderamento do consumidor que passa a ser o protagonista da cadeia. “Acredito que será uma grande oportunidade para o Brasil mostrar ao mundo que produzimos alimentos seguros e sustentáveis.”

A tecnologia da Arabyka está sendo apresentada durante o XXXIII Seminário Internacional do Café de Santos que reuniu tradings, produtores, cooperativas, empresas e diversos prestadores de serviços em Guarujá (SP). A blockchain permite a imutabilidade, a descentralização e a transparência das informações, características fundamentais para a garantia de segurança alimentar. Também é essencial para estabelecer protocolos de compliance da produção agropecuária, nas áreas ambiental e trabalhista, cada vez mais necessários para acessar mercados internacionais.

Segundo a head de inovação do Cocriagro, Tatiana Fiuza, a conexão entre startups e produtores é um passo importante para que o agro brasileiro se fortaleça cada vez mais, principalmente, nos mercados internacionais. Toda a operação, até chegar às mãos da japonesa UCC (Ueshima Coffee Corporation), conta ainda com orientação e parceria da trading Cafebras.


FONTE: Arabyka.

Related posts

Fenasucro & Agrocana é adiada para novembro deste ano

Mario

Resistência de plantas daninhas a herbicidas preocupa agricultores

Mario

Indigo marca presença no World Agri-Tech South America Summit

Mario

Deixe um Comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais