fbpx
Revista Attalea Agronegócios
Café Cafés Especiais EVENTOS - DESTAQUES

Marco para a Cafeicultura Brasileira: Maior encontro de degustadores de café é realizado na região Amazônica

O evento reuniu mais de 200 degustadores, pesquisadores, produtores, especialistas, empresários e amantes do café na Indicação Geográfica Matas de Rondônia.

O 1° Encontro Brasileiro de Degustadores de Cafés é um evento inédito e foi realizado de 6 a 10 de junho no município de Cacoal – RO, conhecido como a “Capital do Café na Amazônia”. A cidade está incrustada numa região conhecida como “Matas de Rondônia”, que é o centro de origem dos Robustas Amazônicos. Esta região possui uma das cafeiculturas mais emblemáticas do Brasil e detém o título de primeira Indicação Geográfica, do tipo Denominação de Origem para cafés canéforas (robusta e conilon) sustentáveis do mundo.

“Este evento foi um divisor de águas para a cafeicultura brasileira. Conseguiu reunir um público muito diverso que atua com café, desde pesquisadores, mestres de torra, baristas, produtores, empresários e quem ama café para tratar de assuntos muito relevantes e que, certamente, se insere no calendário anual da cafeicultura. E, principalmente, muda a mentalidade quanto aos cafés canéforas, provamos cafés excepcionais aqui!”, aponta o cafeólogo e empresário Edgard Bressani.

Cafeólogo Edgard Bressani durante degustação de cafés canéfora (Créditos: Armando Júnior)

A abertura do evento foi realizada pela jornalista e especialista em conteúdo de café Mariana Proença. Foram cinco dias intensos de atividades e experiências sensoriais. O encontro reuniu mais de 200 participantes, tanto do Brasil como também da Colômbia, Espanha e Chile. Contou com palestras de pesquisadores renomados, mesas redondas, degustações, oficinas e um ambiente rico que tratou da produção de cafés de qualidade, arábica e canéfora (robusta e conilon) e seus protocolos de degustação. Além disso, proporcionou visitas aos produtores de cafés de Cacoal que são modelo em qualidade e sustentabilidade, incluindo também visita a uma aldeia indígena que faz parte do projeto Tribos, do grupo 3Corações e parceiros, que promove a produção de cafés com qualidade, protagonismo indígena e proteção à floresta entre outras atividades.

Para o pesquisador da Embrapa Rondônia, Enrique Alves, o evento foi um ponto de inflexão para a cafeicultura nacional, que veio da necessidade de unificar a linguagem da cadeia de produção e transformação de cafés. Um momento de valorização da diversidade cultural, ambiental e genética dos cafés brasileiros, que passa pelo uso de tecnologias de produção, processamento e, principalmente, pelos protocolos de degustação. “A cafeicultura que desconhece as características que produz, não sabe o valor que tem”, diz o pesquisador, que destaca a integração e a união de forças em prol da cafeicultura brasileira como ponto forte do evento.

Mariana Proença realiza a abertura do evento (Créditos: Renata Silva)

Segundo o pesquisador e professor do Instituto Federal do Espírito Santo – IFES, Lucas Louzada, este evento foi o maior encontro de degustadores de café já registrado no mundo. “Conseguir concentrar num mesmo espaço tantos profissionais do café e produtores, promovendo uma atualização científica ampla, com a degustação de cafés arábica e, principalmente cafés canéfora excepcionais e exóticos, com tamanha interação é algo extraordinário e que se torna, com certeza, um marco para a cafeicultura brasileira”, afirma Louzada.

O professor complementa ainda que este evento promoveu o engajamento da comunidade cafeeira, com o compartilhamento de novos conhecimentos científicos produzidos nas universidades e institutos, facilitando o acesso dos produtores a novas técnicas que, se adotadas podem promover a transformação no campo, assim como um café de maior qualidade na xícara. “Este encontro é uma grande convergência em prol da qualidade dos cafés do Brasil”, conclui Louzada.

Professor Lucas Louzada durante sua palestra no evento (Créditos: Renata Silva)

O maior cupping profissional do mundo: aromas e sabores excepcionais

 O encontro proporcionou trocas de conhecimentos, experiências e uma verdadeira imersão nos valores socioculturais, agronômicos e ambientais do “terroir” Amazônico para cafés especiais. “Os principais players do mercado participaram do evento. É algo histórico! Exemplo disso foi o maior cupping profissional do mundo, com mais de 130 degustadores e cerca de 1.300 xícaras sendo provadas simultaneamente”, comenta o presidente da Associação dos produtores de Café de Rondônia – Caferon, Juan Travain. O cupping é uma degustação do café realizada por profissionais para determinar a qualidade do café.

Maior Cupping profissional já realizado (Créditos: Renata Silva (à esq.) e Armando Júnior (à dir.))

Segundo o especialista em cafés especiais, Silvio Leite, que comandou os cuppings profissionais no evento, foram avaliados os atributos sensoriais de cafés arábicas e também canéforas – Robustas Amazônicos de Rondônia e os conilons do Espírito Santo e Bahia – que foram as grandes novidades do evento. “Os cafés canéforas provados foram inéditos para os degustadores, são sabores diferenciados e que vão surpreender positivamente os consumidores. São cafés com muita personalidade e a grande novidade para o mercado”, afirma Silvio Leite.

Durante o evento, além de degustação de cafés arábica e canéfora especiais, também teve degustação de cafés solúveis, com os novos protocolos da Associação Brasileira da Indústria de Café Solúvel – ABICS, degustação de cafés especiais pelo Método PQC ABIC e degustação de cafés exóticos, com uma seleção do “Cup of Excelence México 2022”.

Para animar ainda mais os participantes, foi realizada uma competição, o “Cupping Tasters Contest”. Foram para a final três degustadores do Espírito Santo – Tassio Souza, Dério Brioschi Jr. E Herick Novaes – e uma degustadora de Rondônia, Daliana Dalazen. O prêmio de R$5 mil foi para Tassio Souza, o campeão.

Durante o evento já foi definida a segunda edição do Encontro Brasileiro de Degustadores de Cafés, que será realizado no Espírito Santo, grande produtor de cafés arábica e canéfora.

Tassio Souza recebe das mãos de Silvio Leite o prêmio do “Cupping Tasters Contest” (Créditos: Renata Silva)


Protagonismo indígena e feminino: marca registrada da cafeicultura de Rondônia

Em um momento dedicado à valorização dos cafés canéforas especiais, a gerente de projetos especiais do grupo 3Corações, Patrícia Carvalho, apresentou o projeto Tribos e anunciou a inclusão das produtoras de canéfora no projeto Florada. Um dos destaques deste painel foi o anúncio de que as próximas edições da linha de produtos do grupo 3Corações, que contam com cafés Robustas Amazônicos, terão em sua embalagem o selo da 1ª Indicação Geográfica, do tipo Denominação de Origem, para cafés canéfora sustentável do mundo: IG Matas de Rondônia. “Queremos valorizar este centro de origem como referência na produção de cafés especiais no Brasil”, afirma Patrícia Carvalho.

O Projeto Tribos atende mais de 130 famílias indígenas produtoras de café Robusta Amazônico e está baseado em um tripé indissociável: protagonismo indígena, produção de cafés Robustas Amazônicos com qualidade e sustentabilidade, proteção da floresta. O projeto conta com a parceria da Embrapa Rondônia, Funai, Emater-RO, Secretaria de Agricultura de Alta Floresta D’Oeste e Câmara Setorial do Café.

Patrícia apresentou também a 1ª edição do Concurso Florada Premiada 100% Canéfora, em que as produtoras desta espécie de café passam a fazer parte do maior concurso do mundo feito para as cafeicultoras brasileiras. A iniciativa da 3 Corações acontece em parceria com a Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), com a Aliança Internacional das Mulheres do Café (IWCA) e com Silvio Leite, referência mundial em qualidade do café. O projeto Florada para espécie arábica está em sua 5ª edição.

O evento contou com a participação de indígenas durante toda a programação e, em especial, na apresentação destes projetos, com fala da liderança indígena Almir Suruí, que destacou em sua fala a importância da valorização dos cafés Robustas Amazônicos produzidos nas aldeias, com melhoria da qualidade de vida do povo indígena e a preservação do meio ambiente.

Patrícia Carvalho anuncia o uso do selo da IG Matas de Rondônia nos produtos com Robustas Amazônicos comercializados pelo grupo 3Corações – (Créditos: Renata Silva)
Cupping (Créditos: Renata Silva)

Realização e parceiros

O 1° Encontro Brasileiro de Degustadores de Cafés é uma realização da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, do Instituto Federal do Espírito Santo – Campus Venda Nova do Imigrante – e da Associação dos produtores de Café de Rondônia – Caferon. Foram patrocinadores do evento a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico – Sedec, Eco Power Energia Solar, Sistema OCB/ES, SICOOB – Credip, Pinhalense, Associação Brasileira da Indústria de Café Solúvel – ABICS, Associação Brasileira da Indústria de Café – ABIC, Cecafé, 3Corações, Projeto Tribos, LEOGAP – Probat Group. O Encontro contou com apoio do Instituto Capixaba de Pesquisa Assistência Técnica e Extensão Rural – Incaper, Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial – ABDI, Universidade Federal de Lavras – UFLA, Universidade de Viçosa – UFV, Instituto Federal de Rondônia – IFRO, Câmara Setorial do Café de Rondônia, Consórcio Pesquisa Café, Coffee Design, Cacoal Selva Park e Selva Café.

Confira palestras, reportagens especiais e vídeos sobre o evento:

– Vídeo com os melhores momentos do evento: https://youtube.com/watch?v=bd511QnCAj4&feature=share

– Cafeólogo destaca avanço do café robusta amazônico no cenário nacional: https://globoplay.globo.com/v/10660670/?s=0sa

– Abertura e palestra “Origem e evolução dos cafés brasileiros”: https://youtu.be/UIXecG9B-sA

– Palestra “Novos caminhos da cafeicultura brasileira e mundial: Novas tecnologias, mercado e hábitos de consumo”: https://youtu.be/vwNH_o1tx7E

– Palestra “Novos métodos de processamento/fermentação de cafés com foco na qualidade”: https://youtu.be/H-exwsG-UGw

– Pela primeira vez, 130 profissionais provam cafés canéfora ao mesmo tempo, em Cacoal – https://g1.globo.com/ro/rondonia/rondonia-rural/noticia/2022/06/07/pela-primeira-vez-130-profissionais-provam-cafes-canefora-ao-mesmo-tempo-em-cacoal.ghtml

——

FONTE: Renata SilvaJornalista – MTb 12361/MG
Cacoal – Rondônia

Related posts

[Marco Antônio Jacob] – Não é utopia: Perdas de 16 milhões de sacas de arábicas

Revista Attalea Agronegócios

23º Simpósio de Cafeicultura de Manhuaçu (MG) será em Outubro

Semana Internacional do Café 2018: Plataforma Global do Café incentiva membros a promover iniciativas sustentáveis no Brasil

Deixe um comentário