fbpx
Revista Attalea Agronegócios
Image default
ARTIGOS Cafés Especiais

[Marcio Luis Palma Resende] – O Caminho da Excelência

MARCIO LUIS PALMA RESENDE
Cafeicultor, Diretor-Presidente da AMSC – Associação dos Produtores de Cafés Especiais da Alta Mogiana
altamogiana@amsc.com.br

A cadeia produtiva do café é composta por diversos elos: os fornecedores de insumos, os cafeicultores, a indústria, a distribuição (atacado, varejo, food service) e o consumidor final. Ligando os elos, há os “intermediários” que facilitam e garantem o funcionamento da cadeia, permitindo que os grãos de café saiam da fazenda e cheguem até o consumidor final, como: corretores, cooperativas, armazéns, exportadoras, importadores, entre outros. E, obviamente, quanto melhor o conhecimento e a qualificação dos profissionais que atuam na cadeia, melhor será o seu funcionamento e a qualidade do produto entregue ao consumidor.

E foi com isso em mente, que a Associação dos Produtores de Cafés Especiais da Alta Mogiana – uma entidade sem fins lucrativos que permeia a cadeia produtiva do café, zelando pelo seu crescimento e aperfeiçoamento – tomou a iniciativa de trazer para a Região da Alta Mogiana etapas oficiais Pré-Seletivas dos Campeonatos Brasileiros de Barismo, nas modalidades “Brewers, Cup Tasters e Torra”. Para tanto, contou com o apoio de outras entidades, associados e parceiros – Cocapec, BSCA, O´Coffee, Bunn e Probat – que também partilham do ideal do desenvolvimento da cadeia produtiva através da busca pela excelência.

Independente da modalidade, os campeonatos vêm para testar as habilidades dos profissionais em extrair e/ou identificar o potencial dos cafés especiais em condições extremas: grãos complexos, tempo e pressão da competição e do público. Como resultados, há o reconhecimento imediato do valor do profissional – principalmente daqueles que saem vitoriosos; mas há também, para todos os envolvidos, o aprendizado que levará ao aperfeiçoamento e melhor qualificação do profissional. E este último, ouso dizer, é o resultado que promove o maior ganho para todos os envolvidos com a ca-deia produtiva, permitindo o seu crescimento de forma consistente.

A modalidade “Brewers” busca ressaltar a arte no preparo de café através de métodos manuais filtrados, evidenciando a importância da excelência do grão no serviço de preparo. A modalidade “Cup Tas-ters” vem para reconhecer o profissional com talento, agilidade e precisão quando se trata de provar cafés especiais. E a modalidade “Torra” os profissionais serão desafiados a torrarem com perfeição o café especial disponibilizado pela organização de forma a extrair o máximo do potencial qualitativo da bebida, respeitando as regras da competição.

Ao incentivar e estruturar esses campeonatos, a Alta Mogiana se posiciona como uma origem produtora de cafés especiais que atua também apoiando os profissionais na busca pela sua excelência. E assim, em clima de competição, permite que talentos “escondidos” na Região venham à superfície, nos trazendo mais motivos de orgulho: André Luis Águila Ribeiro e Carlos Henrique da Silva (1º e 4º lugar, respectivamente, na modalidade Cup Tasters); e Anderson Minamihara (1º lugar na modalidade Brewers).

Estaremos torcendo por vocês nos Campeonatos Nacionais, vestindo a “Camisa Alta Mogiana”, na expectativa de serem classificados para representarem o Brasil nos Campeonatos Mundiais.

E deixo aqui o convite para todos prestigiarem a etapa Pré-Seletiva de Torra que acontecerá de 24 a 26 de maio nas dependências da O´Coffee Brazilian Estates em Pedregulho (SP).

Related posts

[Escritório Carvalhaes] – Boletim semanal – ano 88 – n° 21

Revista Attalea Agronegócios

[José Luiz Tejon Megido] – O agronegócio pode movimentar um trilhão de dólares em 2024

Revista Attalea Agronegócios

[Rogério Andrade] – Como a logística multimodal pode transformar sua eficiência

Revista Attalea Agronegócios

Deixe um comentário