Image default
ARTIGOSCafés Especiais

[Marcio Luis Palma Resende] – O Caminho da Excelência

MARCIO LUIS PALMA RESENDE
Cafeicultor, Diretor-Presidente da AMSC – Associação dos Produtores de Cafés Especiais da Alta Mogiana
altamogiana@amsc.com.br

A cadeia produtiva do café é composta por diversos elos: os fornecedores de insumos, os cafeicultores, a indústria, a distribuição (atacado, varejo, food service) e o consumidor final. Ligando os elos, há os “intermediários” que facilitam e garantem o funcionamento da cadeia, permitindo que os grãos de café saiam da fazenda e cheguem até o consumidor final, como: corretores, cooperativas, armazéns, exportadoras, importadores, entre outros. E, obviamente, quanto melhor o conhecimento e a qualificação dos profissionais que atuam na cadeia, melhor será o seu funcionamento e a qualidade do produto entregue ao consumidor.

E foi com isso em mente, que a Associação dos Produtores de Cafés Especiais da Alta Mogiana – uma entidade sem fins lucrativos que permeia a cadeia produtiva do café, zelando pelo seu crescimento e aperfeiçoamento – tomou a iniciativa de trazer para a Região da Alta Mogiana etapas oficiais Pré-Seletivas dos Campeonatos Brasileiros de Barismo, nas modalidades “Brewers, Cup Tasters e Torra”. Para tanto, contou com o apoio de outras entidades, associados e parceiros – Cocapec, BSCA, O´Coffee, Bunn e Probat – que também partilham do ideal do desenvolvimento da cadeia produtiva através da busca pela excelência.

Independente da modalidade, os campeonatos vêm para testar as habilidades dos profissionais em extrair e/ou identificar o potencial dos cafés especiais em condições extremas: grãos complexos, tempo e pressão da competição e do público. Como resultados, há o reconhecimento imediato do valor do profissional – principalmente daqueles que saem vitoriosos; mas há também, para todos os envolvidos, o aprendizado que levará ao aperfeiçoamento e melhor qualificação do profissional. E este último, ouso dizer, é o resultado que promove o maior ganho para todos os envolvidos com a ca-deia produtiva, permitindo o seu crescimento de forma consistente.

A modalidade “Brewers” busca ressaltar a arte no preparo de café através de métodos manuais filtrados, evidenciando a importância da excelência do grão no serviço de preparo. A modalidade “Cup Tas-ters” vem para reconhecer o profissional com talento, agilidade e precisão quando se trata de provar cafés especiais. E a modalidade “Torra” os profissionais serão desafiados a torrarem com perfeição o café especial disponibilizado pela organização de forma a extrair o máximo do potencial qualitativo da bebida, respeitando as regras da competição.

Ao incentivar e estruturar esses campeonatos, a Alta Mogiana se posiciona como uma origem produtora de cafés especiais que atua também apoiando os profissionais na busca pela sua excelência. E assim, em clima de competição, permite que talentos “escondidos” na Região venham à superfície, nos trazendo mais motivos de orgulho: André Luis Águila Ribeiro e Carlos Henrique da Silva (1º e 4º lugar, respectivamente, na modalidade Cup Tasters); e Anderson Minamihara (1º lugar na modalidade Brewers).

Estaremos torcendo por vocês nos Campeonatos Nacionais, vestindo a “Camisa Alta Mogiana”, na expectativa de serem classificados para representarem o Brasil nos Campeonatos Mundiais.

E deixo aqui o convite para todos prestigiarem a etapa Pré-Seletiva de Torra que acontecerá de 24 a 26 de maio nas dependências da O´Coffee Brazilian Estates em Pedregulho (SP).

Related posts

[Rodrigo Corrêa da Costa] – Mercado do Café – 25/02 a 1º de Março de 2019

Mario

[Grupo Vittia – Samaritá] – Maturação do cafeeiro e sua importância

Mario

[Evandro Guimarães] – Eleições 2018: para os produtores rurais tudo pode piorar.

Mario

Deixe um Comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais