fbpx
Revista Attalea Agronegócios
Café

[Marcelo Fraga Moreira] – “Squeeze à vista” 

MARCELO FRAGA MOREIRA
[Comentário Semanal – 27/06 a 01/07/2022]
É um profissional há mais de 30 anos atuando no mercado de commodities agrícolas,

escreve este relatório sobre café semanalmente como colaborador da Archer Consulting –
Assessoria em Mercados de Futuros, Opções e Derivativos Ltda.
www.archerconsulting.com.br

A semana começou com os fundos + especuladores pressionando o mercado (continuando o movimento de baixa iniciado na quinta-feira da semana anterior quando o Set-22 chegou a negociar @ 236,25 centavos de dólar por libra-peso e terminou a sexta-feira do dia 24/junho @ 223,25 centavos de dólar por libra-peso). Nesta quarta-feira, após o Set-22 voltar a tocar nas mínimas dos últimos 40 dias @ 217,55 centavos de dólar por libra-peso, o Set-22 voltou a “explodir” com os fundos + especuladores virando a mão! O Set-22 chegou a subir +1.300 pontos e voltou a negociar acima das principais médias-móveis  dos 9/17/100 e 200 dias!

A média-móvel dos 200 dias tem-se provado um suporte muito importante. Desde o dia 11 de maio de 2022 esse suporte já foi testado +5/+7 vezes enquanto o topo da resistência dos 50 dias do indicador “Banda de Bollinger” continua “segurando o mercado” (agora @ 240,20 centavos de dólar por libra-peso)! Rompendo essa resistência o mercado estará livre para buscar os +256,00 / + 270,00 / + 300,00 centavos de dólar por libra-peso!

Já temos “gasolina” pronta para ser lançada na fogueira! Quando, se isso vier a ocorrer, produtores aproveitem para “fixar”, para comprar “put-spreads* vendendo opções de compra calls* e/ou estruturas calls-spreads* fora do dinheiro” para garantir excelentes resultados contra o Dez-22 e contra o Set-23!

No último pregão da semana, após o Set-22 subir +600 pontos (testando novamente a resistência nos +236/+237 centavos de dólar por libra-peso), o mercado voltou a realizar em função do “efeito câmbio”. Com as medidas “populistas” para evitar uma greve dos caminhoneiros e aprovação da PEC do “vale combustível” e do “vale gás” (com custo estimado em +40 bilhões de reais) o R$ voltou a desvalorizar -2,50% negociando @ 5,34 R$/US$ – o menor valor desde 01 fevereiro de 2022! Com o R$ desvalorizando -2,50% o Set-22 desvalorizou praticamente os mesmos -2,50% com base no fechamento do dia anterior (@ 230,10 centavos de dólar por libra-peso). Considerando a máxima do dia negociado logo na abertura do mercado em Nova Iorque (@ 236,05 centavos de dólar por libra-peso) e o fechamento (@ 223,90 centavos de dólar por libra-peso), então o Set-22 desvalorizou -5,00%.

Apesar do “banho de água fria” nos produtores brasileiros o mercado interno segue firme com negócios sendo reportados entre +1.350 / +1.525 R$/saca.

Muitos “pequenos” produtores já terminaram suas colheitas com rendimentos muito aquém do esperado! Os problemas apontados e os resultados continuam os mesmos: falta de mão-de-obra; grãos secando nas árvores, grãos caindo e ficando no chão, grãos danificados, grãos “grandes/pequenos”; custos elevados em função do aumento do diesel, energia elétrica, insumos, sacarias… Sem contar a inflação generalizada que vem afetando o “bolso do produtor brasileiro”. Um dos maiores produtores brasileiros está estimando uma quebra na sua produção entre -50%/-60%!

Tivemos a informação que 3-4 presidentes de algumas cooperativas (claro que não podemos divulgar nossas fontes sobre esse assunto nem o nome dos presidentes e cooperativas envolvidas) se reuniram e realmente estão muito preocupados com o resultado / “atraso” da colheita até o momento. Pelo jeito a safra brasileira (principalmente do café arábica) vai quebrar e ficar abaixo dos próprios números da Conab*.

Se a safra brasileira 22/23 ultrapassar os +50 milhões de sacas vamos “soltar rojões” e celebrar!!

Aparentemente o mercado acordou! Os compradores não estão conseguindo originar volume neste início da colheita da safra 22/23. Muitos armazéns de várias cooperativas seguem vazios e/ou com praticamente sem nenhum movimento de caminhões! Nessa semana o presidente de uma das principais cooperativas do Brasil afirmou que “a safra será um pouco abaixo do esperado”.

Uma safra “um pouco abaixo do esperado” seria uma safra 22/23 em quantos milhões de sacas? +45 / +50 / +55 / +60 milhões de sacas?

Acreditamos que o mercado está muito vulnerável para um “squeeze” a qualquer momento! Pode ser contra o vencimento Set-22 ou contra o Dez-22! Os estoques certificados americanos estão nos níveis mais baixos desde novembro de 1.999. Terminaram a semana com apenas +854.584 sacas! E já tem gente apostando que vai cair para +600/+500.000 sacas nos próximos 2 meses!

Esse estoque atual equivale a APENAS +2.968 lotes! Ou seja, a qualquer momento algum fundo / especulador poderá se posicionar nesse mercado para “exigir” receber o produto físico. Quem estiver “vendido” vai ter que “sair correndo” para cobrir a posição e pagar o preço que for para zerar sua posição! Acredito que vamos ver o mercado dando saltos de +2.000 / +5.000 pontos em breve!

O spread “+Set-22 x -Set-23” fechou a semana no “invertido” @ -1.090 pontos; o spread “+Dez-22 x -Set-23” fechou a semana no “invertido” @ -775 pontos! Ou seja, mercado apostando em oferta apertada até a entrada da próxima safra brasileira 23/24! “Jogo pra gente grande”! Faz tempo que não escutamos problemas com “chamada de margem”, com “operações estruturadas/alavancadas”…

A Conab* segue omissa e até o momento não divulgou o estoque de passagem da safra 20/21 para a safra 21/22. E continua “fazendo-se de morta” referente o estoque de passagem da safra 21/22 para a safra 22/23. Os comentários nos grupos de café indicam que o “estoque de passagem da safra 21/22 para a safra 22/23” continua nos pés de café!

Segundo a Cecafé a exportação no mês de junho-22 deverá ficar entre +2,50 / +3,10 milhões de sacas. O número oficial final das exportações do mês de junho-22 e do ano safra julho-21 / junho-22 deverão ser publicados até o próximo dia 10 de junho! Finalmente vamos poder “zerar” as “estatísticas furadas” até então e recomeçar do zero!

Com base nos números oficiais do fechamento da exportação da Cecafé* referente o período Julho-21 / Junho-22 vamos conseguir estimar / ajustar nosso quadro de “oferta x demanda”. E claro, o consumo interno brasileiro também deverá sofrer novos ajustes.

O clima segue seco, sem chuvas e ainda sem previsões de geadas para os próximos 5-10 dias.

Seguimos a mesma recomendação da semana passada:

– Para produtores com vendas/travas entre +250/+400 R$/saca para café robusta e entre +500/+800 R$/saca para café tipo arábica para as safras 22/23 e 23/24 esse mercado pode estar dando uma oportunidade para a recompra da posição e renegociação da entrega dos contratos com suas contra-partes! Procurem realizar “wash-out” ou comprar proteção utilizando as opções de compra “call*” ou as estruturas “call-spreads”. Se a safra brasileira realmente vier entre +48/+55 milhões de sacas o mercado vai “andar”!

Acreditamos que os fundamentos seguem positivos.

Qualquer movimento de baixa no curto prazo será uma oportunidade para os produtores “vendidos” se protegerem contra eventuais novas altas em função do início do inverno / risco geadas.

Muito cuidado/atenção e monitoramento diário nas notícias sobre clima, na agenda política/econômica, no andamento dos trabalhos da colheita! “Um olho no gato e o outro no peixe”!

P S: Segunda-feira feriado nos E.U.A. Terça-feira em diante teremos novas emoções!!

Ótima semana a todos!

Related posts

EPAMIG promove 14º Encontro Tecnológico do Café

I Simpósio Agrodigital da Cultura Cafeeira acontece online de 06 a 08 de outubro

Revista Attalea Agronegócios

Espécies do gênero Fusarium causam murcha em plantas de café Robusta no Espírito Santo

Revista Attalea Agronegócios

Deixe um comentário