CaféCafé e Mercado

[Marcelo Fraga Moreira] – Mercado do Café – “Rumo aos 330 C/LB?”

MARCELO FRAGA MOREIRA
[Comentário Semanal – 15 a 19/04/2024]
É um profissional há mais de 30 anos atuando no mercado de commodities agrícolas,

escreve este relatório sobre café semanalmente como colaborador da Archer Consulting –
Assessoria em Mercados de Futuros, Opções e Derivativos Ltda.
www.archerconsulting.com.br

A semana continuou firme com os fundos + especuladores “squeezando” os vendidos novamente. Após o Set-24 subir aproximadamente +1.900 pontos encerrou a sexta-feira @ +230,15 centavos de dólar por libra-peso com uma nova alta de “apenas” +550 pontos (fechamento anterior / mínima / máxima / fechamento respectivamente @ 224,65 / 219,30 / 243,30 / 230,15 centavos de dólar por libra-peso).

O Vencimento Maio-24 chegou a negociar na máxima do ano @ +253,70 centavos de dólar por libra-peso e encerrou a semana @ +241,40 centavos de dólar por libra-peso. O spread Maio-24 x Julho-24 encerrou a semana @ -955 com o mercado apostando na redução da oferta até a entrada da próxima safra brasileira! E o Robusta? Em Londres o vencimento Maio-24 também negociou na máxima histórica @ +4.322 US$/tonelada!

Mesmo com o R$ chegando a trabalhar @ +5,29 R$/US$ durante os 4 primeiros pregões da semana (desvalorizando aproximadamente -4,75%) as cotações em NY continuaram firmes levando o mercado interno a negociar acima dos +1.400 R$/saca para o café arábica tipo 6 e acima dos +1.200 R$/saca para o café robusta.

Após todo o stress com o novo ataque de Israel contra o Iran o R$ encerrou a semana @ +5,19 R$/US$. Com o “mercado” apostando agora que o FED* talvez não reduza mais os juros nos próximos 8 meses o US$ voltou a valorizar perante todas as moedas e os juros americanos dos 10 anos novamente voltou a negociar acima dos +4,60% ao ano!

No médio prazo a regra é simples: juros americanos pra cima, saída de dólares do Brasil para “investimentos mais seguros” com reflexo direto no câmbio. Junto com o efeito “FED*” acima o R$ também foi pressionado com as notícias vindas de Brasília com o governo novamente metendo os pés pelas mãos e já sinalizando que, infelizmente, o Brasil dificilmente conseguirá obter um superavit positivo nos próximos anos. Novamente o governo decidiu gastar mais do que arrecada (principalmente nas próximas 2 eleições: a de 2024 e a próxima presidencial em 2026).

Os fundos + especuladores continuaram comprando e encerraram o período “comprados” em +56.085 lotes, adicionando +4.292 lotes na posição. Em algum momento irão virar a mão podendo ficar novamente “vendidos” em -20/-30 mil lotes. Então, momento ideal para “surfar a onda da alta” e procurar realizar operações de proteção para as próximas 2-3 safras comprando as famosas opções de venda “put*”.

Muitos produtores continuam sentindo os efeitos da “picada do mosquito da alta” e seguem apostando em novas altas no curto prazo, já “sonhando com vendas” acima dos +2.000 R$/saca – equivalente a NY negociando @ +330 centavos de dólar por libra-peso! Possível? Sim… Provável? No curto prazo creio que não.

O mercado está recebendo suporte com o receio do clima prejudicar a produção na Colômbia, Vietnam e Indonésia. As altas temperaturas locais estão mesmo prejudicando o desenvolvimento das próximas safras 24/25 e alguns analistas já estão prevendo que as próximas safra da Colômbia, Vietnam e Indonésia deverão ser respectivamente +9,00 / +25,00 / +9,00 milhões de sacas. Com base na estimativa inicial, essas novas projeções estão tirando do mercado aproximadamente -4,50 milhões de sacas do quadro “Oferta x Demanda Mundial”.

O mercado está agora de olho na safra brasileira 24/25! Dependendo da safra brasileira 24/25 – estimada entre +67 / +73 milhões de sacas – poderemos ver um novo déficit global ao redor dos -1,00 milhões de sacas ou um superavit global ao redor dos +3,00 milhões de sacas (considerando a produção total global x o consumo total global).

O Brasil continua exportando muito café! Com base nos dados da Cecafé* o Brasil poderá exportar agora no mês de abril-24 entre +4,50 / +5,00 milhões de sacas – podendo ultrapassar o recorde já exportado em novembro-20 quando o Brasil exportou +4,77 milhões de sacas! Pelo jeito o estoque de passagem da safra 23/24 está sendo todo exportado. Se o mercado interno não tomar cuidado as torrefadoras poderão ter muita dificuldade no curto prazo para originar produto e cobrir suas necessidades.

Algumas corretoras – as famosas “…x” e alguns bancos estão ficando muito preocupados… Segundo alguns contatos internos, as famosas operações dos acumuladores estão machucando muita gente. Com muitos acreditando que o mercado não iria ultrapassar os +200 centavos de dólar por libra-peso e que o R$ não iria ultrapassar os +5,10 R$/US$, muitos clientes acabaram comprando acumuladores que “apareceram”, que “dobraram” e estão exigindo verdadeiras fortunas em chamadas de margem.

Como já falamos aqui, essas operações são um perigo e quem ganha nessas operações são apenas as corretoras quando recebem na frente o valor das enormes corretagens (escondidas nos custos e nos números dos lotes vendidos) que são cobradas no momento da execução dessas operações mirabolantes. Os corretores ficam felizes pois irão receber “gordos bônus”. E, quando o problema aparece no lado do “cliente” o problema passa a ser “do cliente”…

A colheita do café tipo robusta continua avançando e as notícias do campo não são nada animadoras. Aparentemente a seca e as múltiplas floradas prejudicaram o enchimento dos grãos. Agora os produtores estão precisando mais grãos para conseguir completar uma saca de 60 kgs. O mesmo deverá ocorrer com a safra do café tipo arábica (porém em menor proporção).

Para o mercado chegar nos +330 centavos de dólar por libra-peso essa quebra precisará ser confirmada e os problemas climáticos / produção no Vietnam e Indonésia também.

No curto prazo acredito numa realização – entre -1.000 / -1.500 pontos – com o Maio-24 voltando a testar os +230 centavos de dólar por libra-peso. Os fundos + especuladores estão “senhores” da situação e qualquer risco de novas chuvas atrasando as operações da colheita e qualquer risco da “primeira” geada poderá levar o mercado a subir – e a subir muito.

Por outro lado, como os fundos continuaram adicionando posições “compradas” nesse movimento de alta algum eventual “stop” ao redor dos +230 centavos de dólar por libra-peso no Maio-24 e/ou nos +224 centavos de dólar por libra-peso no Julho-24 poderá acionar uma “cadeia de stops” derrubando ainda mais as cotações. Muita atenção nesses suportes!

Ainda dá tempo: continuem aproveitando esse movimento de alta para se proteger – comprar seguro através das opções de venda “put*” garantindo um preço mínimo ao redor dos +1.000 R$/saca para o café tipo arábica. Para os que já estão com o seguro em posição aproveitem para “rolar” as posições “pra cima”, maximizando seu seguro, proteção!

Para os que estão “vendidos” com travas muito cuidado. As opções de compra “call*” estão muito caras mas poderão ficar mais caras ainda caso algum novo evento venha a ocorrer. Então, protejam-se.

O mercado continua muito técnico e perigoso!

Boa semana a todos!

Related posts

EXPOCAFÉ 2022: evento será realizado de 25 a 27 de maio em Três Pontas (MG)

Mario

3º TOUR DE CAMPO AGRO ALTA reuniu 120 cafeicultores em Cristais Paulista (SP) e em Buritizal (SP)

Mario

Da “Semente à Xícara”: 3ª ALTA CAFÉ, o Evento da Cafeicultura, dará ênfase à tecnologia na cafeicultura

Mario

Deixe um Comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais