CaféCafé e Mercado

[Marcelo Fraga Moreira] – Mercado do Café – “Mercado em Consolidação – Até Quando? (2)”

MARCELO FRAGA MOREIRA
[Comentário Semanal – 13 a 17/05/2024]
É um profissional há mais de 30 anos atuando no mercado de commodities agrícolas,

escreve este relatório sobre café semanalmente como colaborador da Archer Consulting –
Assessoria em Mercados de Futuros, Opções e Derivativos Ltda.
www.archerconsulting.com.br

O mercado do café continuou “de lado” e surpreendeu no último pregão da semana com o Set-24 subindo +850 pontos e encerrando o período com uma alta acumulada de +600 pontos (fechamento sexta-feira anterior / máxima / mínima / fechamento atual respectivamente @ +199,95 / +205,95 / +191,95 / +205,45 centavos de dólar por libra-peso).

O volume diário negociado também reduziu consideravelmente ao longo dos dias negociando respectivamente na segunda/terça/quarta/quinta/sexta-feira aproximadamente +48,300 / +37,800 / +29.250 / +24.700 / +35.440 lotes. Os fundos + especuladores reduziram novamente a posição comprada em -4.084 lotes  mas ainda continuam comprados em +42.457 lotes.

O próximo vencimento Julho-24 continua com 2 suportes muito importantes sendo “monitorados e testados” por todos. Como previsto, o primeiro suporte (a média-móvel dos +100 dias: encerrou essa  semana @ +194,15 centavos de dólar por libra-peso) voltou a ser testado na terça-feira (quando o mercado negociou na mínima da semana @ +192,75 centavos de dólar por libra-peso) e o segundo suporte sendo a média-móvel dos +200 dias: encerrou a semana @ +187,45 centavos de dólar por libra-peso).

Com a alta da sexta-feira o vencimento Julho-24 conseguiu negociar e encerrar acima da média-móvel dos +50 dias @ +206,60 centavos de dólar por libra-peso (encerrou a semana @ +203,70 centavos de dólar por libra-peso). Agora, dependendo do apetite dos fundos + especuladores, o Julho-24 tem espaço para voltar a buscar os +216 / +227 centavos de dólar por libra-peso.

Porém, com a entrada da safra (aproximadamente +15% já colhidos) e com a proximidade do próximo vencimento das opções do contrato Julho-24 no próximo dia 12 de junho creio que, conforme indicado no comentário semanal anterior, poderemos ver o Julho-24 voltando a testar novamente os +190/+180 centavos de dólar por libra-peso antes de voltar a subir com força.

Por enquanto, o mundo consumidor continua encontrando abastecimento suficiente do Brasil. Enquanto o Brasil continuar exportando acima dos +3,80 / +4,00 milhões de sacas por mês o mundo continuará “abastecido” e sem motivos para “pagar” por preços mais altos.

Segundo a Cecafé*, em abril-24 o Brasil exportou +4,22 milhões de sacas (+53% em comparação ao mês de abril-23 quando o Brasil exportou +2,76 milhões de sacas). Com o atraso / cancelamento de alguns navios durante o mês de abril-24 aproximadamente +300 mil sacas que deveriam ter sido exportadas deverão ser carregadas agora no mês de maio-24. Com base nas “emissões” emitidas e publicadas pela Cecafé* até o dia 17 de maio-24 o Brasil poderá exportar novamente algo entre +4,20 / +4,50 milhões de sacas – aproximadamente +80% acima do volume exportado no mês de maio-23 (quando o Brasil exportou +2,45 milhões de sacas).

Se o Brasil exportar +4,50 milhões de sacas em maio-24 e +4,00 milhões de sacas em junho-24 então o Brasil poderá encerrar a safra 23/24 exportando acima dos +47,60 milhões de sacas – surpreendendo praticamente a previsão de todos os analistas. Inclusive ultrapassando a “exportação recorde” durante a safra 20/21 quando o Brasil exportou +45,68 milhões de sacas para uma “safra recorde” 20/21 estimada então em +70 milhões de sacas!

As grandes dúvidas continuam sendo os dados/estatísticas (e principalmente a falta de dados confiáveis) referentes ao quadro da “oferta x demanda” do parque cafeeiro brasileiro!

Fazendo a “conta de chegada”, se o Brasil consumiu ao redor de +21,60 milhões de sacas e exportou +47,60 milhões de sacas, então apenas aqui já temos uma “produção mínima” na safra 23/24 em +69,20 milhões de sacas! A Conab* estimou a safra 23/24 em +55,07 milhões de sacas, o IBGE* em +56,98 milhões de sacas e o USDA* em +66,30 milhões de sacas. Apenas 2 “casas” estimaram a safra 23/24 brasileira acima dos +69,00 milhões de sacas: a Olam com +69,60 milhões de sacas e a Ecom com +69,90 milhões de sacas!

Para o Brasil ter consumido e exportado o total de +69,20 milhões de sacas no período Julho-23/Junho-24 mantendo um “estoque de passagem” mínimo da safra 23/24 para a safra 24/25 em pelo menos +15 milhões de sacas, então podemos questionar outras 2 variáveis:

  1. Se a Conab* estiver correta (com a produção em “apenas” +55,07 milhões de sacas) então o estoque de passagem da safra 22/23 para a safra 23/24 foi bem superior aos +15 milhões de sacas, podendo ser superior aos +30 / +40 milhões de sacas!
  2. As projeções da Conab* e IBGE* foram novamente subestimadas podendo o “erro” estar na “área real em produção” estar bem acima do estimado em +1,92 milhões de sacas e/ou a produtividade média em sacas/hectare ter sido considerada bem abaixo da realidade. Segundo a Conab*:

Para a próxima safra 24/25 a Conab* estima que “A área total, destinada à cafeicultura no país em 2024, espécies arábica e conilon, totaliza 2,25 milhões de hectares, aumento de 0,8% sobre a área da safra anterior, com 1,92 milhão de hectares destinados às lavouras em produção, crescimento de 2,4% em relação ao ano anterior, e 336,3 mil hectares em formação, redução de 7% em comparação ao ciclo anterior”.

 “Para a produtividade média nacional de café, a primeira estimativa indica +30,30 scs/ha, 3% maior em relação a safra anterior. A produtividade do café arábica está estimada em +26,7 scs/ha (aumento de 2% em relação à safra de 2023). A produtividade do café conilon está estimada em 44,3 scs/ha, 6,2% acima da safra anterior”.

Os dados vindos das lavouras do café robusta continuam “confirmando” uma quebra na produção da safra 24/25. Essa quebra, por enquanto, o mercado ainda “não comprou” mas esta monitorando de perto. Como “acreditar” nos dados que “não são confiáveis / auditados” vindos do produtor e da própria Conab* com o Brasil consumindo / exportando tanto nos últimos anos e nunca “faltando café”?

A colheita continua avançando com aproximadamente +15% já colhido até o próximo dia 19 de maio. As lavouras do café tipo arábica continuam apontando uma produção “não ideal mas ainda assim superior à do ano passado” (segundo relato de alguns produtores amigos).

Provavelmente o mercado vai sentir o reflexo dessa eventual quebra, tanto no café tipo robusta quanto no café tipo arábica, apenas durante o último trimestre de 2024 / primeiro trimestre 2025. Eventual / provável redução nas exportações e dificuldades na originação para café com peneira acima da 17/18 (tanto no café tipo robusta quanto no arábica) nesse nos próximos meses deverão dar suporte ao mercado.

O mercado interno continua negociando entre +850/950 R$/saca para o café tipo robusta (ainda -250 R$/saca abaixo do preço / paridade com o Vietnam) e o café tipo arábica entre +1.050/+1.150 R$/saca.

O outono está acabando e em breve deveremos ter a “primeira” frente fria chegando nas áreas produtoras. Enquanto o frio não chegar os produtores estarão avançando as operações da colheita. Precisamos ficar atentos pois um eventual risco para geadas e/ou novo período de seca entre agosto-novembro-24 poderão afetar a próxima safra 25/26.

Por enquanto ainda muitas perguntas:

– Qual o estoque de passagem da safra 22/23 para a safra 23/24? +15/+30 milhões de sacas?

– Qual o tamanho das safras 20/21; 21/22; 22/23; 23/24?

– Qual será o tamanho da próxima safra 24/25? +60 / +65 / +70 / +75 milhões de sacas?

– Qual será o estoque de passagem atual da safra 23/24 para a safra 24/25? +10 / +15 / +20 milhões de sacas?

– A China vai acordar? Ou já acordou? Qual será a demanda chinesa para os próximos 14/36 meses?

Continuo “baixista” no curto prazo com o Julho-24 podendo voltar a negociar ao redor dos +190/+180 centavos de dólar por libra-peso.

E “altista” no médio/longo prazo (principalmente se a safra brasileira 24/25 realmente vier abaixo dos +65 milhões de sacas).

Como sempre, Protejam-se!

Prestem atenção nos exemplos recentes dos mercados de cacau e açúcar! Altas “irracionais” levam o mercado a correções “irracionais” deixando os “desavisados” pelo caminho…

Boa semana a todos!

Related posts

[José Donizeti Alves] – Na colheita do café colha apenas os frutos, deixando as folhas e ramos.

Mario

[Marcelo Fraga Moreira] – Mercado do Café – “Depende do Ponto de Vista” (comentário semanal 13 a 17/09 de 2021)

Mario

Mercado: Em semana sem novidades, café fica praticamente estável

Mario

Deixe um Comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais