CaféCafé e Mercado

[Marcelo Fraga Moreira] – Mercado do Café – “Mercado ainda querendo ‘Pagar prá Ver’ “

MARCELO FRAGA MOREIRA
[Comentário Semanal – 15 a 19/05/2023]
É um profissional há mais de 30 anos atuando no mercado de commodities agrícolas,

escreve este relatório sobre café semanalmente como colaborador da Archer Consulting –
Assessoria em Mercados de Futuros, Opções e Derivativos Ltda.
www.archerconsulting.com.br

A confirmação da safra 22/23 colombiana na segunda feira (em apenas +10,88 milhões de sacas) fez o mercado chegar a subir aproximadamente +700 pontos (com o set-23 chegando a negociar @ +187,00 centavos de dólar por libra-peso). Também o mercado recebeu a notícia que a GCA* não vai mais publicar seus estoques! Esses números já não eram auditados e alguns do mercado diziam que “esses dados da GCA* não valem nada”. O mercado recebeu essa notícia como “altista” pois “para não publicarem é porque os estoques devem estar muito baixos”!

Por outro lado, o mercado necessita de transparência, de informações corretas das principais entidades. Imaginem se a Conab*, Cecafé, Abic*, Secex*, FNC*, Eurostat* deixarem de divulgar seus dados? Onde estão os líderes brasileiros da cafeicultura (como sra Vanusia Nogueira – diretora executiva da OIC*, sr Marcos Matos – diretor da Cecafé dentre outros)? A Conab* já parou de informar os estoques de passagem dos últimos 2 anos e também até agora nenhuma entidade do setor realizou uma reclamação formal contra a Conab*. Enfim…

Os três pregões seguintes foram muito voláteis com o Set-23 novamente chegando a negociar acima dos +190 centavos de dólar por libra-peso e novamente indo testar os importantes suportes das médias-móveis dos +50 e +200 dias (praticamente @ +181,50 centavos de dólar por libra-peso).

E na sexta-feira novamente o mercado voltou a subir +700 pontos, com volume (aproximadamente +47.000 lotes). O set-23 chegou a negociar @ +191,55 centavos de dólar por libra-peso e fechou cotado @ +189,30 centavos de dólar por libra-peso.

O mercado vem respeitando o intervalo entre +181 / +196 centavos de dólar por libra-peso, e qualquer destes rompimentos deverá acionar novas ordens de “stop”. Esses suportes vêm sendo testados e respeitados durante os últimos 15 pregões!! Será que na sexta-feira finalmente tivemos a indicação de um novo “pivô de alta”?

Notícias vindas da Indonésia e Vietnam contribuíram para animar o mercado. Aparentemente os prêmios pagos na Indonésia e Vietnam para o café tipo robusta seguem firmes (com a redução na disponibilidade do produto para embarque imediato) com negócios reportados com “prêmio” entre +150/+200 US$/ton.

O vencimento Maio-23 (em Londres para o café tipo robusta) terminou a semana cotado @ +2.723 US$/ton. O Maio-23 expirará no próximo dia 24, então poderemos ver ainda algum “squeeze” nesse vencimento. Interessante notar que os próximos vencimentos Julho-23 e Set-23 também terminaram a semana firmes acima dos +2.500 US$/ton (+2.588 e +2.530 US$/ton respectivamente).

Com esse “prêmio” pago nas outras origens (liquidando aproximadamente acima dos +830 R$/saca fob equivalente) e a dificuldade para originar animou o mercado brasileiro. Já teve negócios reportados acima dos +700 R$/saca e interesse de compra firme já em +625/+640 R$/saca.

Mesmo com a entrada da safra do café tipo robusta (aproximadamente já colhido +10%) acreditamos que o produtor que tiver paciência terá condições para aproveitar esse “rallie” de médio prazo e vender acima dos +700/+750 R$/saca e, quem sabe, até mesmo +800 R$/saca.

Notícias vindas das lavouras continuam confirmando a quebra nos rendimentos. Dificilmente a safra 23/24 do café tipo robusta será superior a +20,00 milhões de sacas!

A Conab* divulgou nova estimativa para a safra 23/24 e “cravou” novamente a estimativa abaixo dos +55 milhões de sacas ficando em +54,73 milhões de sacas (+37,93 milhões de sacas para o café tipo arábica e +16,81 milhões de sacas para o café tipo robusta).

O USDA* também divulgou novas estimativas para a Índia e Guatemala (em +5,80 e +3,43 milhões de sacas respectivamente – tirando do mercado apenas com essas duas origens -200.000 sacas).

Os estoques certificados continuam sendo consumidos e terminaram a semana com +629.000 sacas!

Segundo dados da Cecafé* a exportação brasileira para o mês de maio-23 deverá ficar abaixo dos +2,40 milhões de sacas!

De “-100.000 em -100.000” sacas os fundamentos continuam firmes e o mercado já está começando a reagir. Imaginem então quando a safra brasileira vier mesmo <= +60/+58 milhões de sacas?

“Retirando” do mercado -4/-5/-6 ou até mesmo -12 milhões de sacas (entre a estimativa da Conab* e as máximas estimativas acima dos +67 milhões de sacas) o Brasil irá “fazer preço”. E isso sem contar em eventual redução potencial em função do inverno/geada!

Nessa semana já ocorreram geadas bem localizadas em algumas regiões no sul/sudeste mas ainda não foram reportados problemas no cinturão cafeeiro. Para os próximos 10 dias a previsão climática indica tempo “aberto/bom” e o inverno está logo ai!  

Apenas recordando o mercado vem trabalhando com as seguintes estimativas:

Crop 23/24
TotalArabicaRobusta
    
* milhões sacas   
    
HedgePoint66,9045,4021,50
NKG64,9042,7022,20
Rabobank(*)67,1044,0023,10
ECOM69,9045,9323,97
COMEXIM64,0041,3022,70
Stone X62,3040,7021,60
Safras & Mercado(***)66,6543,5023,15
Volcafe62,9040,5022,40
Atlantica67,5645,6721,89
IBGE55,7038,5017,20
Marex63,2040,5022,70
CONAB54,7437,9316,81

(quem tiver números mais atualizados favor compartilhar)!

O grande risco para o mercado voltar a realizar no curto/médio prazo, a meu ver, será eventual queda no consumo em função da inflação na Europa e Estados Unidos. Muitos irão “reclamar” dizendo que o “café acima dos +800 R$/saca para o café tipo robusta e +1.200/+1.500 R$/saca para o café tipo arábica” está “caro”. Mas sabemos que as grandes tradings/industrias tem muita margem/gordura para abrir mão (não vamos esquecer dos lucros trimestrais reportados recentemente na Nestlé, Starbucks, Illy Café dentre outros). E as empresas continuam crescendo e abrindo lojas ao redor do mundo. Então, no curto prazo não acredito em redução significativa na demanda.

Continuamos recomendando ao produtor que já vendeu parte da sua produção para entregar agora entre julho/agosto/set-23 a realizar proteção na safra atual 23/24 comprando seguro contra eventual quebra na sua lavoura e/ou risco de geadas contra o vencimento Set-23. Sabemos que existe muito produtor que renegociou contratos da safra 20/21 e 21/22 para entregar agora com preços entre +550/+700/+800 R$/saca.

Analise a compra da opção de compra “Call*” strike +190 centavos de dólar por libra-peso ou a compra da estrutura “Call-Spread*” strike +190 / -220 centavos de dólar por libra-peso.

Para a próxima safra 24/25 seguimos indicando a compra da “put-spread*” strike +190 / -150 centavos de dólar por libra-peso vendendo a opção de compra “Call*” strike +225 centavos de dólar por libra-peso. Com base no fechamento da última sexta-feira essa operação tem um custo aproximado de -21,00 R$/saca e garante ao produtor um “piso/teto” entre +1.080 / +1.350 R$/saca considerando um “prêmio de venda / basis de venda” em -35 pontos. Se esse “prêmio de venda / basis de venda” subir para -25 pontos esse “piso/teto” passará para +1.160 / +1.430 R$/saca (desde que o Set-24 termine no dia 09 de agosto de 2024 acima dos +150 / +225 centavos de dólar por libra-peso!

Como sempre, fiquem atentos, acompanhem o mercado diariamente, aproveitem as oportunidades, e, PROTEJAM-SE!

Boa semana a todos!

-x-x-x-x-x-x-

** “Call” = opção de Compra

** “Put” = opção de Venda

** “Compra Call-Spread” = compra e venda simultânea de 2 Opções de Compra comprando a Opção com preço de exercício mais baixo vendendo a Opção com preço de exercício mais alto);

** “Venda Call-Spread” = venda e compra simultânea 2 Opções de Compra vendendo a Opção com preço de exercício mais baixo e comprando a Opção com preço de exercício mais alto);

** “Compra Put-Spread” = compra e venda simultânea 2 Opções de Venda comprando a Opção com preço de exercício  mais alto e vendendo a Opção com preço de exercício mais baixo);

** “Venda Put-Spread” = venda e compra simultânea 2 Opções de Venda vendendo a Opção com preço de exercício  mais alto e comprando a Opção com preço de exercício mais baixo);

** “CFTC” = Commodity Futures Trading Commission – agência independente do governo dos Estados Unidos que regula os mercados de futuros e opções das commodities;

** “IBGE” = Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

 ** “Cecafé” = Conselho dos Exportadores de Café do Brasil

** “SECEX” = Secretaria comércio exterior

** “USDA” = Departamento da Agricultura dos Estados Unidos

** “FNC” = Federação Nacional dos Cafeicultores da Colômbia

** “FAS” = Serviço Agrícola Estrangeiro do USDA*

** “OIC” = Organização Internacional do Café

** “GCA” = Green Coffee Association

** “ABIC” = Associação Brasileira da Indústria de Café

** “Sincal” = Associação dos Produtores do Brasil

** “NDF” = (Non-Deliverable Forward), um contrato a termo de moeda com liquidação financeira, com vencimento para aquele mês

** “Pib” = Produto Interno Bruto

** “FED” = Banco Central Americano

** “NOAA” = Departamento Nacional da Atmosfera e Oceanos dos Estados Unidos

** “EUROSTAT”  = Serviço de Estatística da União Europeia responsável pela publicação de estatísticas e indicadores de elevada qualidade a nível europeu que permite a comparação entre países e regiões

** “OPEP” = A Organização dos Países Exportadores de Petróleo

** “COOXUPÉ” = Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé

** “Coccamig” = Cooperativa Central de Cafeicultores e Agropecuaristas de Minas Gerais

** “PIB” = Produto interno Bruto de um país

** “COPOM” = Comitê de Política Monetária, é um órgão do Banco Central. Ele foi criado em 1996 com o objetivo de traçar e acompanhar a política monetária do país. Esse é o órgão responsável pelo estabelecimento de diretrizes a respeito da taxa de juros

** “BASIS” = O basis é a disparidade de preço causada pela diferença geográfica entre os pontos de entrega da commodity. Ele é calculado subtraindo o valor da commodity no mercado físico em determinada praça, pelo preço do mesmo produto no mercado futuro.

** “Bandas de bollinger” = do inglês bollinger bands, é um indicador de volatilidade bastante utilizado para prever se um ativo está sobre-comprado, estável ou sobre-vendido. Ele é formado por duas médias móveis, uma superior e outra inferior que indicam tal informação. São alguns atributos desse indicador:

  • Antever os níveis de preço de um ativo
  • Antecipar topos e fundos de preço no gráfico
  • Mostrar a intensidade de valorização ou desvalorização de um ativo

Portanto, este indicador tenta mostrar se uma ação está barata ou cara, em um determinado período de tempo.

Desse modo, ele é indicado para operações de curto prazo,  ou .

O autor da técnica é o americano John Bollinger (nascido em 1950), analista financeiro e colaborador da área de análise técnica. John lançou o seu livro Bollinger on Bollinger Bands em 2001, mas essa técnica começou a ser desenvolvida por ele ainda na década de 1980. As bandas são derivadas das médias móveis e mostram que, independente de qualquer movimento que o preço faça, ele tende a voltar a um equilíbrio. Portanto, temos aí um “estreitamento das bandas”.

** “PMI” = A sigla PMI significa, em inglês, Purchasing Manager’s Index e é um indicador que mede a atividade econômica de um país a partir de pesquisas mensais realizadas por uma empresa privada.

Assim, o PMI também é conhecido como Índice de Gerentes de Compra e seu principal objetivo é fornecer informações sobre a temperatura de alguns setores da economia e orientar os diversos profissionais do mercado.

Related posts

[Flávia Patrício] – Cobre na cultura do cafeeiro

Mario

[Ensei Neto] – A Acrilamida e o Café

Mario

[Francisco Jardim] – Sabor de Boa Colheita

Mario

Deixe um Comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais