CaféCafé e Mercado

[Marcelo Fraga Moreira] – Mercado do Café – “DAVIS” X “GOLIAS”!

MARCELO FRAGA MOREIRA
[Comentário Semanal – 05 a 09/02/2024]
É um profissional há mais de 30 anos atuando no mercado de commodities agrícolas,

escreve este relatório sobre café semanalmente como colaborador da Archer Consulting –
Assessoria em Mercados de Futuros, Opções e Derivativos Ltda.
www.archerconsulting.com.br

Uma semana “lateral” com o tão aguardado vencimento das opções no contrato Março-24 na sexta-feira sendo a vedete do carnaval! Como esperado, o strike @ +190,00 centavos de libra-peso balizou a semana e deu um último folego no dia do vencimento com as opções dos strikes @ +190,00 / +192,50 e +195,00 centavos de dólar por libra-peso fechando com altas impressionantes (valorizaram respectivamente +697%, +1.257%, e +1.081%). Conforme reflexões anteriores, deixar de zerar opções “baratas” para ir pro vencimento esperando que irão “virar pó” pode quebrar muita gente! Por exemplo, a opção no strike +192,50 centavos de dólar por libra-peso saiu de +0,28 pontos para +3,80 pontos (aproximadamente de +1,85 R$/saca para +25,08 R$/saca)!

O vencimento Set-24, após voltar a negociar acima dos +190 centavos de dólar por libra-peso, fechou a semana praticamente inalterado @ +189,90 centavos de dólar por libra-peso x +188,10 centavos de dólar por libra-peso na semana anterior. O R$, após romper rapidamente os +5,00 R$/US$ trabalhou no intervalo +5,02 / +4,95 r$/US$.

Com a puxada no vencimento Março-24 (chegou a negociar na máxima do dia @ +197,00 centavos de dólar por libra-peso) o “spread” Março-24 x Maio-24 voltou a abrir para -480 pontos. O mercado segue “invertido” até o próximo vencimento Mar-25! Ou seja, o “mercado” continua apostando em uma oferta justa durante os próximos 12 meses! Idem para o mercado do robusta que segue “invertido” até o vencimento Set-25!

Londres continuou fazendo a alegria do produtor do café robusta! Encerrou a semana com os próximos 10 vencimentos ainda “invertido” e com os próximos 4 vencimentos acima dos +3.000 US$/tonelada. O vencimento Março-24 chegou a negociar @ +3.355 US$/tonelada e encerrou @ +3.349 US$/tonelada (aproximadamente +200,90 US$/saca fob equivalente ou +1.197,36 R$/saca)!

Considerando custos logísticos internos no Vietnam ao redor dos +197 R$/saca então o produtor brasileiro continua vendendo seu café robusta “MUITO BARATO”, com pelo menos -150 R$/saca de desconto para o café do Vietnam! Produtores de robusta prestem atenção e NÃO deixem dinheiro na mesa! Com café arábica “tipo rio” negociando acima dos +1.000 R$/saca não faz sentido vender robusta de boa qualidade com um desconto tão elevado, principalmente em um mercado onde a oferta do robusta deverá ser muito justa durante os próximos 4 meses!

O mercado interno para o café robusta continua firme e tivemos negócios reportados para o café robusta acima dos +850 R$/saca e alguns negócios já acima dos +870 R$/saca!

O café arábica tipo 6 encerrou a sexta-feira com negócios entre +1.050 / +1.090 R$/saca e para o café arábica tipo “cereja descascado” voltando a negociar entre +1.100 / +1.180 R$/saca (dependendo localização / certificação). O café arábica tipo “rio” chegou a ser negociado acima dos +1.000 R$/saca! E pensar que há alguns dias estava negociando @ +850/840 R$/saca!

Infelizmente o spread entre o café arábica e o café robusta continua “fechando”, ficando agora ao redor dos +200 R$/saca. Ainda continuo acreditando que o café arábica está “atrasado” e será questão de dias para o spread voltar a negociar novamente entre +350/+500 R$/saca. Ou seja, NY precisa subir ou Londres cair!

Pelas noticias vindas do Vietnam e Indonésia (referente quebras nas safras, problemas logísticos – com as restrições da navegação no Canal de Suez – e com os produtores procurando renegociar contratos) e com muito café robusta brasileiro sendo exportado nesses 7 primeiros meses da safra 23/24 (+4,08 milhões de sacas) provavelmente em breve iremos ver NY rompendo finalmente os +200 centavos de dólar por libra-peso!

O volume diário semanal negociado foi o maior do ano. Na sexta-feira apenas foram negociados aproximadamente +98.800 lotes! Os fundos + especuladores continuam comprados em +36.120 lotes (segundo a última publicação do CFTC*). Com o alto volume negociado nos últimos 3 pregões da semana provavelmente teremos uma posição bem maior a ser reportado na próxima semana.

Com a onda de calor assolando as principais zonas produtoras creio que os fundos + especuladores deverão continuar “comprados” até chegar o inverno brasileiro, aumentando a posição e levando o mercado para romper os +250/280 centavos de dólar por libra-peso em breve. Esse eventual movimento de alta irá deixar muita gente machucada pelo caminho com as temidas “chamadas de margem”. Desta forma, para os “vendidos”, minha sugestão é para quem estiver vendido comprar proteção via “call-spread” strike +210/-250 ou +230 /-280 no vencimento Set-24. No primeiro sinal de quebra e/ou risco de uma geada durante o período “15 maio – 15 agosto-24” o mercado poderá sim explodir!  

Na minha opinião o grande receio, no curto prazo, continua sendo o mercado continuar trabalhando com +1.500 / +2.000 pontos acima da média-móvel dos +200 dias nos próximos vencimentos até o Set-25! Poderá continuar subindo? Creio que sim, mas uma correção no curto prazo seria bem saudável para o mercado.

O clima continua muito seco e quente nas principais áreas produtoras. Muitos produtores estão preocupados com a fase do enchimento dos grãos e com potencial stress hídrico nas plantas nas próximas semanas. Alguns produtores do café robusta já estão estimando antecipar e começar as operações da colheita da próxima safra 24/25 já a partir da segunda quinzena de março! Será que essa colheita antecipada será uma boa decisão? Os grãos estarão bem formados, “cheios”?

Nessa semana tive contato com alguns produtores reportando dificuldades em conseguir uma cotação / liquidez para comprar seguro via opções de compra “call*” para se protegerem contra eventual quebra na safra 24/25 e/ou poder continuar participando em eventual alta. Um dos produtores vendeu aproximadamente +5.000 sacas para entrega entre maio/junho-24 com preço fixo para uma grande trading e pediu para o trader cotar uma opção de compra contra o vencimento julho-24.

Infelizmente não obteve retorno da trading… Está esperando até agora! Recebeu a seguinte resposta do trader: “Vou cotar e te retorno”… Passados 3 dias silêncio total! Após entrar em contato comigo liguei para um trader (amigo meu da Marex*) e conseguimos a cotação indicativa para o produtor em menos de 10 minutos!

Ora, uma cooperativa / trading / comerciante sério deveria agradecer quando um produtor instruído solicita a compra do seguro! Esse seguro irá proteger tanto o produtor quanto a cooperativa / trading em caso de eventual “desastre”. Realmente não da pra entender esse descaso dos “grandes Golias” frente aos “pequenos Davis”.

As cooperativas / tradings / comerciantes deveriam fazer de tudo para proteger o produtor. A não ser que tenham algum outro interesse escuso (como tomar posse das terras do produtor no curto/médio prazo)… Ora, o produtor em questão não estava “pedindo /mendigando” um seguro! Ele estava disposto a pagar por ele!

Tenho certeza que o “mercado” poderia ser muito mais liquido / transparente e seguro caso essas ferramentas de hedge / seguro fossem realmente divulgadas da maneira correta para o produtor ao invés de tentar mantê-lo na “rédea-curta” procurando tirar vantagem sobre ele. Lamentável!

A Cecafé publicou o fechamento dos embarques do mês de Janeiro-24 e o Brasil exportou “apenas” +3.96 milhões de sacas (deste total +3,21 milhões de sacas do café tipo arábica e +0,46 milhões de sacas do café tipo robusta). Provavelmente nesse mês de Janeiro-24 tivemos sim algum reflexo com os problemas logísticos derivados da guerra de Israel, pois nos últimos meses o “número de emissão” da Cecafé foram muito próximos do “número exportado”. E nesse mês de Janeiro-24 a exportação veio aproximadamente -300 mil sacas abaixo do esperado.

Durante os 7 meses da safra 23/24 o Brasil já exportou +26,95 milhões de sacas  x +22,23 milhões de sacas durante mesmo período da safra anterior (aumento de +21,23%). Desse total o Brasil exportou +4,41 milhões de sacas de café tipo robusta! Com ainda 5 meses para acabar o ano-safra então possivelmente o Brasil deverá exportar entre +5,50 / +6,00 milhões de sacas do café tipo robusta.

O Brasil deverá continuar exportando um volume considerável nos próximos anos pois o café robusta brasileiro também apresenta excelente qualidade, preço e logística confiável! O café tipo robusta brasileiro ainda deverá competir com o café do Vietnam e Indonésia ainda com base “em preço” nos próximos 1-2 anos até cair na graça do comprador externo! Produtor continue realizando o excelente trabalho no processamento do seu café para continuar ganhando mercado não apenas pelo “preço” mas principalmente pela qualidade do seu produto! Em breve o Brasil deverá ultrapassar o Vietnam e vir a ser o maior produtor mundial de café tipo robusta também!

Como o Brasil não possui controle sobre o volume exportado creio que o mercado interno vai acabar pagando o preço pela exportação elevada do café robusta nessa safra 23/24. Como já falamos aqui, considerando agora uma safra 23/24 para o café tipo robusta em +20,00 milhões de sacas e uma exportação em -6,00 milhões de sacas então o Brasil terá apenas +14,00 milhões de sacas para abastecer o mercado interno.

Considerando um consumo interno em +21,50 milhões de sacas então o Brasil vai precisar direcionar aproximadamente +7,50 milhões de sacas do café tipo arábica para o mercado interno (claro, provavelmente o café de baixa qualidade “tipo rio” – uma vez que a cereja do bolo normalmente é exportada).O quadro “oferta x demanda mundial” continuará muito justo durante as próximas 3 safras – mesmo considerando um “melhor cenário” com base nos dados do USDA*. Ainda acredito em preços firmes acima dos +1.000 R$/saca para o café tipo arábica e acima dos +650/+700 R$/saca para o café tipo robusta nos próximos 12-24 meses. NY voltando para os +150/+130 centavos de dólar por libra-peso e Londres para +2.500 / +2.000 US$/tonelada no curto prazo creio ser muito difícil:

Mesmo com o cenário ainda positivo o hedge / proteção precisa ser utilizado para evitar eventos “do cisne negro”, ou do “cuidado que o bicho-papão vem te pegar”!

Na sexta-feira, com a alta do mercado, já ficou possível novamente o produtor proteger sua safra 24/25, contra o vencimento Dez-24, garantindo um seguro com “piso-teto” entre +1.015 / +1.270 R$/saca desde que o Dez-24 encerre acima dos +160 centavos de dólar por libra-peso para garantir o piso e em +220 centavos de dólar por libra-peso para garantir o teto. Entre +220 ate +250 centavos de dólar por libra-peso o produtor estará correndo um risco em até -200 R$/saca, e se o mercado explodir acima dos +250 centavos de dólar por libra-peso o produtor estará protegido.

Aproveite as oportunidades que o “mercado” está te dando pra depois não se arrepender / quebrar!

Como sempre, PROTEJA-SE!! O mercado será sempre “soberano”!

Boa semana!

Related posts

1ª ALTA CAFÉ: temas diferenciados e pesquisadores renomados no Workshop

Mario

Jacto mantém condições especiais que seriam oferecidas na Fenicafé

Mario

ENCOFFEE 2019: Gestão eficiente da propriedade e dos processos faz cafeicultura avançar

Mario

Deixe um Comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais