CaféCafé e Mercado

[Marcelo Fraga Moreira] – Mercado do Café – “A Safra 23/24 projeta ter sido bem acima da Estimativa da CONAB*!”

MARCELO FRAGA MOREIRA
[Comentário Semanal – 12 a 16/02/2024]
É um profissional há mais de 30 anos atuando no mercado de commodities agrícolas,

escreve este relatório sobre café semanalmente como colaborador da Archer Consulting –
Assessoria em Mercados de Futuros, Opções e Derivativos Ltda.
www.archerconsulting.com.br

A semana iniciou com o Brasil “celebrando” o carnaval e muitos produtores aguardando a abertura do mercado na quarta-feira para tentar vender acima do “número mágico” dos +1.100 R$/saca para o café arábica tipo 6.

Durante os 2 primeiros dias da semana, com o Brasil ainda “de férias” o contrato Março-24 voltou a “beliscar” os +200 centavos de dólar por libra-peso negociando na máxima do dia na segunda e na terça-feira respectivamente @ +198,65 e @ +197,10 centavos de dólar por libra-peso. Entre a máxima da segunda-feira e a mínima negociada na sexta-feira (@ 188,15 centavos de dólar por libra-peso) o vencimento Março-24 chegou a cair -1.050 pontos e encerrou cotado @ +190,85 centavos de dólar por libra-peso.

Com a queda dos preços em NY o reflexo no mercado interno foi imediato. Em algumas praças o mercado voltou a negociar abaixo dos +1.000 R$/saca para o café arábica tipo 6 e abaixo dos +900 R$/saca o café arábica tipo “rio”. Londres também recuou aproximadamente -100 US$/tonelada porém os 4 próximos vencimentos conseguiram encerrar a semana ainda acima dos +3.000 US$/tonelada (março-24, maio-24, julho-24 e setembro-24 respectivamente @ +3.231 US$/tonelada, +3.141 US$/tonelada, +3.076 US$/tonelada e +3.016 US$/tonelada). Assim o café robusta continuou negociando acima dos +800 R$/saca para entrega imediata e também para a safra nova 24/25 (com entrega para abril-maio-24).

O “mercado” justificou a queda dos preços na semana tomando por base as chuvas e os dados da exportação da Cecafé* referente ao mês de janeiro-24.

Ora, as chuvas já estavam no radar desde o final da semana passada. E sim, as chuvas voltaram a cair em muitas regiões porém o “estrago” para a safra 24/25 já está feito. As chuvas, claro, são benéficas para a recuperação das lavouras e importantes agora na fase final do enchimento dos frutos. Porém, o benefício dessas chuvas deverá refletir de verdade na próxima safra 25/26.

O “mercado” ficou “surpreso” com o Brasil exportando “+39,79%” em janeiro-24 acima do mês janeiro-23 (+3,96 milhões de sacas x +2,83 milhões de sacas respectivamente). Porém, em janeiro-22 e em janeiro-21 o Brasil exportou respectivamente +3,41 milhões de sacas e +3,66 milhões de sacas.

Pelo jeito o “mercado” também vai ficar “surpreso” e usar os dados da exportação do mês de fevereiro-24 para “tentar derrubar” os preços novamente e justificar um novo “aumento recorde” nas exportações durante o mês fev-24 x fev-23 em aproximadamente +49% (pela projeção das “emissões” da Cecafé* em fev-24 o Brasil deverá exportar ao redor dos +3,60 milhões de sacas). Ora, em fev-23, fev-22 e fev-21 o Brasil exportou respectivamente +2,44 milhões de sacas, +3,58 milhões de sacas, e +3,98 milhões de sacas.A safra brasileira 23/24 realmente foi grande e novamente bem acima da estimativa da Conab*.

Com base nas estimativas iniciais referente ao “estoque de passagem” da safra 22/23 para a safra 23/24 em +12,50 milhões de sacas, um consumo interno em +21,50 milhões de sacas, e uma exportação total em +43,00 milhões de sacas, e mantendo um estoque de passagem da safra 23/24 para a próxima safra 24/25 nos mesmos +12,50 milhões de sacas, então a safra brasileira 23/24 deverá ter sido mesmo ao redor dos +64,50 milhões de sacas:

As exportações brasileiras deverão ser acompanhadas com muita atenção durante os próximos 4 meses. Considerando as exportações conforme o quadro abaixo, então o Brasil poderá exportar próximo dos +43/+45 milhões de sacas confirmando o quadro acima.

Apenas com uma eventual redução “drástica” nas exportações a partir do mês de março-24 a safra brasileira 23/24 deverá ter sido então inferior aos +64,50 milhões de sacas. Por outro lado, o grande mistério continuará sendo o “estoque de passagem”!

Já existe grande discussão referente a safra 24/25. Muitos produtores e agrônomos “batem o pé” e já confirmam grandes quebras na produção do café tipo robusta (algumas regiões acima dos -50%) e para a produção do café tipo arábica (uma queda estimada entre -15/-20%). Ora, esses mesmos produtores/agrônomos acreditavam que a safra 23/24 seria “bem abaixo” do levantamento da Conab* (+55,07 milhões de sacas) e infelizmente os números provam – por enquanto – que estavam errados (salvo se todo o “mercado” estiver errado e o estoque de passagem da safra brasileira 22/23 para a safra 23/24 for superior aos +12,50 milhões de sacas acima estimado. E esse “estoque de passagem” será então de quantas milhões de sacas? +15,00? +20,00? +25 milhões de sacas)?

Alguns analistas já estão projetando a próxima safra 24/25 ao redor dos +69/+70 milhões de sacas enquanto os produtores “juram de pé junto” que será inferior a safra 23/24.

Volto a insistir que “o mercado é soberano” e a melhor forma para o produtor se proteger é realizando a sua lição de casa! Saber o seu custo de produção e se proteger!

Segundo o CFTC* os fundos + especuladores continuaram comprando durante o último período de apuração (quarta-feira semana anterior até a terça feira da semana presente) e estão agora comprados em +39.246 lotes. Com um inverno brasileiro pela frente creio que dificilmente irão reduzir a posição drasticamente até o final de maio / junho-24, salvo algum evento macro vier a afetar o mercado.

Por outro lado, se a safra brasileira 23/24 se confirmar acima dos +64 milhões de sacas e a safra 24/25 vier com sinalização para uma safra novamente acima dos +65/+68/+70 milhões de sacas então o mercado poderá realizar.

No curto prazo o Set-24 apresenta importantes suportes @ +182,00 / +175,40 / +171,50 centavos de dólar por libra-peso e importantes resistências @ +185,70 / +186,20 / +186,70 / +195,90 centavos de dólar por libra-peso.

Como sempre, PROTEJA-SE!! O mercado será sempre “soberano”!

Boa semana a todos!

=x=x=x=x=x=x

** “Call” = opção de Compra

** “Put” = opção de Venda

** “Compra Call-Spread” = compra e venda simultânea de 2 Opções de Compra comprando a Opção com preço de exercício mais baixo vendendo a Opção com preço de exercício mais alto);

** “Venda Call-Spread” = venda e compra simultânea 2 Opções de Compra vendendo a Opção com preço de exercício mais baixo e comprando a Opção com preço de exercício mais alto);

** “Compra Put-Spread” = compra e venda simultânea 2 Opções de Venda comprando a Opção com preço de exercício  mais alto e vendendo a Opção com preço de exercício mais baixo);

** “Venda Put-Spread” = venda e compra simultânea 2 Opções de Venda vendendo a Opção com preço de exercício  mais alto e comprando a Opção com preço de exercício mais baixo);

** “CFTC” = Commodity Futures Trading Commission – agência independente do governo dos Estados Unidos que regula os mercados de futuros e opções das commodities;

** “IBGE” = Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

 ** “Cecafé” = Conselho dos Exportadores de Café do Brasil

** “SECEX” = Secretaria comércio exterior

** “CNC” = Conselho Nacional do Café

** “USDA” = Departamento da Agricultura dos Estados Unidos

** “FNC” = Federação Nacional dos Cafeicultores da Colômbia

** “FAS” = Serviço Agrícola Estrangeiro do USDA*

** “OIC” = Organização Internacional do Café

** “GCA” = Green Coffee Association

** “ABIC” = Associação Brasileira da Indústria de Café

** “Sincal” = Associação dos Produtores do Brasil

** “NDF” = (Non-Deliverable Forward), um contrato a termo de moeda com liquidação financeira, com vencimento para aquele mês

** “Pib” = Produto Interno Bruto

** “FED” = Banco Central Americano

** “NOAA” = Departamento Nacional da Atmosfera e Oceanos dos Estados Unidos

** “EUROSTAT”  = Serviço de Estatística da União Europeia responsável pela publicação de estatísticas e indicadores de elevada qualidade a nível europeu que permite a comparação entre países e regiões

** “OPEP” = A Organização dos Países Exportadores de Petróleo

** “COOXUPÉ” = Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé

** “Coccamig” = Cooperativa Central de Cafeicultores e Agropecuaristas de Minas Gerais

** “PIB” = Produto interno Bruto de um país

** “COPOM” = Comitê de Política Monetária, é um órgão do Banco Central. Ele foi criado em 1996 com o objetivo de traçar e acompanhar a política monetária do país. Esse é o órgão responsável pelo estabelecimento de diretrizes a respeito da taxa de juros

** “BASIS” = O basis é a disparidade de preço causada pela diferença geográfica entre os pontos de entrega da commodity. Ele é calculado subtraindo o valor da commodity no mercado físico em determinada praça, pelo preço do mesmo produto no mercado futuro.

** “Bandas de bollinger” = do inglês bollinger bands, é um indicador de volatilidade bastante utilizado para prever se um ativo está sobre-comprado, estável ou sobre-vendido. Ele é formado por duas médias móveis, uma superior e outra inferior que indicam tal informação. São alguns atributos desse indicador:

  • Antever os níveis de preço de um ativo
  • Antecipar topos e fundos de preço no gráfico
  • Mostrar a intensidade de valorização ou desvalorização de um ativo

Portanto, este indicador tenta mostrar se uma ação está barata ou cara, em um determinado período de tempo.

Desse modo, ele é indicado para operações de curto prazo, day trade ou swing trade.

O autor da técnica é o americano John Bollinger (nascido em 1950), analista financeiro e colaborador da área de análise técnica. John lançou o seu livro Bollinger on Bollinger Bands em 2001, mas essa técnica começou a ser desenvolvida por ele ainda na década de 1980. As bandas são derivadas das médias móveis e mostram que, independente de qualquer movimento que o preço faça, ele tende a voltar a um equilíbrio. Portanto, temos aí um “estreitamento das bandas” no gráfico de candlestick.

** “PMI” = A sigla PMI significa, em inglês, Purchasing Manager’s Index e é um indicador que mede a atividade econômica de um país a partir de pesquisas mensais realizadas por uma empresa privada.

Assim, o PMI também é conhecido como Índice de Gerentes de Compra e seu principal objetivo é fornecer informações sobre a temperatura de alguns setores da economia e orientar os diversos profissionais do mercado.

Related posts

[Fundação PROCAFÉ] – Forte abortamento de frutinhos e rosetas em cafeeiros por efeito de estiagem

Mario

[Fernando Morales de la Cruz] – “O preço ideal do café”

Mario

[ATLANTICA COFFEE] – Relatório Semanal Nov/Dez 2023

carlos

Deixe um Comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais