Powered by Rock Convert
Revista Attalea Agronegócios
Image default
Bovinos de Corte

Manejo de Cocho: fundamental para o sucesso do confinamento

Quando se fala em confinamento de bovinos de corte, um dos grandes objetivos que se tem buscado é ser cada vez mais eficiente na compra e venda dos animais, compra de insumos, otimização e uso das dietas, desenvolvimento e adoção de novas tecnologias para melhorar a eficiência e o manejo da fazenda. Falando mais específico sobre manejo, ele representa um dos principais pontos que temos de oportunidades, já que está nas nossas “mãos” e que podemos fazer toda diferença “dentro de casa”.

Principalmente em anos mais difíceis, precisamos ser ainda mais eficientes para obtermos o retorno esperado do capital investido. Entre os principais custos do confinamento está o custo da dieta, que sem considerar o custo da @ comprada, representa em média 80% do custo de produção. Em muitos casos, quando não se dá a atenção necessária ao manejo, temos chances de não observar as oportunidades de ganhos ou os riscos de perdas na produção.

A Professora Dra. Gabriella Varga da Penn State University fala que: “o sucesso da dieta é 80% manejo e 20% do computador que gerou essa dieta”. Isto deve se ao fato de que, para que a dieta formulada pelo computador/nutricionista seja a mesma ingerida pelos animais, temos vários processos envolvidos e que precisam ser executados de forma eficaz.

BOVINOS DE CORTE: MANEJO DE COCHO

O manejo de cocho em confinamentos tem entre os principais objetivos, promover o consumo ideal da dieta para obter a melhor eficiência dos bovinos e por consequência trazer a maior rentabilidade. A eficiência alimentar é influenciada pelo ganho de peso e consumo dos animais, que pode ser afetado por perdas de dieta (desperdícios).

Alimentar os bovinos de corte em excesso pode resultar em desperdícios e redução no aproveitamento da dieta. Restrições alimentares maiores que o ideal pode resultar em redução do desempenho e não aproveitar o potencial de ganho de peso dos animais.

Existem vários tipos de manejo de cocho aplicados atualmente no Brasil. Nós da Cargill Nutrição Animal, dividimos os manejos em 3 tipos:

  • Manejo de Cocho Ad Libitum (à vontade)
  • Manejo de Cocho com Restrição
  • Manejo de Cocho Limpo, sendo este subdividido em 2 estágios: Convencional e Avançado.

MANEJO DE COCHO AD LIBITUM

No Manejo de Cocho Ad Libitum o fornecimento de dieta é realizado à vontade, ou seja, o objetivo é que os cochos não fiquem sem dieta em nenhum momento. Normalmente é utilizado em situações em que não se tem a possibilidade de coletar e utilizar informações no dia-dia, principalmente com relação a quantidade de dieta ofertada. A correção do fornecimento é definida conforme observação da quantidade de dieta disponível no cocho pelo “tratador” durante o dia, mantendo dieta disponível o tempo todo.

Quando os bois são alimentados à vontade a oscilação de consumo é maior, sendo mais complicado ajustar a quantidade a ser fornecida, dificultando a programação operacional. Além de promover pior eficiência no aproveitamento dos alimentos, temos maior ocorrência de sobras e maior risco de problemas metabólicos. Normalmente, utilizam-se dietas com maior nível de fibra e menos energéticas.

MANEJO DE COCHO COM RESTRIÇÃO

No Manejo de Cocho com Restrição o fornecimento de dieta é restrito. Alimentação restrita tende a melhorar a conversão alimentar, sendo nível ótimo de consumo entre 90-95% da ingestão a vontade (não restrita). Normalmente é utilizado em categorias de bovinos de corte em fase de crescimento.

Para que este tipo de manejo seja realizado é necessário que haja um excelente controle de dados e alta precisão no fornecimento diário. Caso o consumo real seja aquém do necessário, o ganho de peso pode cair e deixamos de aproveitar o potencial de desempenho dos bovinos. Neste tipo de manejo é muito importante que seja revisado o número de bois por curral e espaço de cocho por cabeça. É fundamental ter espaço para todos os animais consumirem ao mesmo tempo, devido ao fornecimento de quantidades menores de dietas e os cochos ficarem por vários períodos do dia vazios.

MANEJO DE COCHO LIMPO

O Manejo de Cocho Limpo é o tipo de manejo que utilizamos em vários clientes e buscamos permanentemente o aperfeiçoamento de suas técnicas de forma a obter os melhores resultados e uma maior praticidade. Este manejo trouxemos dos EUA de experiências adquiridas na criação e aplicação do Manejo de Cocho em confinamentos próprios, de clientes e junto a instituições de pesquisa, tudo isso alinhados ao conhecimento e as experiências da equipe Nutron/Cargill, empresa pioneira em confinamentos de Bovinos de corte no Brasil.

No Manejo de Cocho Limpo a sobra ideal que se busca é de resquícios de dieta, com fundo do cocho aparente e até mesmo com pontos úmidos (lambidos), indicando que os bois terminaram de comer a pouco tempo. Outro fator importante que preconizamos no Manejo de Cocho Limpo é o comportamento dos animais. Existe o interesse de comer para maioria do gado no momento do trato, no entanto, o gado não come muito por muito tempo, dentro de 10 a 15 minutos muitos dos bovinos estão satisfeitos e vão tomar água ou simplesmente descansar.

CONVENCIONAL

No formato convencional, realiza-se uma leitura de cocho antes do início do fornecimento, normalmente as 6h da manhã, temos um bom controle da quantidade de dieta fornecida e são realizadas análises da eficiência de tratos, curva de consumo, comportamento dos bois entre outros. Na definição da leitura de cocho a equipe deve entender muito bem quais são as fases de consumo dos animais confinados e quais notas de correção aplicar, para isso é muito importante que se conheça o histórico de cada lote.

AVANÇADO

No formato avançado, além da leitura de cocho das 6h da manhã é realizada uma ou mais leituras noturnas. Esta leitura noturna é de extrema importância justamente para monitorar quanto tempo os animais têm dieta disponível no cocho e se estão permanecendo algum tempo com cocho vazio. Neste manejo, o ajuste de fornecimento a ser realizado é definido a partir de um procedimento que chamamos de “tomada de decisão”. Neste procedimento é realizada avaliação de cada lote confinado (lote-a-lote), analisando as características do lote, fase de consumo, histórico de consumo e de leituras de cocho.

Além disso, os ajustes de fornecimentos são realizados de forma diferente, tendo como principal diferencial o ajuste de sobras, garantindo com que em praticamente nenhum momento ocorra perda de dieta. A limpeza de cocho é realizada somente das sobras que os animais não vão consumir. O cálculo de ajuste é realizado com base na quantidade estimada de dieta que sobrou no cocho, sendo este em kg e não em porcentagem como é feito na maioria dos demais tipos de manejos de cocho.

Abaixo alguns protocolos de gerenciamento de cocho sugeridos (IOWA State University, 2015):

  • Leia cada cocho no mesmo horário todos os dias – antes da alimentação matinal
  • A dieta deve ser fornecida dentro de uma janela de 15 minutos diariamente para otimizar o desempenho
  • Mantenha a consistência da qualidade e quantidade de alimentos durante todo o comprimento do cocho
  • Estabelecer quantidade padrão para aumentar (ou diminuir) alimentação oferecida.
  • Normalmente, isso equivale a 4% -6% de mudança de ingestão de matéria seca, mas apenas a cada terceiro dia
  • Forneça diretrizes e padrões de gerenciamento de cocho por escrito para todos os funcionários para garantir tomada de decisões consistentes nas leituras de cocho

Outros pontos fundamentais são manutenção preventiva das máquinas e equipamentos, aferição e calibração de balanças, treinamento e definição das funções de cada funcionário da equipe e comunicação entre todos envolvidos.

 

FONTE: Blog da Nutron
http://www.nutron.com.br

Related posts

INTERCORTE SP: Genética e sustentabilidade são focos do IZ nos painéis do “Caminhos da ILPF”

Revista Attalea Agronegócios

Suplementação da dieta de boi com selênio diminui colesterol na carne

Revista Attalea Agronegócios

INTERCORTE SÃO PAULO: Seguro Pecuário será novidade durante o evento.

Revista Attalea Agronegócios

Deixe um comentário