Powered by Rock Convert
Revista Attalea Agronegócios
Image default
Hortaliças

Linha de sementes de alface é desenvolvida para atender os diferentes climas brasileiros

Pesquisa e desenvolvimento garantem qualidade, produtividade e pacote de resistências

Em razão de sua extensão, o Brasil apresenta uma ampla variação climática ao longo de seu território. Essa oscilação é responsável pela dificuldade de produção de hortaliças de uma mesma variedade em todo o país, principalmente a alface, que exige cuidados específicos para seu cultivo.

Por esta razão a Topseed Premium, linha de sementes profissionais de alta tecnologia da Agristar do Brasil, possui um amplo portfólio de materiais híbridos com capacidade de adaptação em todas as regiões brasileiras. Segundo o especialista em Brássicas e Folhosas, Silvio Nakagawa, essa amplitude só é possível porque a empresa está continuamente focada em pesquisa e desenvolvimento de novas cultivares.

“Para isso, temos como apoio as estações experimentais localizadas nos principais polos produtores do país, em São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Rio Grande do Norte e Santa Catarina, que tornam possível oferecer ao mercado, durante todo o ano variedades que correspondem às necessidades dos agricultores de materiais com alta produtividade, qualidade e resistência às principais doenças da cultura”.

Como fruto desse trabalho, a linha oferece hoje as alfaces americanas Laurel, Astra e a recém-lançada Diva, as crespas Camila e Roxa Red Star, a lisa Regina 500 e as mimosas Imperial Roxa e Imperial.

Como exemplo da busca constante por variedades adaptadas às condições de plantio, as mimosas Imperial, Imperial Roxa e Roxa Red Star são resistentes ao vírus do mosaico e ao míldio. “Essa doença [míldio] causada pelo fungo Bremia lactucae provoca muitos prejuízos aos produtores de alface, principalmente em regiões mais frias, como Sul e Sudeste, entre os meses de abril e setembro. Os prejuízos começam na fase das mudas, onde as plantas são mais suscetíveis ao ataque e as condições são mais favoráveis para o desenvolvimento da doença. Como as mudas possuem uma área foliar pequena, o dano pode ser o atraso no desenvolvimento da cultura. Por isso o uso de cultivares resistentes evita prejuízos ao agricultor devido a queda de qualidade e produtividade”, explica Nakagawa.

“Há testes sendo finalizados para lançarmos no mercado novas sementes para alfaces crespas, lisas e americanas, que trarão ainda mais qualidade, produtividade e um maior pacote de resistências. Temos que tornar o trabalho do produtor um pouco mais fácil, uma vez que novas exigências fitossanitárias vêm restringindo o uso de muitos defensivos agrícolas. Sendo assim, estamos sempre em busca de cultivares mais modernas para facilitar o dia a dia do produtor”, finaliza Nakagawa.

Alface Mimosa Imperial
Alface Roxa Red Star
Alface Lisa Regina 500
Alface Imperial Roxa
Alface Crespa Camila
Alface Americana Laurel
Alface Americana Diva
Alface Americana Astra

Sobre a Agristar

Fundada em 1958, a Agristar é uma das maiores empresas do país na produção e comercialização de sementes de hortaliças, flores e frutas. Atua no mercado profissional de horticultura com as linhas Topseed Premium, Topseed e Superseed, além da Topseed Garden voltada para o segmento de jardinagem, hobby e lazer. Sediada em Santo Antônio de Posse (SP), a empresa possui cinco unidades voltadas para pesquisa e desenvolvimento de produtos localizadas estrategicamente em SP, MG, GO, SC e RN, principais polos produtores do país.

Para mais informações acesse www.agristar.com.br

 

FONTE: Juliana Bonassa – ATTUALE COMUNICAÇÃO
juliana@attualecomunicacao.com.br

Related posts

25ª HORTITEC: Agristar apresentará novas cultivares para horticultura

Revista Attalea Agronegócios

Nova linha de produção de adesivos atende mercado de hortifruti

Tomate: uso de aminoácidos na fertirrigação favorece aumento de produtividade em quase 50%

Revista Attalea Agronegócios

Deixe um comentário