fbpx
Revista Attalea Agronegócios
Equinos e Muares

Já ouviu falar de tenossinovite? Ela afeta bem-estar equinos

Tenossinovite significa inflamação nos tendões dos cavalos. Trata-se de um problema importante que prejudica, e muito, o bem-estar dos animais. Assim como nos casos em humanos, a enfermidade causa dor e deve ser tratada de forma rápida e eficaz. Afinal,  os equinos precisam ser poupados das atividades enquanto estiverem afetados pela doença. Pior, ela pode até causar a morte dos animais.

A tenossinovite em equinos é um processo inflamatório da chamada “bainha tendínea” e pode ser séptica ou asséptica. A tenossinovite séptica resulta de infecção presente na corrente sanguínea ou de perfurações, lacerações e infiltrações que podem levar bactérias para dentro da estrutura de articulações sinoviais. Já a asséptica acontece quando não há infecção – nesse caso, pode ser classificada como aguda ou crônica.

Geralmente, quando um equino apresenta tenossinovite asséptica o quadro possivelmente está relacionado a exercícios inadequados ou extenuantes ou a trabalhos exagerados. Em menor escala, o problema pode estar associado a defeitos de aprumo.

A infecção da bainha tendínea é um problema crítico por causa da dificuldade em combater a infecção das estruturas sinoviais. Além disso, há grande chance de sequelas que causam dores crônicas.

A dor, claro, é o principal sintoma da enfermidade para o animal, mas há outras adversidades. A tenossinovite causa calor excessivo na região dos tendões, bem como depressão, febre e anorexia. No caso de lacerações, é preciso muita atenção para perceber quais estruturas podem estar acometidas. Nem sempre o exame clínico é suficiente para perceber esses problemas. Por isso, é necessário ter o acompanhamento de um especialista.

O uso de anti-inflamatórios é o tratamento mais indicado para os casos de inflamação nos tendões de cavalos. Soluções não esteroides à base de meloxicam 3% – como Maxitec Injetável, da Syntec do Brasil, bloqueiam a biossíntese das prostaglandinas e, consequentemente, a liberação dos mediadores responsáveis pelos processos inflamatórios. O medicamentos possui, ainda, propriedades antipirética e analgésica, sendo indicado para casos agudos da doença. 

Outro recurso importante, também com ação contra dor e febre, é Fenilbutazona, que inibe a ciclo-oxigenase e diminui a síntese das prostaglandinas responsáveis pelas reações, sendo indicado para o tratamento até mesmo de inflamações associadas ao sistema musculoesquelético. Para os cavalos, o alívio da dor pode ser obtido com o uso da dexametasona (presente em Farmadex Injetável), igualmente eficaz para tratamentos que beneficiam o bem-estar dos equinos, garantindo mais saúde e produtividade.

AUTOR = Thales Vechiato, mestre em medicina veterinária pela Universidade de São Paulo e gerente nacional de produtos para grandes animais da Syntec do Brasil

FONTE = Fernanda Souza – TEXTO COMUNICAÇÃO CORPORATIVA
fernanda@textoassessoria.com.br

Related posts

Controle da dor em equinos: O que é e quais as formas de tratamento.

Trabalho descreve nova doença neuromuscular em equino

Revista Attalea Agronegócios

CFMV e Abo3vet debatem regulamentação da ozonioterapia como tratamento complementar

Deixe um comentário