HortiFrutiPolítica Agrícola

Greening: Governo de SP retira mais de 9 mil mudas irregulares de circulação

De sete locais fiscalizados em Herculândia (SP), quatro continham mudas sintomáticas para greening.

Nesta semana, o Governo de São Paulo, por meio da Secretaria de Agricultura e Abastecimento (SAA) e de sua Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA), retirou de circulação mais de 9 mil mudas de citros irregulares em Herculândia (SP), na região oeste do Estado de São Paulo. A operação envolveu equipe técnica da CDA, que contou com apoio da Polícia Militar Ambiental e terminou na sexta-feira (10). No total, sete locais foram fiscalizados e, destes, quatro continham mudas cítricas sintomáticas para a doença chamada greening. Essa praga é a que mais ameaça a produção de laranja em todo o mundo, atinge todos os tipos de plantas cítricas e não tem cura.

A legislação em vigor estabelece medidas de defesa sanitária vegetal para coibir o comércio ambulante de mudas em São Paulo, em decorrência dos graves danos econômicos às lavouras e pomares comerciais que a prática gera. A Coordenadoria de Defesa Agropecuária ainda conduziu trabalhos de educação sanitária na região a fim de orientar os produtores.

O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, anunciou no mês passado a criação de um comitê para tentar conter o avanço do greening em reunião com o setor da citricultura, no Palácio dos Bandeirantes.

O secretário de Agricultura e Abastecimento, Guilherme Piai, enfatiza que as fiscalizações vão ocorrer de forma sistemática como uma das frentes de combate ao greening em São Paulo e reiterou o compromisso com o setor.

“A citricultura representou US$ 1,54 bilhão em exportações para a economia de São Paulo até o mês de outubro, sendo o quinto colocado entre os mais exportados pela agropecuária paulista. Temos um compromisso de garantir segurança ao citricultor do Estado”, completou Piai.

Greening

O greening é causado pela bactéria Candidatus liberibacter spp. e disseminado pelo psilídeo (Diaphorina citri). A doença acomete todas as plantas cítricas e não tem cura: uma vez contaminada, não é possível eliminar a bactéria da planta, que fica agindo como fonte de inóculo para contaminação de outras plantas. O greening é hoje a doença que mais ameaça a citricultura no mundo.

CANAL PARA DENÚNCIAS
A Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento (SAA) lança nesta quarta-feira (25) um canal direto para que a população, especialmente os produtores rurais, possa denunciar casos de “greening dos citros”, que é uma praga nas plantações de laranja. A medida pretende conter o avanço da doença denominada Huanglongbing (HLB).

A existência desse tipo de pomar, sem controle do psilídeo (Diaphorina citri), que é o vetor do greening, ou sem erradicação de plantas até oito anos contaminadas com a doença, é problemática para a citricultura, uma vez que atua como fonte de contaminação. 

A iniciativa faz parte de uma série de ações que serão adotadas pelo governo para controlar o greening, na esteira da reunião realizada no dia 16 de outubro entre governo, corpo técnico da SAA e lideranças da citricultura. Na ocasião, o governador Tarcísio de Freitas apontou que o controle do greening deve ser tratado como prioridade, com ações de curto, médio e longo prazo.

O canal de denúncia tem como objetivo informar à Defesa Agropecuária a localização desses pomares de citros abandonados ou mal manejados, para que sejam colocadas em prática ações de educação e conscientização do produtor e, assim, adotadas as medidas necessárias para controle do greening.

De acordo com a Portaria SDA/MAPA nº 317, de 21 de maio de 2021, e a Resolução SAA nº 88, de 08 de dezembro de 2021, em todos os pomares com plantas de citros é obrigatória a realização do controle eficiente do psilídeo, e nos pomares com até oito anos de idade deve ser feita pelo produtor a eliminação de plantas sintomáticas.

Para o engenheiro agronômico Alexandre Paloschi, diretor do Departamento de Defesa Sanitária e Inspeção Vegetal (DDSIV) da CDA, essa interação com a sociedade é importante para direcionar as ações da Defesa Agropecuária. “Os produtores devem ter consciência que todas as ações da CDA são voltadas para defender a sustentabilidade sanitária da citricultura paulista”.

Para ter acesso ao canal direto, acesse AQUI.

Related posts

Ranking da FAO mostra que uso de defensivos no Brasil é menor que em diversos países da Europa

Mario

Secretaria de Agricultura SP promove a reativação da Câmara Setorial de Açúcar, Álcool e Bioenergia

carlos

Pesquisa confirma resistência de psilídeos a piretroides e neonicotinoides

Mario

Deixe um Comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais