Image default
Bovinos de LeiteLogística e Infraestrutura

Frete para leite aumenta até 150%; custo do produto cresce 6%.

A nova tabela do frete provoca reajuste de até 150% no transporte. O efeito no custo de produtos lácteos pode ir de 2% a 6%, alerta a Viva Lácteos (Associação Brasileira de Laticínios). O tabelamento foi aprovado pelo Governo Temer após a paralisação dos caminhoneiros, ocorrida em maio.

O transporte rodoviário de cargas é o principal meio de escoamento da produção de produtos lácteos, o que faz o custo das indústrias aumentar significativamente com o estabelecimento de tabelamento de preços obrigatório, segundo a entidade.

A Viva Lácteos estima que o transporte corresponda de 8% a 20% do custo final do leite e derivados, dependendo do tipo de produto industrializado (perecível ou não), das distâncias a serem percorridas em toda cadeia, das características regionais e do tipo de veículo.

O tabelamento do frete em vigor tem gerado distorções significativas, com altas no transporte que variam de 10% a 150% quando comparado ao praticado anteriormente no mercado. A consequência é o aumento de preços ao consumidor, com impacto direto na inflação.

“A Viva Lácteos é contraria a qualquer tipo de tabelamento no frete. Ele representa a cartelização do transporte rodoviário de cargas e os valores em vigor estão muito acima dos praticados no mercado. Essa política é desastrosa à medida que inibe a busca pela eficiência produtiva, a inovação tecnológica e a competitividade, provocando a elevação no custo total do leite e derivados”, destaca o diretor executivo da Associação, Marcelo Martins.

Segundo o executivo, a medida impacta o Brasil como um todo. Dados do último Censo Agropecuário do IBGE de 2017 registram que a produção de leite é realizada em 1,17 milhão de propriedades. Além disso, considerando um mínimo de dois trabalhadores atuando continuamente por propriedade e os contratados nas indústrias e cooperativas, esse segmento gera, pelo menos, 3 milhões de postos de trabalho permanentes.

Do ponto de vista econômico, o setor de laticínios está na segunda posição em faturamento, fechando 2017 com R$ 70,2 bilhões, segundo a Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação (Abia), atrás apenas dos derivados de carne.

Related posts

Conheça a “Sindolando”, raça que produz mais Leite A2

Mario

Campo Grande (MS) é escolhida como sede da Etapa Norte/Centro-Oeste do Circuito Megaleite 2018/2019

Mario

Preço do leite ao produtor pode recuar mais antes de estabilizar

carlos

Deixe um Comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais